Fechar
Publicidade

Domingo, 8 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Com incentivo do pai, garoto de 10 anos cria modelo de negócios

Denis Maciel/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Menino de Sto.André desenvolve ideia de criação de aplicativo para decoração


Fábio Munhoz
Do Diário do Grande ABC

09/08/2015 | 07:17


Empreendedorismo em família não é novidade. Há inúmeros casos de empresas em que os sócios são parentes. Entretanto, o caso de Leonardo Gmeiner, 39 anos, e seu filho Jorge Lobenschuss Gmeiner, de Santo André, chama a atenção. Isso porque Jorginho tem apenas 10 anos. Mesmo com pouca idade, ele já participa das atividades do pai e até já sugeriu um modelo de negócios.

Durante passeio no shopping, a família visitava uma loja de utilidades domésticas, quando Jorginho teve uma ideia: criar um aplicativo para smartphones e tablets que ajude o consumidor a escolher a mobília que se encaixe melhor em sua casa, de acordo com o espaço disponível.

Leonardo, que é proprietário de uma empresa que desenvolve aplicativos, se interessou pela ideia. Ele havia acabado de concluir curso no Sebrae sobre modelo de negócios usando a ferramenta Canvas – cujo objetivo é mapear as principais características e os objetivos do projeto.

“Apresentei a ele esse formato e dei a ele um modelo já feito, de outra criação”, lembra o empresário. O menino se debruçou sobre o material e, em apenas 40 minutos, já havia concluído todo o esboço. “Olhamos o projeto e vimos que tem potencial. Agora estamos trabalhando no desenvolvimento do plano de negócios e na análise de viabilidade.” A previsão é a de que essa fase demore em torno de um mês. Em seguida, a proposta será apresentada para investidores. Leonardo estima que sejam necessários R$ 200 mil para a execução do aplicativo.

A ideia original consiste na visualização de itens como sofás, geladeiras e armários em escala sobre a planta do imóvel e, com isso, analisar se a disposição do mobiliário se adequa ao ambiente. O projeto do garoto é tão ousado que prevê, inclusive, a possibilidade de anunciantes divulgarem produtos no aplicativo.

O empresário reconhece que a convivência de Jorginho com sua profissão colabora para o surgimento de ideias. “Mas ele possui essa característica interessante de enxergar potenciais compradores. Muitos adultos não têm essa visão.”

A parceria já tem influenciado o outro filho de Leonardo, João Pedro, 8, que já dá seus palpites e, inclusive, testa alguns dos programas feitos pela empresa, principalmente os games. Como pai, o empreendedor se enche de orgulho. “É muito bacana ver que nessa idade, quando eu só pensava em empinar pipa, os dois estão pensando em negócios. Pode não dar certo, mas temos que caminhar e mostrar como se faz. O estímulo é importantíssimo.”

A empresa de Leonardo, a Intuitive Appz, lançou há alguns anos o aplicativo Filho Sem Filas, que permite aos pais avisarem os colégios que estão chegando e, assim, facilitar o embarque e desembarque. O programa já é usado em 65 escolas. “Meus filhos ajudaram a desenvolver, pois os relatos deles sobre entrada e saída nos deram elementos para aprimorar a ferramenta.” 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Com incentivo do pai, garoto de 10 anos cria modelo de negócios

Menino de Sto.André desenvolve ideia de criação de aplicativo para decoração

Fábio Munhoz
Do Diário do Grande ABC

09/08/2015 | 07:17


Empreendedorismo em família não é novidade. Há inúmeros casos de empresas em que os sócios são parentes. Entretanto, o caso de Leonardo Gmeiner, 39 anos, e seu filho Jorge Lobenschuss Gmeiner, de Santo André, chama a atenção. Isso porque Jorginho tem apenas 10 anos. Mesmo com pouca idade, ele já participa das atividades do pai e até já sugeriu um modelo de negócios.

Durante passeio no shopping, a família visitava uma loja de utilidades domésticas, quando Jorginho teve uma ideia: criar um aplicativo para smartphones e tablets que ajude o consumidor a escolher a mobília que se encaixe melhor em sua casa, de acordo com o espaço disponível.

Leonardo, que é proprietário de uma empresa que desenvolve aplicativos, se interessou pela ideia. Ele havia acabado de concluir curso no Sebrae sobre modelo de negócios usando a ferramenta Canvas – cujo objetivo é mapear as principais características e os objetivos do projeto.

“Apresentei a ele esse formato e dei a ele um modelo já feito, de outra criação”, lembra o empresário. O menino se debruçou sobre o material e, em apenas 40 minutos, já havia concluído todo o esboço. “Olhamos o projeto e vimos que tem potencial. Agora estamos trabalhando no desenvolvimento do plano de negócios e na análise de viabilidade.” A previsão é a de que essa fase demore em torno de um mês. Em seguida, a proposta será apresentada para investidores. Leonardo estima que sejam necessários R$ 200 mil para a execução do aplicativo.

A ideia original consiste na visualização de itens como sofás, geladeiras e armários em escala sobre a planta do imóvel e, com isso, analisar se a disposição do mobiliário se adequa ao ambiente. O projeto do garoto é tão ousado que prevê, inclusive, a possibilidade de anunciantes divulgarem produtos no aplicativo.

O empresário reconhece que a convivência de Jorginho com sua profissão colabora para o surgimento de ideias. “Mas ele possui essa característica interessante de enxergar potenciais compradores. Muitos adultos não têm essa visão.”

A parceria já tem influenciado o outro filho de Leonardo, João Pedro, 8, que já dá seus palpites e, inclusive, testa alguns dos programas feitos pela empresa, principalmente os games. Como pai, o empreendedor se enche de orgulho. “É muito bacana ver que nessa idade, quando eu só pensava em empinar pipa, os dois estão pensando em negócios. Pode não dar certo, mas temos que caminhar e mostrar como se faz. O estímulo é importantíssimo.”

A empresa de Leonardo, a Intuitive Appz, lançou há alguns anos o aplicativo Filho Sem Filas, que permite aos pais avisarem os colégios que estão chegando e, assim, facilitar o embarque e desembarque. O programa já é usado em 65 escolas. “Meus filhos ajudaram a desenvolver, pois os relatos deles sobre entrada e saída nos deram elementos para aprimorar a ferramenta.” 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;