Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 27 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Morales: Argentina aceita aumento no preço do gás


Da AFP

11/06/2006 | 20:18


A Argentina aceitou um aumento no preço do gás que compra da Bolívia, informou o presidente boliviano Evo Morales.

O governante socialista revelou que as negociações com seu colega argentino avançaram até estabelecer um aumento inicial de um dólar e meio. Atualmente, a Argentina paga US$ 3,35 pelo milhão de BTU (Unidade Térmica Britânica).

"Até agora avançamos nas negociações com a Argentina. Chegamos a um dólar e meio, mas ontem (sábado) falei com o presidente argentino para lhe dizer que precisamos aumentar até dois dólares", disse num discurso no povoado de Caracollo, a mais de 100 quilômetros de La Paz, onde inaugurou um hospital.

A Argentina importa atualmente 7,7 milhões de metros cúbicos de gás a US$ 3,3 o milhão de BTU (Unidade Térmica Britânica). A Bolívia, que acaba de nacionalizar seus hidrocarbonetos depois de mais de uma década nas mãos de consórcios trasnacionais, pediu para Buenos Aires um aumento até janeiro, quando termina o contrato de fornecimento.

Morales anunciou que as negociações com a Argentina terminarão nesta segunda-feira, com a chegada das autoridades desse país a La Paz no que assegurou ser o primeiro passo para melhorar a renda da exportação do gás.

"A briga é por meio dólar. Em todo caso, vamos negociar e pedir para que o povo argentino e o governo argentino aumentem esse preço. Depois será com o Brasil e com outros governos e empresas", destacou.

Depois da nacionalização do petróleo e do gás, Morales realizou negociações semelhantes para subir o preço do gás para o Brasil, que importa o milhão de BTU por US$ 3,8, uma média de 25 milhões de m3, com base num contrato de 20 anos assinado em 1999.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Morales: Argentina aceita aumento no preço do gás

Da AFP

11/06/2006 | 20:18


A Argentina aceitou um aumento no preço do gás que compra da Bolívia, informou o presidente boliviano Evo Morales.

O governante socialista revelou que as negociações com seu colega argentino avançaram até estabelecer um aumento inicial de um dólar e meio. Atualmente, a Argentina paga US$ 3,35 pelo milhão de BTU (Unidade Térmica Britânica).

"Até agora avançamos nas negociações com a Argentina. Chegamos a um dólar e meio, mas ontem (sábado) falei com o presidente argentino para lhe dizer que precisamos aumentar até dois dólares", disse num discurso no povoado de Caracollo, a mais de 100 quilômetros de La Paz, onde inaugurou um hospital.

A Argentina importa atualmente 7,7 milhões de metros cúbicos de gás a US$ 3,3 o milhão de BTU (Unidade Térmica Britânica). A Bolívia, que acaba de nacionalizar seus hidrocarbonetos depois de mais de uma década nas mãos de consórcios trasnacionais, pediu para Buenos Aires um aumento até janeiro, quando termina o contrato de fornecimento.

Morales anunciou que as negociações com a Argentina terminarão nesta segunda-feira, com a chegada das autoridades desse país a La Paz no que assegurou ser o primeiro passo para melhorar a renda da exportação do gás.

"A briga é por meio dólar. Em todo caso, vamos negociar e pedir para que o povo argentino e o governo argentino aumentem esse preço. Depois será com o Brasil e com outros governos e empresas", destacou.

Depois da nacionalização do petróleo e do gás, Morales realizou negociações semelhantes para subir o preço do gás para o Brasil, que importa o milhão de BTU por US$ 3,8, uma média de 25 milhões de m3, com base num contrato de 20 anos assinado em 1999.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;