Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 25 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Índia e Paquistão assinam acordo para reduzir riscos nucleares


Da AFP

21/02/2007 | 10:11


Índia e Paquistão assinaram nesta quarta-feira um acordo para reduzir os riscos de acidentes com armas nucleares entre os dois países, dois dias depois do atentado contra o chamado "trem da amizade". As duas nações são potências nucleares adversárias na Ásia do Sul, e aparentemente deram mais um passo em seu processo de paz ao

A cerimônia de assinatura com a presença de representantes dos dois governos aconteceu em Nova Délhi, depois das negociações entre o ministro indiano das Relações Exteriores, Pranab Mukherjee, e o chanceler paquistanês, Khurshid Kasuri.

O encontro ocorre depois do atentado cometido na madrugada de domingo para segunda-feira contra o "trem da amizade", que transita entre os dois países, que deixou 68 mortos.

Os dois ministros também presidiram nesta quarta-feira uma comissão mista, criada em janeiro de 2004 como parte do processo de paz. Ela tem o objetivo de acabar com os confrontos entre os dois Estados, em particular no que diz respeito à questão da Caxemira, que afeta as relações entre ambos países há 60 anos.

Índia e Paquistão se enfrentaram em três guerras desde a divisão territorial em 1947, duas das quais por causa de Caxemira. Depois dos testes atômicos de maio de 1998, os dois países avaliaram em 1999 a idéia de um mecanismo de redução dos riscos de acidentes nucleares.

Não foram revelados detalhes sobre o acordo desta quarta-feira. Em 1º de janeiro passado, Nova Délhi e Islamabad trocaram listas de instalações às quais se comprometem em não atacar em caso de guerra.

Segundo um dirigente indiano, a luta antiterrorista também dominou os encontros entre Kasuri e Mujerjee, depois do atentado contra o "trem da amizade", símbolo da frágil paz entre os dois vizinhos.

Depois dos atentados anteriores, a Índia suspendeu as discussões com o Paquistão, em particular após o ataque armado de dezembro de 2001 contra seu Parlamento e os atentados de Mumbai em julho de 2006 (187 mortos).



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Índia e Paquistão assinam acordo para reduzir riscos nucleares

Da AFP

21/02/2007 | 10:11


Índia e Paquistão assinaram nesta quarta-feira um acordo para reduzir os riscos de acidentes com armas nucleares entre os dois países, dois dias depois do atentado contra o chamado "trem da amizade". As duas nações são potências nucleares adversárias na Ásia do Sul, e aparentemente deram mais um passo em seu processo de paz ao

A cerimônia de assinatura com a presença de representantes dos dois governos aconteceu em Nova Délhi, depois das negociações entre o ministro indiano das Relações Exteriores, Pranab Mukherjee, e o chanceler paquistanês, Khurshid Kasuri.

O encontro ocorre depois do atentado cometido na madrugada de domingo para segunda-feira contra o "trem da amizade", que transita entre os dois países, que deixou 68 mortos.

Os dois ministros também presidiram nesta quarta-feira uma comissão mista, criada em janeiro de 2004 como parte do processo de paz. Ela tem o objetivo de acabar com os confrontos entre os dois Estados, em particular no que diz respeito à questão da Caxemira, que afeta as relações entre ambos países há 60 anos.

Índia e Paquistão se enfrentaram em três guerras desde a divisão territorial em 1947, duas das quais por causa de Caxemira. Depois dos testes atômicos de maio de 1998, os dois países avaliaram em 1999 a idéia de um mecanismo de redução dos riscos de acidentes nucleares.

Não foram revelados detalhes sobre o acordo desta quarta-feira. Em 1º de janeiro passado, Nova Délhi e Islamabad trocaram listas de instalações às quais se comprometem em não atacar em caso de guerra.

Segundo um dirigente indiano, a luta antiterrorista também dominou os encontros entre Kasuri e Mujerjee, depois do atentado contra o "trem da amizade", símbolo da frágil paz entre os dois vizinhos.

Depois dos atentados anteriores, a Índia suspendeu as discussões com o Paquistão, em particular após o ataque armado de dezembro de 2001 contra seu Parlamento e os atentados de Mumbai em julho de 2006 (187 mortos).

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;