Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 17 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Unger apóia criação de agência para administrar acesso à Internet


Do Diário OnLine
Com Agência Brasil

12/11/2007 | 20:17


O ministro de Assuntos Estratégicos, Mangabeira Unger, defendeu nesta segunda-feira a criação de uma agência internacional com predominância de representantes da sociedade civil para coordenar, regulamentar e fiscalizar o acesso à Internet em todo o mundo.

Atualmente, essas atribuições estão nas mãos de um órgão que, segundo o ministro, sofre influência apenas dos Estados Unidos.

A Icann (Corporação para Atribuição de Nomes e Números na Internet) é uma corporação internacional sem fins lucrativos responsável por definir os espaços de endereços de protocolos de Internet – os chamados Ips - e administrar os códigos dos países e dos tipos de páginas.

A sucessão do Icann está sendo debatida no Fórum de Governança da Internet  que começou nesta segunda e vai até quinta-feira no Rio de Janeiro.

Unger, um dos participantes do Fórum, é contra a idéia de transferir o poder do Icann para uma organização internacional de Estados, semelhante à ONU (Organização das Nações Unidas). “Nossa posição é que a Internet não esteja sob a tutela nem dos Estados nem do dinheiro”, ressaltou o ministro.

Para Unger, o novo órgão que substituirá o Icann pode contar com a participação de representantes dos governos e das empresas, desde que a sociedade civil, organizada em nível mundial, tenha predominância. “É a humanidade que vai se comandar. Isso é o que o mundo quer e vamos tratar de tornar possível”, afiançou.

Ele considera a Internet um instrumento de libertação da humanidade e de derrubada de todas as ditaduras do poder político, econômico e cultural. No entanto, acredita que os países precisam compartilhar a administração da rede (sem concentrar poderes em determinado país), além de limitar a influência dos governos e das grandes empresas.

Segundo o ministro, o Icann desempenhou papel histórico vital no desenvolvimento da rede mundial de computadores. Agora, afirmou Unger, chegou a hora de essa instituição norte-americana ceder poder de forma pacífica para uma organização mais “includente”.

Unger declarou ainda que o desenvolvimento de uma nova estrutura de administração da Internet servirá como provocação para a sociedade civil mundial organizar-se. “A organização da sociedade civil mundial fora do Estado será conseqüência, não apenas condição para criar essa nova estrutura de governança”, salientou.


Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;