Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 12 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Escola defende o direito de bater nos alunos na Inglaterra


Do Diário OnLine

14/05/2002 | 12:24


A Escola da Companhia Cristã em Liverpool, Nordeste da Inglaterra, que defende a punição corporal como parte de sua doutrina religiosa, pediu nesta terça-feira a um tribunal britânico que mantenha seu direito de bater em alunos indisciplinados.

A direção do colégio declara que o governo britânico, que proíbe a punição corporal desde 1998, “está fora de sintonia com o desejo público e infringe os direitos de cristãos praticarem suas crenças".

A escola está apelando de uma sentença judicial que, em novembro, decidiu que os educadores não tinham o direito de bater nos alunos, mesmo com o consentimento dos pais.

O advogado da escola, Paul Diamond, disse ao tribunal que a punição corporal é uma doutrina defendida na Bíblia.

A escola tem alunos de idades entre 4 a 16 anos.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Escola defende o direito de bater nos alunos na Inglaterra

Do Diário OnLine

14/05/2002 | 12:24


A Escola da Companhia Cristã em Liverpool, Nordeste da Inglaterra, que defende a punição corporal como parte de sua doutrina religiosa, pediu nesta terça-feira a um tribunal britânico que mantenha seu direito de bater em alunos indisciplinados.

A direção do colégio declara que o governo britânico, que proíbe a punição corporal desde 1998, “está fora de sintonia com o desejo público e infringe os direitos de cristãos praticarem suas crenças".

A escola está apelando de uma sentença judicial que, em novembro, decidiu que os educadores não tinham o direito de bater nos alunos, mesmo com o consentimento dos pais.

O advogado da escola, Paul Diamond, disse ao tribunal que a punição corporal é uma doutrina defendida na Bíblia.

A escola tem alunos de idades entre 4 a 16 anos.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;