Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 10 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Automóveis

automoveis@dgabc.com.br | 4435-8337

Captiva mais potente agrada

Edmílson Magalhães/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Sueli Osório
Do Diário do Grande ABC

29/06/2011 | 07:00


Na linha 2011, o Chevrolet Captiva ficou mais potente e com mais torque. A montadora adotou a injeção direta para o utilitário esportivo mexicano. O sistema Sidi (Spark Ignition Direct Injection) garante ao motor mais eficiência na queima de combustível, melhorando seus números de desempenho, economia e emissões de poluentes.

A versão avaliada, Sport Ecotec, que custa R$ 90.299, oferece o sistema no motor 2.4 16V, todo feito em alumínio, que passou a desenvolver 185 cv - 15 cv a mais que a versão anterior. O torque também cresceu e agora é de 23,8 mkgf a 4.900 rpm. Além do motor, o Captiva Ecotec recebeu nova transmissão automática sequencial de seis marchas, a mesma que equipa o sedã Malibu, com a opção Active Select, que colaborou para novos números de aceleração.

O mexicano leva agora 10,9 segundos para chegar aos 100 km/h, uma vantagem de quatro décimos em relação ao modelo anterior. Na prática, é possível sentir que o veículo ficou um pouco mais ágil no trânsito urbano.

No novo sistema de injeção direta, o combustível é injetado diretamente na câmara de combustão, proporcionando melhor queima da mistura ar-combustível, operando a temperaturas inferiores aos sistemas tradicionais de injeção. Paralelamente, a injeção direta reduz os níveis de emissões, particularmente nas emissões nas partidas a frio, que diminuem em até 25%.

Segundo a montadora, as médias de consumo agora são 9,3 km/l na cidade - ante os 8,7 km/l da versão 2010 - e 13,6 km/l na estrada, perante os 12,8 km/l da anterior.

Nos dois modelos, a transmissão de seis marchas apresenta o Eco Mode. Acionado por meio de um botão no console central - ao lado da alavanca -, o dispositivo, que atua no gerenciamento do câmbio e motor proporciona trocas de marcha com maior economia de combustível, em rotações mais baixas.

INTERIOR

Todas as versões agora têm acionamento elétrico do freio de estacionamento - ao invés do sistema por alavanca. O botão fica localizado no console central, próximo à alavanca de câmbio. Além disso, a coluna de direção conta com ajuste de altura e profundidade. Os bancos são revestidos de couro preto e há computador de bordo e sistema de som que podem ser controlados por meio de comandos no volante em todas as versões da linha.

Também agrada a nova iluminação dos instrumentos - assim como Malibu e Camaro eles passaram a ser em ice blue, dando o toque de modernidade ao painel. O rádio também ganhou entrada para USB.

Pena que a câmera de ré só esteja disponível para a versão topo de linha, a V6 AWD, que custa R$ 100.774.

 

Utilitário é o sexto em vendas

 

O Chevrolet Captiva fechou a primeira quinzena de junho na nona colocação entre os utilitários esportivos. Segundo dados da Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores), o modelo teve 538 unidades emplacadas, o que significa alta de 5,29% ante o mesmo período de maio.

No acumulado de janeiro até agora, no entanto, o SUV mexicano da Chevrolet está na sexta posição, com 6.230 emplacamentos.

O líder do segmento, que inclui modelos de vários tamanhos e preços na classificação da entidade, é o Ford EcoSport, com 19.208 unidades comercializadas.

Em seguida, vêm Citroën Aircross, Mitsubishi Pajero, Hyundai Tucson e Honda CRV.

Na primeira quinzena do mês, modelos como Hyundai ix35 (632 unidades), Kia Sportage (543) e Mitsubishi ASX (541) se saíram melhor em vendas que o mexicano.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Captiva mais potente agrada

Sueli Osório
Do Diário do Grande ABC

29/06/2011 | 07:00


Na linha 2011, o Chevrolet Captiva ficou mais potente e com mais torque. A montadora adotou a injeção direta para o utilitário esportivo mexicano. O sistema Sidi (Spark Ignition Direct Injection) garante ao motor mais eficiência na queima de combustível, melhorando seus números de desempenho, economia e emissões de poluentes.

A versão avaliada, Sport Ecotec, que custa R$ 90.299, oferece o sistema no motor 2.4 16V, todo feito em alumínio, que passou a desenvolver 185 cv - 15 cv a mais que a versão anterior. O torque também cresceu e agora é de 23,8 mkgf a 4.900 rpm. Além do motor, o Captiva Ecotec recebeu nova transmissão automática sequencial de seis marchas, a mesma que equipa o sedã Malibu, com a opção Active Select, que colaborou para novos números de aceleração.

O mexicano leva agora 10,9 segundos para chegar aos 100 km/h, uma vantagem de quatro décimos em relação ao modelo anterior. Na prática, é possível sentir que o veículo ficou um pouco mais ágil no trânsito urbano.

No novo sistema de injeção direta, o combustível é injetado diretamente na câmara de combustão, proporcionando melhor queima da mistura ar-combustível, operando a temperaturas inferiores aos sistemas tradicionais de injeção. Paralelamente, a injeção direta reduz os níveis de emissões, particularmente nas emissões nas partidas a frio, que diminuem em até 25%.

Segundo a montadora, as médias de consumo agora são 9,3 km/l na cidade - ante os 8,7 km/l da versão 2010 - e 13,6 km/l na estrada, perante os 12,8 km/l da anterior.

Nos dois modelos, a transmissão de seis marchas apresenta o Eco Mode. Acionado por meio de um botão no console central - ao lado da alavanca -, o dispositivo, que atua no gerenciamento do câmbio e motor proporciona trocas de marcha com maior economia de combustível, em rotações mais baixas.

INTERIOR

Todas as versões agora têm acionamento elétrico do freio de estacionamento - ao invés do sistema por alavanca. O botão fica localizado no console central, próximo à alavanca de câmbio. Além disso, a coluna de direção conta com ajuste de altura e profundidade. Os bancos são revestidos de couro preto e há computador de bordo e sistema de som que podem ser controlados por meio de comandos no volante em todas as versões da linha.

Também agrada a nova iluminação dos instrumentos - assim como Malibu e Camaro eles passaram a ser em ice blue, dando o toque de modernidade ao painel. O rádio também ganhou entrada para USB.

Pena que a câmera de ré só esteja disponível para a versão topo de linha, a V6 AWD, que custa R$ 100.774.

 

Utilitário é o sexto em vendas

 

O Chevrolet Captiva fechou a primeira quinzena de junho na nona colocação entre os utilitários esportivos. Segundo dados da Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores), o modelo teve 538 unidades emplacadas, o que significa alta de 5,29% ante o mesmo período de maio.

No acumulado de janeiro até agora, no entanto, o SUV mexicano da Chevrolet está na sexta posição, com 6.230 emplacamentos.

O líder do segmento, que inclui modelos de vários tamanhos e preços na classificação da entidade, é o Ford EcoSport, com 19.208 unidades comercializadas.

Em seguida, vêm Citroën Aircross, Mitsubishi Pajero, Hyundai Tucson e Honda CRV.

Na primeira quinzena do mês, modelos como Hyundai ix35 (632 unidades), Kia Sportage (543) e Mitsubishi ASX (541) se saíram melhor em vendas que o mexicano.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;