Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 19 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Caldeirão popular

Banda 1e99 aposta na mistura e na diversão


Thiago Mariano
Do Diário do Grande ABC

01/12/2012 | 07:00


Depois de dois discos nos quais, respectivamente, deram nova cor às canções de Carmen Miranda e Noel Rosa, os caras do 1e99 agora chegam para mostrar trabalho autoral com o lançamento de I'm Cool (MZA Music, preço médio R$ 23). Mistura geral define o som da banda, que no estilo tropicalista busca refinar um leque de influências para a atualidade.

Diversão e a cultura popular são os principais elementos dessa relação entre o novo, o velho, o brega e o erudito. Algo à la Chacrinha, como eles mesmos dizem. Tanto que até a Gretchen eles cooptaram para gravar a faixa homônima ao disco, que ganhou vídeo que fez sucesso no YouTube e inaugurou essa nova fase do grupo em grande estilo. "A Gretchen vive no imaginário coletivo. Mesmo com todas as polêmicas, o que realço dela é o vocal atemporal e com apelo pop. O sucesso de I'm Cool provou isso", conta o vocalista Rody, que assina oito das 11 faixas do disco. Outras duas são Fita Amarela, de Noel Rosa, e Abre Alas, de Chiquinha Gonzaga. A última é uma versão mais dançante de I'm Cool.

"Surgimos querendo unir um trabalho de espírito popular com a diversão. Queríamos nos comunicar com a nova geração, que curte roupagem eletrônica, e com a mais antiga, da época desses ícones de sucesso que resgatamos. Tudo fazendo link com o povo, essa coisa das letras de Carnaval, de duplo sentido, do descompromisso e da diversão. Queríamos juntar dois públicos que aparentemente não se misturavam", conta ele.

"Está no DNA do brasileiro esse espírito carnavalesco. Transcende a ocasião e dura o ano inteiro." Para a diversão não ficar restrita às letras de duplo sentido, eles apostam no groove para rechear a receita. E fazer a pessoa, mais do que ter vontade de rir, dançar. "Hoje também tem muita gente que quer se divertir sem compromisso, sem pensar muito. E com a internet os artistas estão achando novos caminhos. Não existe mais música boa, existe música assim ou assado. Para a gente é novidade ter um acesso maior das pessoas ao nosso trabalho. Estamos muito felizes e trabalhando muito."



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Caldeirão popular

Banda 1e99 aposta na mistura e na diversão

Thiago Mariano
Do Diário do Grande ABC

01/12/2012 | 07:00


Depois de dois discos nos quais, respectivamente, deram nova cor às canções de Carmen Miranda e Noel Rosa, os caras do 1e99 agora chegam para mostrar trabalho autoral com o lançamento de I'm Cool (MZA Music, preço médio R$ 23). Mistura geral define o som da banda, que no estilo tropicalista busca refinar um leque de influências para a atualidade.

Diversão e a cultura popular são os principais elementos dessa relação entre o novo, o velho, o brega e o erudito. Algo à la Chacrinha, como eles mesmos dizem. Tanto que até a Gretchen eles cooptaram para gravar a faixa homônima ao disco, que ganhou vídeo que fez sucesso no YouTube e inaugurou essa nova fase do grupo em grande estilo. "A Gretchen vive no imaginário coletivo. Mesmo com todas as polêmicas, o que realço dela é o vocal atemporal e com apelo pop. O sucesso de I'm Cool provou isso", conta o vocalista Rody, que assina oito das 11 faixas do disco. Outras duas são Fita Amarela, de Noel Rosa, e Abre Alas, de Chiquinha Gonzaga. A última é uma versão mais dançante de I'm Cool.

"Surgimos querendo unir um trabalho de espírito popular com a diversão. Queríamos nos comunicar com a nova geração, que curte roupagem eletrônica, e com a mais antiga, da época desses ícones de sucesso que resgatamos. Tudo fazendo link com o povo, essa coisa das letras de Carnaval, de duplo sentido, do descompromisso e da diversão. Queríamos juntar dois públicos que aparentemente não se misturavam", conta ele.

"Está no DNA do brasileiro esse espírito carnavalesco. Transcende a ocasião e dura o ano inteiro." Para a diversão não ficar restrita às letras de duplo sentido, eles apostam no groove para rechear a receita. E fazer a pessoa, mais do que ter vontade de rir, dançar. "Hoje também tem muita gente que quer se divertir sem compromisso, sem pensar muito. E com a internet os artistas estão achando novos caminhos. Não existe mais música boa, existe música assim ou assado. Para a gente é novidade ter um acesso maior das pessoas ao nosso trabalho. Estamos muito felizes e trabalhando muito."

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;