Fechar
Publicidade

Domingo, 26 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Palestinos estao pessimistas sobre Jerusalém Leste


Do Diário do Grande ABC

06/09/2000 | 10:55


Os palestinos sao pessimistas em sua maioria sobre a possibilidade de ver concretizado algum dia seu sonho de uma naçao com Jerusalém Leste como capital, apesar dos novos esforços do presidente norte-americano Bill Clinton, que se reunirá esta quarta-feira em Nova York com dirigentes israelenses e palestinos.

``As reunioes de Nova York sao inúteis. Nada mudou, embora já tenham sido realizadas numerosas reunioes'', assinala Mastur, 54 anos, que vende tortas de mel na parte antiga de Jerusalém.

``Nao há mudança alguma desde Camp David. O ocupante continua aí'', diz, indicando com um movimento da cabeça a estrada de acesso a uma colônia judia pertencente ao chefe do partido Likud, de direita, Ariel Sharon.

Clinton deve reunir-se separadamente esta quarta-feira com o presidente palestino Yasser Arafat e com o primeiro-ministro israelense Ehud Barak para tentar reativar as negociaçoes de paz, interrompidas desde o fracasso no dia 25 de julho passado do encontro de Camp David.

``Os Estados Unidos sao injustos. As negociaçoes deveriam ser simples e respeitarem a aplicaçao da resoluçao 242'', diz Mohammed, 62 anos, em uma referência à resoluçao do Conselho de Segurança que pede a Israel para retirar-se dos territórios árabes ocupados em 1967, entre eles Jerusalém Leste.

Segundo Ghassan al-Jatib, diretor do Centro de meios e comunicaçoes de Jerusalém, a Autoridade Palestina preparou seus cidadaos para que nao tenham muitas esperanças sobre as reunioes de Nova York.

``Nao há nenhuma esperança, nao esperamos nada. Os homens políticos dos dois lados lançaram mensagens pessimistas que repercutiram no público'', explicou al-Jatib.

Na cidade de Nablus (Cisjordânia), Ghassam Hamdan, diretor de uma clínica, espera que os Estados Unidos pressionem Arafat para que aceite pelo menos o que está previsto nas resoluçoes do Conselho de Segurança.

``Arafat será pressionado. Em minha opiniao, aceitará a proposta de Clinton de adiar a proclamaçao de um Estado independente, como gesto de boa vontade em favor da paz. Mas duvido que Arafat mude de opiniao a respeito de Jerusalém'', adiantou.

O encontro de Camp David fracassou principalmente por causa das divergências entre palestinos e israelenses sobre o caso de Jerusalém Leste, ocupado e anexado pelo Estado hebreu em 1967.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Palestinos estao pessimistas sobre Jerusalém Leste

Do Diário do Grande ABC

06/09/2000 | 10:55


Os palestinos sao pessimistas em sua maioria sobre a possibilidade de ver concretizado algum dia seu sonho de uma naçao com Jerusalém Leste como capital, apesar dos novos esforços do presidente norte-americano Bill Clinton, que se reunirá esta quarta-feira em Nova York com dirigentes israelenses e palestinos.

``As reunioes de Nova York sao inúteis. Nada mudou, embora já tenham sido realizadas numerosas reunioes'', assinala Mastur, 54 anos, que vende tortas de mel na parte antiga de Jerusalém.

``Nao há mudança alguma desde Camp David. O ocupante continua aí'', diz, indicando com um movimento da cabeça a estrada de acesso a uma colônia judia pertencente ao chefe do partido Likud, de direita, Ariel Sharon.

Clinton deve reunir-se separadamente esta quarta-feira com o presidente palestino Yasser Arafat e com o primeiro-ministro israelense Ehud Barak para tentar reativar as negociaçoes de paz, interrompidas desde o fracasso no dia 25 de julho passado do encontro de Camp David.

``Os Estados Unidos sao injustos. As negociaçoes deveriam ser simples e respeitarem a aplicaçao da resoluçao 242'', diz Mohammed, 62 anos, em uma referência à resoluçao do Conselho de Segurança que pede a Israel para retirar-se dos territórios árabes ocupados em 1967, entre eles Jerusalém Leste.

Segundo Ghassan al-Jatib, diretor do Centro de meios e comunicaçoes de Jerusalém, a Autoridade Palestina preparou seus cidadaos para que nao tenham muitas esperanças sobre as reunioes de Nova York.

``Nao há nenhuma esperança, nao esperamos nada. Os homens políticos dos dois lados lançaram mensagens pessimistas que repercutiram no público'', explicou al-Jatib.

Na cidade de Nablus (Cisjordânia), Ghassam Hamdan, diretor de uma clínica, espera que os Estados Unidos pressionem Arafat para que aceite pelo menos o que está previsto nas resoluçoes do Conselho de Segurança.

``Arafat será pressionado. Em minha opiniao, aceitará a proposta de Clinton de adiar a proclamaçao de um Estado independente, como gesto de boa vontade em favor da paz. Mas duvido que Arafat mude de opiniao a respeito de Jerusalém'', adiantou.

O encontro de Camp David fracassou principalmente por causa das divergências entre palestinos e israelenses sobre o caso de Jerusalém Leste, ocupado e anexado pelo Estado hebreu em 1967.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;