Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 25 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Morando anuncia aumento dos restos a pagar

Denis Maciel/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Projeção era de dívidas na ordem de R$ 143 mi: ‘Quantia pode crescer’


Humberto Domiciano
Do Diário do Grande ABC

27/01/2017 | 07:00


O prefeito de São Bernardo, Orlando Morando (PSDB), apresentou ontem a consolidação dos restos a pagar herdados da gestão anterior, do ex-prefeito Luiz Marinho (PT). A soma, segundo o chefe do Executivo, chegou aos R$ 196 milhões, valor superior aos R$ 143 milhões registrados no começo do mês de janeiro.

“Encontramos dívidas que não eram conhecidas durante a transição e isso não quer dizer que encontramos todas, porque tem credor que não se manifestou. Então, pode ser que ainda aumente”, destacou Morando.

O prefeito comentou sobre as obras paralisadas no município por falta de recursos. Segundo ele, está sendo realizada auditoria nos contratos para que se tenha o valor exato que será demandado como contrapartida para a conclusão dos projetos e entrega das obras.

Ainda de acordo com o tucano, atualmente o município atingiu o limite de endividamento e não está habilitado para receber novos financiamentos por parte da Caixa Econômica Federal.

Morando disse também que serviços como Saúde e Educação não serão afetados. “Estamos priorizando essas áreas, que não correm riscos. Mas novos investimentos na atual situação são inviáveis”, afirmou.

Em sua explanação, o prefeito detalhou que seguirá com o processo de contingenciamento e redução nos contratos. “Com a austeridade nos gastos será possível trazer mais recursos. Medidas como o reequilíbrio dos valores e a redução da dívida são importantes neste contexto”, completou.

No começo do mês, Morando anunciou medidas que estabelecem como meta a economia de R$ 150 milhões até o fim de 2017. O corte no repasse da subvenção para escolas de samba da cidade, a redução de 80% no pagamento de aluguel de prédios públicos ligados à administração municipal e extinção de 100% das horas extras, com exceção da Saúde, a partir de 1º de fevereiro, foram alguns dos procedimentos adotados.

Além disso, foi anunciado também o congelamento de cargos em comissão em 30% (num total de 1.000 postos de trabalho). 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Morando anuncia aumento dos restos a pagar

Projeção era de dívidas na ordem de R$ 143 mi: ‘Quantia pode crescer’

Humberto Domiciano
Do Diário do Grande ABC

27/01/2017 | 07:00


O prefeito de São Bernardo, Orlando Morando (PSDB), apresentou ontem a consolidação dos restos a pagar herdados da gestão anterior, do ex-prefeito Luiz Marinho (PT). A soma, segundo o chefe do Executivo, chegou aos R$ 196 milhões, valor superior aos R$ 143 milhões registrados no começo do mês de janeiro.

“Encontramos dívidas que não eram conhecidas durante a transição e isso não quer dizer que encontramos todas, porque tem credor que não se manifestou. Então, pode ser que ainda aumente”, destacou Morando.

O prefeito comentou sobre as obras paralisadas no município por falta de recursos. Segundo ele, está sendo realizada auditoria nos contratos para que se tenha o valor exato que será demandado como contrapartida para a conclusão dos projetos e entrega das obras.

Ainda de acordo com o tucano, atualmente o município atingiu o limite de endividamento e não está habilitado para receber novos financiamentos por parte da Caixa Econômica Federal.

Morando disse também que serviços como Saúde e Educação não serão afetados. “Estamos priorizando essas áreas, que não correm riscos. Mas novos investimentos na atual situação são inviáveis”, afirmou.

Em sua explanação, o prefeito detalhou que seguirá com o processo de contingenciamento e redução nos contratos. “Com a austeridade nos gastos será possível trazer mais recursos. Medidas como o reequilíbrio dos valores e a redução da dívida são importantes neste contexto”, completou.

No começo do mês, Morando anunciou medidas que estabelecem como meta a economia de R$ 150 milhões até o fim de 2017. O corte no repasse da subvenção para escolas de samba da cidade, a redução de 80% no pagamento de aluguel de prédios públicos ligados à administração municipal e extinção de 100% das horas extras, com exceção da Saúde, a partir de 1º de fevereiro, foram alguns dos procedimentos adotados.

Além disso, foi anunciado também o congelamento de cargos em comissão em 30% (num total de 1.000 postos de trabalho). 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;