Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 20 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Ramalhão apresenta
o meia Diego Biro

Filho do folclórico Biro-Biro irá reforçar o Santo André na
Série A-2 do Campeonato Paulista; ele já treina com elenco


Thiago Bassan
Do Diário do Grande ABC

21/11/2012 | 07:07


Filho de Peixe... Da mesma forma que o pai, que brilhou no futebol brasileiro com a camisa do Corinthians, Diego Biro, 27 anos, filho do folclórico ex-jogador Biro-Biro, espera o mesmo sucesso com a camisa do Santo André. O atleta foi anunciado ontem como primeiro reforço do Ramalhão para a Série A-2 do Campeonato Paulista em 2013. O meia, que estava no Águia de Marabá (PA), participou ontem do primeiro treinamento ao lado dos novos companheiros. E promete empenho com a camisa ramalhina.

 

"Estou contente com a oportunidade no Santo André e vou fazer de tudo para que esta torcida maravilhosa volte a sorrir e ter alegrias com o time. Sabemos que o momento não é favorável (acabou de ser rebaixado para a Série D), mas tenho certeza que os jogadores que estão chegando vão tentar tirar a equipe da A-2 e conquistar o sonhado acesso", declarou.

Diego foi contratado para uma posição carente no elenco andreense. Atualmente, o clube conta com apenas três jogadores para o setor, sendo que apenas Chiquinho estava no elenco profissional que disputou a Série C do Campeonato Brasileiro. Os outros dois meias são Carlinhos e Guilherme, vindos da base.

 

O reforço não esconde a preferência por jogar do lado esquerdo, na armação de jogadas. "Sou meia e costumo atuar por ali (esquerda). Sou técnico, mas não sou rápido, e sei ajudar na marcação. Minha principal característica é finalizar no gol ou até mesmo servir os companheiros. Vou deixar para o professor decidir onde ele prefere me escalar. Estou aqui para ajudar o grupo e buscar meu lugar no time", disse o jogador.

 

Com o ‘peso' nas costas de ser filho de um dos jogadores de grande destaque no futebol nacional, Diego minimiza o fato de carregar o nome do pai e diz estar acostumado com os comentários e as comparações entre seu futebol e o do ex-volante do Corinthians. "Já me acostumei com isso. No começo da minha carreira pesava um pouco, mas agora não sinto mais, aprendi a lidar com essa situação. Sei que a cobrança é maior por ser filho dele, pelo que meu pai representa, mas consigo adminsitrar isso da melhor maneira possível", declarou.

 

No que depender do pai, que acompanhou de perto a apresentação, Diego tem talento de sobra para brilhar com a camisa do Ramalhão. "Ele tem qualidade, é um meia, que pode jogar até como atacante, não é jogador como fui, de pegada e marcação. Diego é jogador mais clássico, do estilo do Paulo Henrique Ganso", disse Biro-Biro.

 

Itamar Schulle espera chegada de mais jogadores

 

Embora esteja satisfeito com a força de vontade demonstrada pelos jovens das categorias de base que vão vestir a camisa do Santo André na Série A-2 do Campeonato Paulista, o técnico Itamar Schulle entende que o clube precisa de mais algumas peças.

 

Sem citar nomes ou posições, o treinador sabe da necessidade do clube em adquirir novos atletas, mas torce pelo bom desempenho da garotada para que, dessa maneira,poucas vagas precisem ser preenchidas. "Hoje temos nomes que combinam com o clube, mas vamos começar lá de trás. Tivemos a saída de dois grandes goleiros (Marcelo Bonan e Gustavo), e agora estamos dando oportunidade para os novos. Vamos ter que contratar. O time deve se reforçar em quase todas as posições. Então, quanto mais os novos atletas aproveitarem as oportunidades, menos nomes serão necessários. Mas sem dúvida vamos precisar reforçar a equipe, pois só assim poderemos chegar aos nossos objetivos no ano que vem", analisou o treinador.

 

CONCORRENTES

 

O técnico do Ramalhão não aponta os principais adversários na busca pelo acesso. Segundo Schulle, a competição é muito nivelada, por isso nenhum time pode ser apontado como favorito.

 

"Não existe um clube específico, o campeonato é muito forte, se falarmos um ou outro nome, vamos esquecer até pela força que o torneio tem. Os investimentos são altos, o Rio Branco (de Americana) está com dinheiro pesado, a Portuguesa virá forte, temos também a Ferroviária, Audax, Red Bull, então precisamos fazer nossa parte com determinação, para que o clube não sofra no final como ocorreu na Série A-2 de 2012".


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Ramalhão apresenta
o meia Diego Biro

Filho do folclórico Biro-Biro irá reforçar o Santo André na
Série A-2 do Campeonato Paulista; ele já treina com elenco

Thiago Bassan
Do Diário do Grande ABC

21/11/2012 | 07:07


Filho de Peixe... Da mesma forma que o pai, que brilhou no futebol brasileiro com a camisa do Corinthians, Diego Biro, 27 anos, filho do folclórico ex-jogador Biro-Biro, espera o mesmo sucesso com a camisa do Santo André. O atleta foi anunciado ontem como primeiro reforço do Ramalhão para a Série A-2 do Campeonato Paulista em 2013. O meia, que estava no Águia de Marabá (PA), participou ontem do primeiro treinamento ao lado dos novos companheiros. E promete empenho com a camisa ramalhina.

 

"Estou contente com a oportunidade no Santo André e vou fazer de tudo para que esta torcida maravilhosa volte a sorrir e ter alegrias com o time. Sabemos que o momento não é favorável (acabou de ser rebaixado para a Série D), mas tenho certeza que os jogadores que estão chegando vão tentar tirar a equipe da A-2 e conquistar o sonhado acesso", declarou.

Diego foi contratado para uma posição carente no elenco andreense. Atualmente, o clube conta com apenas três jogadores para o setor, sendo que apenas Chiquinho estava no elenco profissional que disputou a Série C do Campeonato Brasileiro. Os outros dois meias são Carlinhos e Guilherme, vindos da base.

 

O reforço não esconde a preferência por jogar do lado esquerdo, na armação de jogadas. "Sou meia e costumo atuar por ali (esquerda). Sou técnico, mas não sou rápido, e sei ajudar na marcação. Minha principal característica é finalizar no gol ou até mesmo servir os companheiros. Vou deixar para o professor decidir onde ele prefere me escalar. Estou aqui para ajudar o grupo e buscar meu lugar no time", disse o jogador.

 

Com o ‘peso' nas costas de ser filho de um dos jogadores de grande destaque no futebol nacional, Diego minimiza o fato de carregar o nome do pai e diz estar acostumado com os comentários e as comparações entre seu futebol e o do ex-volante do Corinthians. "Já me acostumei com isso. No começo da minha carreira pesava um pouco, mas agora não sinto mais, aprendi a lidar com essa situação. Sei que a cobrança é maior por ser filho dele, pelo que meu pai representa, mas consigo adminsitrar isso da melhor maneira possível", declarou.

 

No que depender do pai, que acompanhou de perto a apresentação, Diego tem talento de sobra para brilhar com a camisa do Ramalhão. "Ele tem qualidade, é um meia, que pode jogar até como atacante, não é jogador como fui, de pegada e marcação. Diego é jogador mais clássico, do estilo do Paulo Henrique Ganso", disse Biro-Biro.

 

Itamar Schulle espera chegada de mais jogadores

 

Embora esteja satisfeito com a força de vontade demonstrada pelos jovens das categorias de base que vão vestir a camisa do Santo André na Série A-2 do Campeonato Paulista, o técnico Itamar Schulle entende que o clube precisa de mais algumas peças.

 

Sem citar nomes ou posições, o treinador sabe da necessidade do clube em adquirir novos atletas, mas torce pelo bom desempenho da garotada para que, dessa maneira,poucas vagas precisem ser preenchidas. "Hoje temos nomes que combinam com o clube, mas vamos começar lá de trás. Tivemos a saída de dois grandes goleiros (Marcelo Bonan e Gustavo), e agora estamos dando oportunidade para os novos. Vamos ter que contratar. O time deve se reforçar em quase todas as posições. Então, quanto mais os novos atletas aproveitarem as oportunidades, menos nomes serão necessários. Mas sem dúvida vamos precisar reforçar a equipe, pois só assim poderemos chegar aos nossos objetivos no ano que vem", analisou o treinador.

 

CONCORRENTES

 

O técnico do Ramalhão não aponta os principais adversários na busca pelo acesso. Segundo Schulle, a competição é muito nivelada, por isso nenhum time pode ser apontado como favorito.

 

"Não existe um clube específico, o campeonato é muito forte, se falarmos um ou outro nome, vamos esquecer até pela força que o torneio tem. Os investimentos são altos, o Rio Branco (de Americana) está com dinheiro pesado, a Portuguesa virá forte, temos também a Ferroviária, Audax, Red Bull, então precisamos fazer nossa parte com determinação, para que o clube não sofra no final como ocorreu na Série A-2 de 2012".

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;