Fechar
Publicidade

Domingo, 15 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Licitação trava em São Bernardo


Roney Domingos
Do Diário do Grande ABC

03/04/2006 | 08:21


Os serviços que deverão controlar o tráfego e o recolhimento de veículos em São Bernardo pelos próximos anos são alvo de disputa, com farto respaldo em decisões do Tribunal de Contas do Estado, complexas movimentações judiciais e duas representações dirigidas ao Ministério Público Estadual com pedido de ajuizamento de ações civis públicas. A administração municipal nega irregularidades, coloca os processos à exposição pública e afirma que responderá pontualmente às indagações da Justiça. “Este tipo de recurso é normal. São Bernardo é muito visada porque paga em dia e em ordem. Muitas empresas entram sem ter efetivamente condições”, afirma o secretário de infra-estrutura, Gilberto Frigo. No centro da cena está a Consladel Construtora e Laços Detetores – com sede na cidade –, que venceu os dois processos de seleção milionários questionados pelos concorrentes. A Consladel atribui as queixas à mera disputa comercial.

O edital questionado mais complexo é o que estabelece o pagamento de R$ 108 milhões dentro de 60 meses pelo contrato “guarda-chuva” que prevê a concentração nas mãos de uma só empresa operadora de quase todos os serviços relativos à gestão de trânsito, desde a sinalização aérea e horizontal até o monitoramento por câmeras e radares. O mais simples, congelado, é o que determina a empresa que vai administrar o pátio para recolhimento de veículos em situação irregular, durante os próximos dez anos, incluindo a cobrança por guincho, estadia e até leilão.

Quinta-feira, 17h30: o oficial de Justiça Augusto Shiguemi entra no prédio da Comissão de Licitação de Materiais e entrega a uma funcionária decisão judicial que determina ao município a obrigação de abrir o envelope com a proposta comercial da Octágono Serviços Ltda. A Octágono e a Cobrasim ficaram fora da licitação composta de três fases de habilitação: técnica, econômica e jurídica. A Cobrasim desistiu de brigar, mas a Octágono, barrada na fase “técnica” decidiu mobilizar a Justiça e o Ministério Público.

“Esta concorrência foi orientada para uma empresa em específico. Foi apenas uma etapa de um processo para entregar o serviço a um amigo”, ataca o procurador da Octágono, Nilton Watcher. O secretário de assuntos jurídicos, Miguel Cordovani, disse na sexta-feira à tarde que a licitação será suspensa até que a Prefeitura tenha sinal verde da Justiça para continuar com a licitação. O resultado da licitação foi publicado no Diário Oficial, mas a ainda falta homologar e assinar o contrato com a Consladel.

Watcher afirma que o TCE determinou duas vezes a retificação do edital, mas os supostos vícios que beneficiaram a ganhadora sobreviveram até a terceira versão do documento. A Octágono, que opera pátios em Santa Bárbara do Oeste e em Americana, afirma que foi inabilitada injustamente, por três motivos. Foi chamada, por exemplo, a indicar local para operações de 15 mil m² em São Bernardo. Apontou um terreno de 26 mil m² na cidade, mas só depois informada de que a exigência referia-se à sede da empresa. Ao mesmo tempo, a Consladel passou incólume com indicação de uma sede com 1,4 mil m² em São Paulo.

Domingos Massa, assessor do secretário municipal de Transportes, afirma que a Octágono foi desclassificada em uma das três fases de habilitação. De acordo com ele a empresa não passou no teste que consistia em avaliar, entre outras critérios, o tempo que cada uma das operadoras leva para guinchar um veículo. O funcionário afirmou que embora esta seja a primeira experiência de concessão para este tipo de atividade, pelo menos em São Bernardo, o edital passou por avaliação prévia do TCE.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Licitação trava em São Bernardo

Roney Domingos
Do Diário do Grande ABC

03/04/2006 | 08:21


Os serviços que deverão controlar o tráfego e o recolhimento de veículos em São Bernardo pelos próximos anos são alvo de disputa, com farto respaldo em decisões do Tribunal de Contas do Estado, complexas movimentações judiciais e duas representações dirigidas ao Ministério Público Estadual com pedido de ajuizamento de ações civis públicas. A administração municipal nega irregularidades, coloca os processos à exposição pública e afirma que responderá pontualmente às indagações da Justiça. “Este tipo de recurso é normal. São Bernardo é muito visada porque paga em dia e em ordem. Muitas empresas entram sem ter efetivamente condições”, afirma o secretário de infra-estrutura, Gilberto Frigo. No centro da cena está a Consladel Construtora e Laços Detetores – com sede na cidade –, que venceu os dois processos de seleção milionários questionados pelos concorrentes. A Consladel atribui as queixas à mera disputa comercial.

O edital questionado mais complexo é o que estabelece o pagamento de R$ 108 milhões dentro de 60 meses pelo contrato “guarda-chuva” que prevê a concentração nas mãos de uma só empresa operadora de quase todos os serviços relativos à gestão de trânsito, desde a sinalização aérea e horizontal até o monitoramento por câmeras e radares. O mais simples, congelado, é o que determina a empresa que vai administrar o pátio para recolhimento de veículos em situação irregular, durante os próximos dez anos, incluindo a cobrança por guincho, estadia e até leilão.

Quinta-feira, 17h30: o oficial de Justiça Augusto Shiguemi entra no prédio da Comissão de Licitação de Materiais e entrega a uma funcionária decisão judicial que determina ao município a obrigação de abrir o envelope com a proposta comercial da Octágono Serviços Ltda. A Octágono e a Cobrasim ficaram fora da licitação composta de três fases de habilitação: técnica, econômica e jurídica. A Cobrasim desistiu de brigar, mas a Octágono, barrada na fase “técnica” decidiu mobilizar a Justiça e o Ministério Público.

“Esta concorrência foi orientada para uma empresa em específico. Foi apenas uma etapa de um processo para entregar o serviço a um amigo”, ataca o procurador da Octágono, Nilton Watcher. O secretário de assuntos jurídicos, Miguel Cordovani, disse na sexta-feira à tarde que a licitação será suspensa até que a Prefeitura tenha sinal verde da Justiça para continuar com a licitação. O resultado da licitação foi publicado no Diário Oficial, mas a ainda falta homologar e assinar o contrato com a Consladel.

Watcher afirma que o TCE determinou duas vezes a retificação do edital, mas os supostos vícios que beneficiaram a ganhadora sobreviveram até a terceira versão do documento. A Octágono, que opera pátios em Santa Bárbara do Oeste e em Americana, afirma que foi inabilitada injustamente, por três motivos. Foi chamada, por exemplo, a indicar local para operações de 15 mil m² em São Bernardo. Apontou um terreno de 26 mil m² na cidade, mas só depois informada de que a exigência referia-se à sede da empresa. Ao mesmo tempo, a Consladel passou incólume com indicação de uma sede com 1,4 mil m² em São Paulo.

Domingos Massa, assessor do secretário municipal de Transportes, afirma que a Octágono foi desclassificada em uma das três fases de habilitação. De acordo com ele a empresa não passou no teste que consistia em avaliar, entre outras critérios, o tempo que cada uma das operadoras leva para guinchar um veículo. O funcionário afirmou que embora esta seja a primeira experiência de concessão para este tipo de atividade, pelo menos em São Bernardo, o edital passou por avaliação prévia do TCE.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;