Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 27 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Família fala em suposto erro médico no PS Central de São Bernardo


Rodrigo Cipriano
Do Diário do Grande ABC

27/04/2006 | 08:15


Uma suposta falha de atendimento no Pronto-socorro Central de São Bernardo teria agravado consideravelmente o estado de saúde de um diabético, o motorista aposentado Antonio Fernandes de Barros, 57 anos, segundo denúncia da família. Ele apresentou um quadro de insuficiência arterial, comum à doença mas que, se não for tratado, pode evoluir para necrose e levar à amputação de um membro – no caso, um dos pés de Barros. No último dia 11, quando foi até o PS em busca de tratamento, Barros diz que recebeu alta médica após avaliação, e uma indicação para consulta no Clínica Vascular do Hospital Anchieta. Só que a única data disponível para tal consulta é em setembro.

Devido à notável piora de seu estado, Barros voltou a procurar ajuda na última segunda-feira. Desta vez, foi até o PS do Baeta Neves. Seu pé estava infeccionado e repleto de úlceras, conseqüências da má circulação no membro. O quadro de diabetes do motorista também estava alterado, o que, segundo médicos, contribuiria para uma rápida evolução do problema, com sério risco de amputação. “Ele sentia muita dor. Mal conseguia ficar de pé”, conta a dona-de-casa Lidia de Oliveira Barros, 44 anos. Percebendo a gravidade da situação, os médicos do Baeta Neves decidiram internar Barros.

Agora, a expectativa é de que o motorista seja atendido na Clínica Vascular do Anchieta ainda nesta quinta-feira. “Os médicos (do posto do Baeta Neves) disseram que se ele tivesse que esperar até setembro perderia o pé”, afirma Lidia. É possível que Barros passe por uma cirurgia para ter normalizada a circulação, com desobstrução da artéria ou implantação de um cateter.

Procurada pela reportagem, a Secretaria da Saúde de São Bernardo não se pronunciou sobre a suposta falha no atendimento do aposentado. Segundo a administração, o levantamento envolve três unidades distintas – o PS Central, o Hospital Anchieta e o PS do Baeta Neves – e não seria possível dar uma posição no prazo solicitado pela reportagem.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Família fala em suposto erro médico no PS Central de São Bernardo

Rodrigo Cipriano
Do Diário do Grande ABC

27/04/2006 | 08:15


Uma suposta falha de atendimento no Pronto-socorro Central de São Bernardo teria agravado consideravelmente o estado de saúde de um diabético, o motorista aposentado Antonio Fernandes de Barros, 57 anos, segundo denúncia da família. Ele apresentou um quadro de insuficiência arterial, comum à doença mas que, se não for tratado, pode evoluir para necrose e levar à amputação de um membro – no caso, um dos pés de Barros. No último dia 11, quando foi até o PS em busca de tratamento, Barros diz que recebeu alta médica após avaliação, e uma indicação para consulta no Clínica Vascular do Hospital Anchieta. Só que a única data disponível para tal consulta é em setembro.

Devido à notável piora de seu estado, Barros voltou a procurar ajuda na última segunda-feira. Desta vez, foi até o PS do Baeta Neves. Seu pé estava infeccionado e repleto de úlceras, conseqüências da má circulação no membro. O quadro de diabetes do motorista também estava alterado, o que, segundo médicos, contribuiria para uma rápida evolução do problema, com sério risco de amputação. “Ele sentia muita dor. Mal conseguia ficar de pé”, conta a dona-de-casa Lidia de Oliveira Barros, 44 anos. Percebendo a gravidade da situação, os médicos do Baeta Neves decidiram internar Barros.

Agora, a expectativa é de que o motorista seja atendido na Clínica Vascular do Anchieta ainda nesta quinta-feira. “Os médicos (do posto do Baeta Neves) disseram que se ele tivesse que esperar até setembro perderia o pé”, afirma Lidia. É possível que Barros passe por uma cirurgia para ter normalizada a circulação, com desobstrução da artéria ou implantação de um cateter.

Procurada pela reportagem, a Secretaria da Saúde de São Bernardo não se pronunciou sobre a suposta falha no atendimento do aposentado. Segundo a administração, o levantamento envolve três unidades distintas – o PS Central, o Hospital Anchieta e o PS do Baeta Neves – e não seria possível dar uma posição no prazo solicitado pela reportagem.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;