Fechar
Publicidade

Domingo, 5 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Masai, do Banco do Japão, alerta sobre queda "excessiva" nos juros dos JGBs



21/11/2016 | 05:15


A mais nova integrante do comitê de política monetária do Banco do Japão (BoJ, na sigla em inglês), Takako Masai, disse hoje que quedas "excessivas" nas taxas de juros podem minar a economia do país, sinalizando sua oposição a tentativas apressadas de gerar inflação por meio de maior relaxamento monetário.

Segundo Masai, quedas muito acentuadas nos custos dos empréstimos podem diminuir a capacidade dos bancos de ampliar o crédito, ao agravar a tendência de deterioração nas margens de lucro do setor. Para ela, as reduções vistas este ano nos rendimentos de bônus do governo japonês (JGBs) de longo prazo têm sido "excessivas", prejudicando a rentabilidade de fundos de pensão e de seguradoras cujos lucros dependem desses papéis.

Masai, que assumiu como dirigente do BoJ em junho, também defendeu esforços nacionais "pacientes" no combate à deflação, ressaltando que não é fácil impulsionar as expectativas de inflação numa economia onde os preços vêm caindo de forma persistente por um longo período.

Em conjunto com o BoJ, o governo e a iniciativa privada também precisam se esforçar mais para ampliar o potencial de crescimento do país e gerar inflação de 2%, que é a meta do BC japonês, disse Masai.

Na primeira reunião do BoJ da qual participou, em julho, Masai aprovou a decisão do presidente do BC, Haruhiko Kuroda, de dobrar as compras dos chamados fundos de índices de ações (ETFs, na sigla em inglês).

Masai disse ainda que vai acompanhar de perto as políticas do futuro governo do presidente eleito dos EUA, Donald Trump, e seus possíveis efeitos no Japão. Fonte: Dow Jones Newswires.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Masai, do Banco do Japão, alerta sobre queda "excessiva" nos juros dos JGBs


21/11/2016 | 05:15


A mais nova integrante do comitê de política monetária do Banco do Japão (BoJ, na sigla em inglês), Takako Masai, disse hoje que quedas "excessivas" nas taxas de juros podem minar a economia do país, sinalizando sua oposição a tentativas apressadas de gerar inflação por meio de maior relaxamento monetário.

Segundo Masai, quedas muito acentuadas nos custos dos empréstimos podem diminuir a capacidade dos bancos de ampliar o crédito, ao agravar a tendência de deterioração nas margens de lucro do setor. Para ela, as reduções vistas este ano nos rendimentos de bônus do governo japonês (JGBs) de longo prazo têm sido "excessivas", prejudicando a rentabilidade de fundos de pensão e de seguradoras cujos lucros dependem desses papéis.

Masai, que assumiu como dirigente do BoJ em junho, também defendeu esforços nacionais "pacientes" no combate à deflação, ressaltando que não é fácil impulsionar as expectativas de inflação numa economia onde os preços vêm caindo de forma persistente por um longo período.

Em conjunto com o BoJ, o governo e a iniciativa privada também precisam se esforçar mais para ampliar o potencial de crescimento do país e gerar inflação de 2%, que é a meta do BC japonês, disse Masai.

Na primeira reunião do BoJ da qual participou, em julho, Masai aprovou a decisão do presidente do BC, Haruhiko Kuroda, de dobrar as compras dos chamados fundos de índices de ações (ETFs, na sigla em inglês).

Masai disse ainda que vai acompanhar de perto as políticas do futuro governo do presidente eleito dos EUA, Donald Trump, e seus possíveis efeitos no Japão. Fonte: Dow Jones Newswires.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;