Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 20 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Tropas curdas se preparam para guerra no Iraque


Da AFP

14/01/2003 | 09:58


As tropas da União Patriótica do Curdistão (UPC) intensificam seu treinamento à medida que cresce a ameaça de um ataque ao Iraque, segundo seus chefes, sem saber se os americanos vão recutrá-los para libertar Bagdá.

"Sim", responde simplesmente Mustafá Said Qader, comandante dos milicianos curdos (os peshmergas) da UPC, quando questionado se está impaciente pela ofensiva americana. Como foi torturado e mantido preso durante quinze meses pelo regime do presidente Saddam Hussein no começo dos anos 90, tem razões pessoais para desejar a prisão, o julgamento e execução do "ditador", a quem preferia, no entanto, matar com as próprias mãos.

Apesar disso, como todas as autoridades políticas e militares da UPC em Suleimaniya, no Curdistão iraquiano que escapa ao controle de Bagdá, o comandante Qader disse não conhecer os planos dos Estados Unidos, apesar de não ter dúvidas de que o ataque vai acontecer.

Massud Barzani, chefe do Partido Democrático do Curdistão (PDC), organização rival da UPC, que divide o controle do Curdistão, disse ontem à imprensa libanesa que suas forças não teriam "qualquer papel" na guerra.

O chefe da UPC, Khalal Talabani, mostrou-se menos categórico três dias antes em Teerã, quando declarou que, como os americanos, os curdos também tinham seus próprios planos.

Ao ser indagado sobre a presença discreta de agentes da Agência Central Americana (CIA) no Curdistão, Adnan Al-Mufty, uma das autoridades da UPC, que prevê o começo das hostilidades para final de fevereiro, disse manter boas relações com americanos, mas que ignora se fazem parte da CIA.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Tropas curdas se preparam para guerra no Iraque

Da AFP

14/01/2003 | 09:58


As tropas da União Patriótica do Curdistão (UPC) intensificam seu treinamento à medida que cresce a ameaça de um ataque ao Iraque, segundo seus chefes, sem saber se os americanos vão recutrá-los para libertar Bagdá.

"Sim", responde simplesmente Mustafá Said Qader, comandante dos milicianos curdos (os peshmergas) da UPC, quando questionado se está impaciente pela ofensiva americana. Como foi torturado e mantido preso durante quinze meses pelo regime do presidente Saddam Hussein no começo dos anos 90, tem razões pessoais para desejar a prisão, o julgamento e execução do "ditador", a quem preferia, no entanto, matar com as próprias mãos.

Apesar disso, como todas as autoridades políticas e militares da UPC em Suleimaniya, no Curdistão iraquiano que escapa ao controle de Bagdá, o comandante Qader disse não conhecer os planos dos Estados Unidos, apesar de não ter dúvidas de que o ataque vai acontecer.

Massud Barzani, chefe do Partido Democrático do Curdistão (PDC), organização rival da UPC, que divide o controle do Curdistão, disse ontem à imprensa libanesa que suas forças não teriam "qualquer papel" na guerra.

O chefe da UPC, Khalal Talabani, mostrou-se menos categórico três dias antes em Teerã, quando declarou que, como os americanos, os curdos também tinham seus próprios planos.

Ao ser indagado sobre a presença discreta de agentes da Agência Central Americana (CIA) no Curdistão, Adnan Al-Mufty, uma das autoridades da UPC, que prevê o começo das hostilidades para final de fevereiro, disse manter boas relações com americanos, mas que ignora se fazem parte da CIA.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;