Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 24 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Com voto de Tavares, Câmara de S. Bernardo aprova mais cargos no Consórcio


Raphael Rocha
Do Diário do Grande ABC

26/06/2014 | 07:00


Após fazer suspense e condicionar seu voto ao aumento no número de vereadores no conselho consultivo do Consórcio Intermunicipal do Grande ABC, o parlamentar José Walter Tavares (PCdoB), presidente da Comissão de Finanças e Orçamentos da Câmara de São Bernardo, deu parecer favorável ao projeto de lei que autoriza criação de 33 cargos no colegiado de prefeitos. O aval destravou a votação do texto no Legislativo são-bernardense, que por ampla maioria aprovou o item.

Tavares afirmou que foi convencido pelo presidente da Casa, Tião Mateus (PT), que o debate sobre maior representatividade legislativa precisaria ser feito em outro momento, já que o projeto de lei já havia recebido crivo da Câmara de Diadema – o que prejudicaria qualquer discussão em São Bernardo. “Não podemos deixar interromper a vinda de dinheiro para a região por meio do Consórcio. Não é a oportunidade (de discutir o acréscimo de vagas no conselho consultivo)”, reconheceu o comunista, que queria a nomeação de quatro vereadores da região como titulares do grupo consultivo do Consórcio. A entidade abriu indicação de dois vereadores titulares.

A oposição tentou modificar o projeto original, obrigando ao colegiado de prefeitos dar ciência a todas as sete Câmaras dos futuros funcionários públicos da instituição. Também contestou alguns critérios do processo de seleção, como exigência de atuação de três anos em serviço público para determinadas vagas. “Será que esse critério será adotado em todos os concursos?”, questionou Julinho Fuzari (PPS).

Os contrários ao prefeito Luiz Marinho (PT) na Câmara chegaram a esvaziar o plenário na hora da votação, para que não houvesse parlamentares suficientes para o início dos debates sobre o projeto. Com ampla maioria na Casa, o bloco governista impediu a manobra oposicionista e aprovou a proposta. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Com voto de Tavares, Câmara de S. Bernardo aprova mais cargos no Consórcio

Raphael Rocha
Do Diário do Grande ABC

26/06/2014 | 07:00


Após fazer suspense e condicionar seu voto ao aumento no número de vereadores no conselho consultivo do Consórcio Intermunicipal do Grande ABC, o parlamentar José Walter Tavares (PCdoB), presidente da Comissão de Finanças e Orçamentos da Câmara de São Bernardo, deu parecer favorável ao projeto de lei que autoriza criação de 33 cargos no colegiado de prefeitos. O aval destravou a votação do texto no Legislativo são-bernardense, que por ampla maioria aprovou o item.

Tavares afirmou que foi convencido pelo presidente da Casa, Tião Mateus (PT), que o debate sobre maior representatividade legislativa precisaria ser feito em outro momento, já que o projeto de lei já havia recebido crivo da Câmara de Diadema – o que prejudicaria qualquer discussão em São Bernardo. “Não podemos deixar interromper a vinda de dinheiro para a região por meio do Consórcio. Não é a oportunidade (de discutir o acréscimo de vagas no conselho consultivo)”, reconheceu o comunista, que queria a nomeação de quatro vereadores da região como titulares do grupo consultivo do Consórcio. A entidade abriu indicação de dois vereadores titulares.

A oposição tentou modificar o projeto original, obrigando ao colegiado de prefeitos dar ciência a todas as sete Câmaras dos futuros funcionários públicos da instituição. Também contestou alguns critérios do processo de seleção, como exigência de atuação de três anos em serviço público para determinadas vagas. “Será que esse critério será adotado em todos os concursos?”, questionou Julinho Fuzari (PPS).

Os contrários ao prefeito Luiz Marinho (PT) na Câmara chegaram a esvaziar o plenário na hora da votação, para que não houvesse parlamentares suficientes para o início dos debates sobre o projeto. Com ampla maioria na Casa, o bloco governista impediu a manobra oposicionista e aprovou a proposta. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;