Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 6 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Morre, aos 75 anos, o pianista de jazz Andrew Hill


Da AFP

21/04/2007 | 11:13


O compositor e pianista de jazz Andrew Hill, cuja obra se tornou popular há pouco tempo, faleceu em sua casa em Jersey City, Nova Jersey, aos 75 anos. A informação é da edição deste sábado do jornal 'The New York Times'. Sua esposa, Joanne Robinson Hill, disse à imprensa que seu marido morreu de câncer de pulmão.

Hill nasceu em 1931, em Chicago, segundo seu obituário. Aos sete anos, aprendeu a tocar acordeão e depois, piano. Ele tocou "be-bop" com músicos de Chicago, e saiu em turnê pelos Estados Unidos com Dinah Washington, Johnny Hartman e Dakota Staton, segundo o jornal.

Em 1954, ele também teve a oportunidade de tocar com Charlie Parker no Greystone Ballroom, em Detroit. Um trabalho com Roland Kirk o levou a Nova York no início dos anos 1960, lembrou o jornal.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Morre, aos 75 anos, o pianista de jazz Andrew Hill

Da AFP

21/04/2007 | 11:13


O compositor e pianista de jazz Andrew Hill, cuja obra se tornou popular há pouco tempo, faleceu em sua casa em Jersey City, Nova Jersey, aos 75 anos. A informação é da edição deste sábado do jornal 'The New York Times'. Sua esposa, Joanne Robinson Hill, disse à imprensa que seu marido morreu de câncer de pulmão.

Hill nasceu em 1931, em Chicago, segundo seu obituário. Aos sete anos, aprendeu a tocar acordeão e depois, piano. Ele tocou "be-bop" com músicos de Chicago, e saiu em turnê pelos Estados Unidos com Dinah Washington, Johnny Hartman e Dakota Staton, segundo o jornal.

Em 1954, ele também teve a oportunidade de tocar com Charlie Parker no Greystone Ballroom, em Detroit. Um trabalho com Roland Kirk o levou a Nova York no início dos anos 1960, lembrou o jornal.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;