Fechar
Publicidade

Sábado, 6 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Oitocentas famílias do Zaíra 4 continuam sem água em Mauá


Marco Borba
Do Diário do Grande ABC

02/06/2006 | 07:46


A falta d'água ainda causa transtornos em Mauá. Agora são os moradores da rua Manoel Alves Ferreira, no Jardim Zaíra 4, que afirmam estar com o fornecimento interrompido há 19 dias. Nesse período, garantem as famílias, a Sama (Saneamento Básico do Município de Mauá) não teria enviado um caminhão-pipa sequer ao local, situado em região de difícil acesso. A rua não possui asfalto e apenas o trecho inicial conta com rede de água. O parte final da via – onde estão as cerca de 800 famílias afetadas – está situada em um loteamento particular invadido.

De acordo com a dona-de-casa Cláudia Maurício Lopes, 30, a situação se agravou após a depredação das instalações do reservatório do Jardim Zaíra 5, na última quinta-feira. O vandalismo teria sido causado por moradores daquele bairro insatisfeitos com a constante falta d' água. Segundo a dona-de-casa, nos últimos dias as famílias pegavam água nas residências que já contam com a rede. "Já não estão mais fornecendo. Alegam que a conta virá muito alta. Queremos que a Sama instale a rede de água na nossa área. Mas até agora isso não ocorreu."

A Sama rebateu a informação de que os moradores da área invadida do Zaíra 4 estejam há 19 dias sem água. O desabastecimento, informa a autarquia, teria ocorrido somente a partir da última quinta-feira, em função dos danos às instalações do reservatório Zaíra 5. Três caminhões deverão ser enviados ao bairro nesta sexta-feira.

Ainda segundo a Sama, o Poder Público não pode ampliar a rede até o final da rua Manoel Alves Ferreira pois as residências estão em área de litígio. Os reparos nas instalações do reservatório do Zaíra 5 devem sem concluídos nesta sexta-feira. No último sábado, o rompimento de uma adutora na avenida Presidente Castelo Branco deixou cerca de 280 mil pessoas sem água na cidade.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Oitocentas famílias do Zaíra 4 continuam sem água em Mauá

Marco Borba
Do Diário do Grande ABC

02/06/2006 | 07:46


A falta d'água ainda causa transtornos em Mauá. Agora são os moradores da rua Manoel Alves Ferreira, no Jardim Zaíra 4, que afirmam estar com o fornecimento interrompido há 19 dias. Nesse período, garantem as famílias, a Sama (Saneamento Básico do Município de Mauá) não teria enviado um caminhão-pipa sequer ao local, situado em região de difícil acesso. A rua não possui asfalto e apenas o trecho inicial conta com rede de água. O parte final da via – onde estão as cerca de 800 famílias afetadas – está situada em um loteamento particular invadido.

De acordo com a dona-de-casa Cláudia Maurício Lopes, 30, a situação se agravou após a depredação das instalações do reservatório do Jardim Zaíra 5, na última quinta-feira. O vandalismo teria sido causado por moradores daquele bairro insatisfeitos com a constante falta d' água. Segundo a dona-de-casa, nos últimos dias as famílias pegavam água nas residências que já contam com a rede. "Já não estão mais fornecendo. Alegam que a conta virá muito alta. Queremos que a Sama instale a rede de água na nossa área. Mas até agora isso não ocorreu."

A Sama rebateu a informação de que os moradores da área invadida do Zaíra 4 estejam há 19 dias sem água. O desabastecimento, informa a autarquia, teria ocorrido somente a partir da última quinta-feira, em função dos danos às instalações do reservatório Zaíra 5. Três caminhões deverão ser enviados ao bairro nesta sexta-feira.

Ainda segundo a Sama, o Poder Público não pode ampliar a rede até o final da rua Manoel Alves Ferreira pois as residências estão em área de litígio. Os reparos nas instalações do reservatório do Zaíra 5 devem sem concluídos nesta sexta-feira. No último sábado, o rompimento de uma adutora na avenida Presidente Castelo Branco deixou cerca de 280 mil pessoas sem água na cidade.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;