Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 24 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Alckmin não impedirá uso de imagem, diz Silvio Torres

Claudinei Plaza/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Secretário-geral do PSDB diz que governador evitará embate em cidades com projetos de aliados


Raphael Rocha
Do Diário do Grande ABC

24/05/2016 | 07:00


Secretário-geral do PSDB nacional, o deputado federal Silvio Torres avaliou que o governador Geraldo Alckmin (PSDB) evitará ao máximo entrar em embate no primeiro turno na disputa eleitoral em que houver dois candidatos de partidos de seu arco de alianças.

Na visão do parlamentar, Alckmin deverá gravar depoimentos aos prefeituráveis do tucanato, mas não impedirá que postulantes de legendas de sua coalizão usem sua imagem durante a corrida eleitoral. Ele analisou também que o engajamento do governador será total no segundo turno nos municípios onde o aliado terá como rival algum político do PT.

“Na grande maioria dos municípios onde temos aliados em disputa conseguimos dar encaminhamento e juntar as forças. Há lugares onde não foi possível, não teve como unir. Nesses casos, ele (Alckmin) vai dar depoimento para o candidato do partido. Mas não pode também hostilizar nem impedir que usem a imagem dele, no caso dos outros. A estratégia é vencer os adversários. Temos de agir com cautela também”, ponderou Silvio Torres, em entrevista exclusiva ao Diário.

O panorama traçado pelo deputado está desenhado em três cidades do Grande ABC: em Santo André, onde o tucano Paulinho Serra disputa a preferência de Alckmin com o ex-prefeito Aidan Ravin (PSB); em São Bernardo, onde o deputado estadual Orlando Morando (PSDB) rivaliza com o deputado federal Alex Manente (PPS); e em Mauá, onde o parlamentar estadual Atila Jacomussi (PSB) tem como adversário o ex-prefeito Clóvis Volpi (PSDB).

A despeito das rixas municipais entre aliados de Alckmin, Silvio Torres prevê que, no Grande ABC, haverá redução drástica no número de eleitos pelo PT. “Essa história de cinturão vermelho vai acabar, em toda Região Metropolitana e no Grande ABC também”, analisou o deputado. Na região, há três prefeitos petistas: Carlos Grana, em Santo André; Luiz Marinho, em São Bernardo; e Donisete Braga, em Mauá.

DIADEMA
No caso de Diadema, onde o diretório local definiu apoio ao prefeito Lauro Michels (PV) mesmo sem garantias da vice, Silvio Torres pontuou que o episódio está encerrado. “Em Diadema nosso candidato é o Lauro. Não tem discussão.”

A frase do secretário-geral contrasta com a orientação da coordenação regional do PSDB, que quer o ex-vereador e ex-prefeito José Augusto da Silva Ramos (PSDB) como prefeiturável depois de críticas de Lauro ao coordenador Márcio Canuto.

Situação de Dib é delicada, aponta Canuto

Coordenador regional do PSDB, Márcio Canuto afirmou que é “delicada” a situação do ex-prefeito de São Bernardo William Dib no tucanato, ao dizer que o ex-chefe do Executivo não tem condições de tirar do deputado estadual Orlando Morando (PSDB) o comando da candidatura ao governo são-bernardense em outubro.

“O Orlando é o nosso candidato. Sempre foi muito partidário e tem trabalhado bastante para destacar a sigla na cidade. Tem atuação impecável como deputado e fez por merecer essa chance de disputar a Prefeitura. Paralelamente a isso, o ex-prefeito Dib, a quem respeito muito, sumiu e deixou uma lacuna considerável. Não tem como trazer seu nome para o processo, porque há muito se isolou das discussões. Sua situação no PSDB é delicada”, citou Canuto.

No início do mês, a executiva e o diretório municipais anunciaram Morando como pré-candidato único do PSDB em São Bernardo. Mas Dib disse que não considerava válida a decisão da cúpula partidária e que só iria definir seu posicionamento durante a convenção do partido. Afirmou ainda que estudava várias possibilidades eleitorais, entre elas colocar o nome como prefeiturável ou até apoiar o deputado federal Alex Manente, pré-candidato ao Paço pelo PPS.

“O fato de o assessor do Dib (Osmar Mendonça) assumir cargo no gabinete de um rival (Alex) comprova uma proximidade. Tudo isso está sendo analisado e visto com muita preocupação. A executiva estadual está ciente e acompanhando tudo. Por isso, o nome do Morando já foi aprovado por eles”, discorreu Canuto.

O coordenador evitou comentar explicitamente sobre o futuro de Dib no tucanato, argumentando que a decisão cabe ao diretório municipal. Contudo, reforçou seu apoio ao grupo liderado por Morando. “Não sei ainda como a executiva de São Bernardo vai tratar esse assunto com o ex-prefeito. Se pedir ajuda, ajudarei. Vou apoiar qual foi a decisão de lá, pois estão fazendo um ótimo trabalho”, comentou. (Colaborou Leandro Baldini)



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Alckmin não impedirá uso de imagem, diz Silvio Torres

Secretário-geral do PSDB diz que governador evitará embate em cidades com projetos de aliados

Raphael Rocha
Do Diário do Grande ABC

24/05/2016 | 07:00


Secretário-geral do PSDB nacional, o deputado federal Silvio Torres avaliou que o governador Geraldo Alckmin (PSDB) evitará ao máximo entrar em embate no primeiro turno na disputa eleitoral em que houver dois candidatos de partidos de seu arco de alianças.

Na visão do parlamentar, Alckmin deverá gravar depoimentos aos prefeituráveis do tucanato, mas não impedirá que postulantes de legendas de sua coalizão usem sua imagem durante a corrida eleitoral. Ele analisou também que o engajamento do governador será total no segundo turno nos municípios onde o aliado terá como rival algum político do PT.

“Na grande maioria dos municípios onde temos aliados em disputa conseguimos dar encaminhamento e juntar as forças. Há lugares onde não foi possível, não teve como unir. Nesses casos, ele (Alckmin) vai dar depoimento para o candidato do partido. Mas não pode também hostilizar nem impedir que usem a imagem dele, no caso dos outros. A estratégia é vencer os adversários. Temos de agir com cautela também”, ponderou Silvio Torres, em entrevista exclusiva ao Diário.

O panorama traçado pelo deputado está desenhado em três cidades do Grande ABC: em Santo André, onde o tucano Paulinho Serra disputa a preferência de Alckmin com o ex-prefeito Aidan Ravin (PSB); em São Bernardo, onde o deputado estadual Orlando Morando (PSDB) rivaliza com o deputado federal Alex Manente (PPS); e em Mauá, onde o parlamentar estadual Atila Jacomussi (PSB) tem como adversário o ex-prefeito Clóvis Volpi (PSDB).

A despeito das rixas municipais entre aliados de Alckmin, Silvio Torres prevê que, no Grande ABC, haverá redução drástica no número de eleitos pelo PT. “Essa história de cinturão vermelho vai acabar, em toda Região Metropolitana e no Grande ABC também”, analisou o deputado. Na região, há três prefeitos petistas: Carlos Grana, em Santo André; Luiz Marinho, em São Bernardo; e Donisete Braga, em Mauá.

DIADEMA
No caso de Diadema, onde o diretório local definiu apoio ao prefeito Lauro Michels (PV) mesmo sem garantias da vice, Silvio Torres pontuou que o episódio está encerrado. “Em Diadema nosso candidato é o Lauro. Não tem discussão.”

A frase do secretário-geral contrasta com a orientação da coordenação regional do PSDB, que quer o ex-vereador e ex-prefeito José Augusto da Silva Ramos (PSDB) como prefeiturável depois de críticas de Lauro ao coordenador Márcio Canuto.

Situação de Dib é delicada, aponta Canuto

Coordenador regional do PSDB, Márcio Canuto afirmou que é “delicada” a situação do ex-prefeito de São Bernardo William Dib no tucanato, ao dizer que o ex-chefe do Executivo não tem condições de tirar do deputado estadual Orlando Morando (PSDB) o comando da candidatura ao governo são-bernardense em outubro.

“O Orlando é o nosso candidato. Sempre foi muito partidário e tem trabalhado bastante para destacar a sigla na cidade. Tem atuação impecável como deputado e fez por merecer essa chance de disputar a Prefeitura. Paralelamente a isso, o ex-prefeito Dib, a quem respeito muito, sumiu e deixou uma lacuna considerável. Não tem como trazer seu nome para o processo, porque há muito se isolou das discussões. Sua situação no PSDB é delicada”, citou Canuto.

No início do mês, a executiva e o diretório municipais anunciaram Morando como pré-candidato único do PSDB em São Bernardo. Mas Dib disse que não considerava válida a decisão da cúpula partidária e que só iria definir seu posicionamento durante a convenção do partido. Afirmou ainda que estudava várias possibilidades eleitorais, entre elas colocar o nome como prefeiturável ou até apoiar o deputado federal Alex Manente, pré-candidato ao Paço pelo PPS.

“O fato de o assessor do Dib (Osmar Mendonça) assumir cargo no gabinete de um rival (Alex) comprova uma proximidade. Tudo isso está sendo analisado e visto com muita preocupação. A executiva estadual está ciente e acompanhando tudo. Por isso, o nome do Morando já foi aprovado por eles”, discorreu Canuto.

O coordenador evitou comentar explicitamente sobre o futuro de Dib no tucanato, argumentando que a decisão cabe ao diretório municipal. Contudo, reforçou seu apoio ao grupo liderado por Morando. “Não sei ainda como a executiva de São Bernardo vai tratar esse assunto com o ex-prefeito. Se pedir ajuda, ajudarei. Vou apoiar qual foi a decisão de lá, pois estão fazendo um ótimo trabalho”, comentou. (Colaborou Leandro Baldini)

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;