Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 20 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Hóquei reúne adeptos no Grande ABC

Persistente, time de São Bernardo busca reestruturação no esporte, que é praticado na quadra do Ginásio Planalto


Felipe Simões
Do Diário do Grande ABC

17/11/2014 | 07:00


Dedicar-se exclusivamente a um esporte não é tarefa das mais fáceis. Quando esse esporte é o hóquei inline, a situação é ainda mais complicada. Porém, a paixão pela prática é o que move o São Bernardo Hóquei Clube, fundado em 1996, a buscar a reestruturação para disputar títulos.

Às segundas e às quartas-feiras, das 19h30 às 21h30, a quadra do Ginásio Planalto, em São Bernardo, recebe os 25 jogadores da agremiação – são 15 atletas federados (aptos a disputar campeonatos oficiais) e mais dez que estão desenvolvendo suas habilidades no esporte.

O hóquei no gelo, modalidade mais conhecida do hóquei inline possui algumas diferenças de regras, como a permissão maior do contato dos jogadores, mas a essência da disputa é a mesma. “A nossa regra não permite violência. No hóquei no gelo existe mais a liberdade do contato e de brigas. Além disso, o puck (disco) é diferente, a borracha é mais dura. Os equipamentos são iguais, só (a lâmina dos) patins que muda. E também não é obrigatório o uso do peitoral”, afirmou o engenheiro e defesa Jaime Santos, 33 anos.

Os equipamentos são uma peculiaridade do esporte. No País, ainda não existem locais que produzam o fardamento necessário para a prática do hóquei, mas nem isso é empecilho para os atletas do São Bernardo Hóquei Clube.

“Atualmente se tornou mais fácil adquirir os equipamentos. Existem lojas físicas e virtuais aqui no Brasil. Os preços, obviamente, não são comparáveis aos dos Estados Unidos, mas é acessível. (Os materiais) São importados”, explicou o bancário são-caetanense Guilherme Michetti, 27 anos.

E se alguma comparação pode ser feita com o futebol, o mais brasileiro dos esportes, é em relação à versatilidade. Michetti é o coringa do São Bernardo Hóquei Clube – além de atacante, é treinador e diretor técnico.
Michetti é um dos que encabeçam a reconstrução do clube. No ano passado, a equipe optou por não disputar campeonatos oficiais para se estruturar para 2014. E deu resultado. Depois de cair para a Segunda Divisão estadual e nacional, o São Bernardo subiu e já disputa a Primeira Divisão do Campeonato Paulista e vai disputar também a elite do Brasileiro, que começa em novembro.

No âmbito estadual, a equipe não alcançou às finais, mas chegou a derrotar o Palmeiras, uma das equipes mais tradicionais do Estado ao lado da Portuguesa. A competição nacional será disputada entre os dias 20 e 23, no Estádio do Canindé, na Capital.

“O esporte é muito atraente. Tem essa questão de, a cada treino, você crescer mais. Atualmente o que me motiva mais é o processo de reconstrução do clube. Estamos encabeçando esse novo projeto e colhendo resultados em curto prazo”, comemorou Michetti.

Equipe tem defensor da Seleção Brasileira no elenco

A reestruturação do São Bernardo Hóquei Clube trouxe para o elenco o defensor Rafael de Magalhães, 33 anos, que defende a Seleção Brasileira de hóquei inline. Vice-campeão mundial em 2012, o atleta já havia tido curta passagem pela equipe no início dos anos 2000, mas sua conexão com a cidade tem outra razão.

“Fui chamado para a Seleção Brasileira pela Portuguesa, em 2009, em um Campeonato Nacional que teve a final em São Bernardo. Tive a felicidade de fazer o gol da vitória e depois disso, fui convocado”, contou.

Experiente, Magalhães exalta o esporte e lembra os benefícios que ele traz para a saúde. “Encorajaria qualquer pessoa a participar. É um esporte rápido, dinâmico e divertido. Você desenvolve várias habilidades, como pensamento rápido, equilíbrio e força. Não é difícil e não é um esporte caro, como as pessoas pensam. Você pode começar com o básico e ir melhorando o equipamento. Hóquei com certeza é o melhor esporte do mundo”, disse, ansioso por voltar para o treino, sem querer perder a ação junto com seus companheiros. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Hóquei reúne adeptos no Grande ABC

Persistente, time de São Bernardo busca reestruturação no esporte, que é praticado na quadra do Ginásio Planalto

Felipe Simões
Do Diário do Grande ABC

17/11/2014 | 07:00


Dedicar-se exclusivamente a um esporte não é tarefa das mais fáceis. Quando esse esporte é o hóquei inline, a situação é ainda mais complicada. Porém, a paixão pela prática é o que move o São Bernardo Hóquei Clube, fundado em 1996, a buscar a reestruturação para disputar títulos.

Às segundas e às quartas-feiras, das 19h30 às 21h30, a quadra do Ginásio Planalto, em São Bernardo, recebe os 25 jogadores da agremiação – são 15 atletas federados (aptos a disputar campeonatos oficiais) e mais dez que estão desenvolvendo suas habilidades no esporte.

O hóquei no gelo, modalidade mais conhecida do hóquei inline possui algumas diferenças de regras, como a permissão maior do contato dos jogadores, mas a essência da disputa é a mesma. “A nossa regra não permite violência. No hóquei no gelo existe mais a liberdade do contato e de brigas. Além disso, o puck (disco) é diferente, a borracha é mais dura. Os equipamentos são iguais, só (a lâmina dos) patins que muda. E também não é obrigatório o uso do peitoral”, afirmou o engenheiro e defesa Jaime Santos, 33 anos.

Os equipamentos são uma peculiaridade do esporte. No País, ainda não existem locais que produzam o fardamento necessário para a prática do hóquei, mas nem isso é empecilho para os atletas do São Bernardo Hóquei Clube.

“Atualmente se tornou mais fácil adquirir os equipamentos. Existem lojas físicas e virtuais aqui no Brasil. Os preços, obviamente, não são comparáveis aos dos Estados Unidos, mas é acessível. (Os materiais) São importados”, explicou o bancário são-caetanense Guilherme Michetti, 27 anos.

E se alguma comparação pode ser feita com o futebol, o mais brasileiro dos esportes, é em relação à versatilidade. Michetti é o coringa do São Bernardo Hóquei Clube – além de atacante, é treinador e diretor técnico.
Michetti é um dos que encabeçam a reconstrução do clube. No ano passado, a equipe optou por não disputar campeonatos oficiais para se estruturar para 2014. E deu resultado. Depois de cair para a Segunda Divisão estadual e nacional, o São Bernardo subiu e já disputa a Primeira Divisão do Campeonato Paulista e vai disputar também a elite do Brasileiro, que começa em novembro.

No âmbito estadual, a equipe não alcançou às finais, mas chegou a derrotar o Palmeiras, uma das equipes mais tradicionais do Estado ao lado da Portuguesa. A competição nacional será disputada entre os dias 20 e 23, no Estádio do Canindé, na Capital.

“O esporte é muito atraente. Tem essa questão de, a cada treino, você crescer mais. Atualmente o que me motiva mais é o processo de reconstrução do clube. Estamos encabeçando esse novo projeto e colhendo resultados em curto prazo”, comemorou Michetti.

Equipe tem defensor da Seleção Brasileira no elenco

A reestruturação do São Bernardo Hóquei Clube trouxe para o elenco o defensor Rafael de Magalhães, 33 anos, que defende a Seleção Brasileira de hóquei inline. Vice-campeão mundial em 2012, o atleta já havia tido curta passagem pela equipe no início dos anos 2000, mas sua conexão com a cidade tem outra razão.

“Fui chamado para a Seleção Brasileira pela Portuguesa, em 2009, em um Campeonato Nacional que teve a final em São Bernardo. Tive a felicidade de fazer o gol da vitória e depois disso, fui convocado”, contou.

Experiente, Magalhães exalta o esporte e lembra os benefícios que ele traz para a saúde. “Encorajaria qualquer pessoa a participar. É um esporte rápido, dinâmico e divertido. Você desenvolve várias habilidades, como pensamento rápido, equilíbrio e força. Não é difícil e não é um esporte caro, como as pessoas pensam. Você pode começar com o básico e ir melhorando o equipamento. Hóquei com certeza é o melhor esporte do mundo”, disse, ansioso por voltar para o treino, sem querer perder a ação junto com seus companheiros. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;