Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 12 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Sem Hermosillo, Necaxa espera mostrar bom futebol


Do Diário do Grande ABC

02/01/2000 | 16:34


O representante da Concacaf - que engloba América do Norte, Central e Caribe - no Mundial de Clubes é o mexicano Necaxa, do atacante equatoriano Alex Aguinaga, 31 anos, a principal estrela do time. O Necaxa ganhou o direito de disputar o Mundial porque venceu o Alajuelense da Costa Rica (2 a 1) na decisao da Copa dos Campeoes da Concacaf, em outubro. O maior problema do técnico Raúl Arias é falta de ritmo de jogo de sua equipe, que nao joga uma partida oficial desde 1° dezembro, quando foi eliminada pelo Cruz Azul nas quartas-de-final do Campeonato Mexicano.

Apesar disso, Arias, de 42 anos, tem certeza de que o Necaxa representará bem a Concacaf na competiçao. O discurso do treinador nao é novo: "Vamos jogar com audácia, mas sem respeitar demais nossos adversários. Afinal de contas, sao onze contra onze dentro do campo."

Dos 23 jogadores que o Necaxa trouxe ao Brasil, seis sao sul-americanos. Além de Aguinaga, que recentemente reformou contrato, foram incluídos na delegaçao os uruguaios Sérgio Vazquez (que se recupera de contusao) e Andrés Scotti, o chileno Christian Montesinos, o argentino Hernán Vigna e outro equatoriano, Agustin Delgado. Destes, apenas Aguinaga é conhecido dos brasileiros.

O Necaxa sofreu uma baixa pouco antes do Mundial. O experiente atacantes Carlos Hermosillo aceitou uma porposta do América, o time mais rico do país, e e deixou o time dia 16 de dezembro. Hermosillo está fazendo pré-temporada com o América.

Os jogadores reconhecem que nao estao no melhor momento físico para enfrentar uma competiçao tao importante. "Depois de ficar tanto tempo parados, nao estamos no nosso auge. O correto seria dizer que estamos com 80% das nossas condiçoes físicas", disse o veterano volante Ignácio Ambriz, com passagem pela Seleçao do México. Entretanto, o goleiro Pineda lembrou: "Nao temos muita coisa para perder. Enfrentaremos o Manchester, a melhor equipe do mundo, no Estádio do Maracana. Vai ser uma emoçao para todos nós."

Quanto aos adversários, Arias prevê muitas dificuldades para tentar vencer o Grupo A, com sede no Rio de Janeiro, com Vasco, Manchester United e South Melbourne. A estréia será no dia 6, contra o Manchester. "Sabemos da enorme qualidade dos ingleses, mas nao iremos nos intimidar por isso. No futebol nao existem rivais fracos. Quanto aos nosso outros dois adversários farei uma análise melhor deles depois que eu os observar na primeira rodada do nosso grupo", afirmou Arias.

Em termos de títulos, o Necaxa, da Cidade do México, que manda seus jogos no Estádio Azteca, tem tradiçao no futebol mexicano. Já venceu o campeonato nacional sete vezes (o último deles em 98), mesmo número de vezes que conquistou a Copa do México. Também conquistou três ediçoes da Copa da Concacaf. Otimista, o zagueiro Sérgio Almaguer falou: "Temos a ilusao de presentear o povo mexicano com um bom desempenho no Mundial."

Time-base: Pineda, Cabrera, Almaguer, Ambriz e Lopez; Scotti, Vigna, Aguinaga e Montesinos; Vazquez e Delgado.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Sem Hermosillo, Necaxa espera mostrar bom futebol

Do Diário do Grande ABC

02/01/2000 | 16:34


O representante da Concacaf - que engloba América do Norte, Central e Caribe - no Mundial de Clubes é o mexicano Necaxa, do atacante equatoriano Alex Aguinaga, 31 anos, a principal estrela do time. O Necaxa ganhou o direito de disputar o Mundial porque venceu o Alajuelense da Costa Rica (2 a 1) na decisao da Copa dos Campeoes da Concacaf, em outubro. O maior problema do técnico Raúl Arias é falta de ritmo de jogo de sua equipe, que nao joga uma partida oficial desde 1° dezembro, quando foi eliminada pelo Cruz Azul nas quartas-de-final do Campeonato Mexicano.

Apesar disso, Arias, de 42 anos, tem certeza de que o Necaxa representará bem a Concacaf na competiçao. O discurso do treinador nao é novo: "Vamos jogar com audácia, mas sem respeitar demais nossos adversários. Afinal de contas, sao onze contra onze dentro do campo."

Dos 23 jogadores que o Necaxa trouxe ao Brasil, seis sao sul-americanos. Além de Aguinaga, que recentemente reformou contrato, foram incluídos na delegaçao os uruguaios Sérgio Vazquez (que se recupera de contusao) e Andrés Scotti, o chileno Christian Montesinos, o argentino Hernán Vigna e outro equatoriano, Agustin Delgado. Destes, apenas Aguinaga é conhecido dos brasileiros.

O Necaxa sofreu uma baixa pouco antes do Mundial. O experiente atacantes Carlos Hermosillo aceitou uma porposta do América, o time mais rico do país, e e deixou o time dia 16 de dezembro. Hermosillo está fazendo pré-temporada com o América.

Os jogadores reconhecem que nao estao no melhor momento físico para enfrentar uma competiçao tao importante. "Depois de ficar tanto tempo parados, nao estamos no nosso auge. O correto seria dizer que estamos com 80% das nossas condiçoes físicas", disse o veterano volante Ignácio Ambriz, com passagem pela Seleçao do México. Entretanto, o goleiro Pineda lembrou: "Nao temos muita coisa para perder. Enfrentaremos o Manchester, a melhor equipe do mundo, no Estádio do Maracana. Vai ser uma emoçao para todos nós."

Quanto aos adversários, Arias prevê muitas dificuldades para tentar vencer o Grupo A, com sede no Rio de Janeiro, com Vasco, Manchester United e South Melbourne. A estréia será no dia 6, contra o Manchester. "Sabemos da enorme qualidade dos ingleses, mas nao iremos nos intimidar por isso. No futebol nao existem rivais fracos. Quanto aos nosso outros dois adversários farei uma análise melhor deles depois que eu os observar na primeira rodada do nosso grupo", afirmou Arias.

Em termos de títulos, o Necaxa, da Cidade do México, que manda seus jogos no Estádio Azteca, tem tradiçao no futebol mexicano. Já venceu o campeonato nacional sete vezes (o último deles em 98), mesmo número de vezes que conquistou a Copa do México. Também conquistou três ediçoes da Copa da Concacaf. Otimista, o zagueiro Sérgio Almaguer falou: "Temos a ilusao de presentear o povo mexicano com um bom desempenho no Mundial."

Time-base: Pineda, Cabrera, Almaguer, Ambriz e Lopez; Scotti, Vigna, Aguinaga e Montesinos; Vazquez e Delgado.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;