Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 20 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Revisão fiscal reduz custos a empresas

Claudinei Plaza/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Avaliação feita por consultorias pode ajudar
a recuperar créditos tributários e economizar


Leone Farias
Do Diário do Grande ABC

12/04/2015 | 07:13


No cenário atual de demanda retraída, crédito escasso e alta dos juros, as empresas têm de buscar formas de reduzir custos para sobreviver no mercado, apontam especialistas. Uma das maneiras é olhar, com a ajuda de consultorias, para os próprios números dos livros fiscais da companhia para descobrir créditos tributários, aos quais se têm direito, mas que, muitas vezes, passam despercebidos.

Esse é o trabalho da Studio Fiscal, empresa gaúcha com 45 filiais e que já tem duas unidades em Santo André, uma em São Bernardo e acaba de fincar bandeira em São Caetano. O empresário Eduardo Monteiro, que entrou como sócio-franqueado da marca nessa cidade, com investimento de R$ 400 mil na estrutura física e em equipamentos, e que conta com equipe de sete pessoas, exemplifica o caminho para a economia. Ele cita que quando as empresas do regime de lucro real adquirem insumos, podem se compensar com créditos do PIS/Cofins junto à Receita Federal. “Há previsão na legislação para isso”, diz. O abatimento pode ser obtido até nos gastos das indústrias com energia elétrica ou na locação do imóvel da fábrica, acrescenta.

Monteiro faz questão de ressaltar que não trabalha com teses ainda em discussão na Justiça, só com o que já está julgado e pacificado pelo judiciário. E o contrato com os clientes condiciona o pagamento à economia proporcionada. Cobra-se 25% do valor dos créditos encontrados. “Em mais de 1.000 trabalhos homologados, em apenas um não encontramos nada”, garante ele, que calcula média de economia que chega a 4% do faturamento. “Em um trabalho que fizemos, recuperamos R$ 1,4 milhão.”

Ele cita ainda que o Studio Fiscal não visa competir com os contadores das empresas clientes. Segundo ele, com mais de 400 alterações na legislação tributária colocadas pela Carf (Conselho Administrativo de Recursos Fiscais) só em 2014, fica difícil para a contabilidade das companhias acompanhar tantas mudanças e ainda se dedicar ao dia a dia da operação, que envolve cerca de 180 obrigações acessórias por ano. “Nosso trabalho é complementar”, destaca.

Essa revisão possibilita olhar os últimos 60 meses dos números fiscais, e também pode gerar economias futuras, por meio do planejamento tributário. Isso com os créditos que não eram compensados e que passarão a ser incorporados. E com as exigências de informatização – pelo Sped (Sistema Público de Escritural Digital) – nem é preciso estar in loco nos clientes para verificar as informações nota por nota, cita o empresário.
 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Revisão fiscal reduz custos a empresas

Avaliação feita por consultorias pode ajudar
a recuperar créditos tributários e economizar

Leone Farias
Do Diário do Grande ABC

12/04/2015 | 07:13


No cenário atual de demanda retraída, crédito escasso e alta dos juros, as empresas têm de buscar formas de reduzir custos para sobreviver no mercado, apontam especialistas. Uma das maneiras é olhar, com a ajuda de consultorias, para os próprios números dos livros fiscais da companhia para descobrir créditos tributários, aos quais se têm direito, mas que, muitas vezes, passam despercebidos.

Esse é o trabalho da Studio Fiscal, empresa gaúcha com 45 filiais e que já tem duas unidades em Santo André, uma em São Bernardo e acaba de fincar bandeira em São Caetano. O empresário Eduardo Monteiro, que entrou como sócio-franqueado da marca nessa cidade, com investimento de R$ 400 mil na estrutura física e em equipamentos, e que conta com equipe de sete pessoas, exemplifica o caminho para a economia. Ele cita que quando as empresas do regime de lucro real adquirem insumos, podem se compensar com créditos do PIS/Cofins junto à Receita Federal. “Há previsão na legislação para isso”, diz. O abatimento pode ser obtido até nos gastos das indústrias com energia elétrica ou na locação do imóvel da fábrica, acrescenta.

Monteiro faz questão de ressaltar que não trabalha com teses ainda em discussão na Justiça, só com o que já está julgado e pacificado pelo judiciário. E o contrato com os clientes condiciona o pagamento à economia proporcionada. Cobra-se 25% do valor dos créditos encontrados. “Em mais de 1.000 trabalhos homologados, em apenas um não encontramos nada”, garante ele, que calcula média de economia que chega a 4% do faturamento. “Em um trabalho que fizemos, recuperamos R$ 1,4 milhão.”

Ele cita ainda que o Studio Fiscal não visa competir com os contadores das empresas clientes. Segundo ele, com mais de 400 alterações na legislação tributária colocadas pela Carf (Conselho Administrativo de Recursos Fiscais) só em 2014, fica difícil para a contabilidade das companhias acompanhar tantas mudanças e ainda se dedicar ao dia a dia da operação, que envolve cerca de 180 obrigações acessórias por ano. “Nosso trabalho é complementar”, destaca.

Essa revisão possibilita olhar os últimos 60 meses dos números fiscais, e também pode gerar economias futuras, por meio do planejamento tributário. Isso com os créditos que não eram compensados e que passarão a ser incorporados. E com as exigências de informatização – pelo Sped (Sistema Público de Escritural Digital) – nem é preciso estar in loco nos clientes para verificar as informações nota por nota, cita o empresário.
 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;