Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 19 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Justiça nega bloqueio do YouTube no Brasil


Do Diário OnLine

05/01/2007 | 16:38


O Tribunal de Justiça de São Paulo negou na noite desta quinta-feira que o YouTube será retirado do ar no Brasil, por conta da batalha legal envolvendo a modelo Daniella Cicarelli e o site de compartilhamento de vídeos.

A informação do bloqueio do YouTube foi dada ontem pelo advogado Rubens Decoussau Tilkian, que representa a modelo e seu namorado, o empresário Renato Malzoni. No entanto, o desembargador Ênio Santarelli Zuliani afirmou, por meio de sua assessoria, que o bloqueio se refere apenas ao vídeo do casal.

Nas imagens, Cicarelli e Tato – como é conhecido - trocam beijos e abraços na areia em uma praia na Espanha. Depois, o clima esquenta e os dois entram no mar, onde aparentam manter relações sexuais.

O vídeo, filmado sem a autorização do casal, foi divulgado amplamente pela Internet. Usuários do YouTube também o divulgaram, assim como os sites da Globo.com e do IG. Em razão disso, o casal entrou com duas ações na Justiça: uma solicitando uma indenização por danos morais e outra pedindo a retirada do das imagens do ar.

A solicitação foi acatada e o TJ-SP concedeu uma liminar obrigando os sites a excluir o conteúdo, sob pena de multa diária. O YouTube, comprado recentemente pela empresa norte-americana Google, foi o único a não atender à solicitação.

O advogado do casal, Rubens Decoussau Tilkian, disse que o possível bloqueio do YouTube não tem nada a ver com censura. “É uma decisão inédita no sentido de que um site que está locado nos Estados Unidos vai ter o seu serviço bloqueado, mas não se trata de censura porque é uma violação de uma ordem judicial. Se essa ordem fosse cumprida, isso não estaria acontecendo”.

Tilkian ainda se disse um “defensor da Internet”, mas acrescentou que esse “veículo democrático e importante deve atender a alguns limites”. “A divulgação não pode ser ilimitada, de forma a aferir direitos de terceiros”, disse.

A assessoria do Google no Brasil informou que, no momento, a empresa não vai se pronunciar sobre o caso e que está tentando verificar quem deve responder pelo YouTube, já que, apesar de ter sido adquirido pela Google Inc., o site estaria funcionando de forma independente.


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Justiça nega bloqueio do YouTube no Brasil

Do Diário OnLine

05/01/2007 | 16:38


O Tribunal de Justiça de São Paulo negou na noite desta quinta-feira que o YouTube será retirado do ar no Brasil, por conta da batalha legal envolvendo a modelo Daniella Cicarelli e o site de compartilhamento de vídeos.

A informação do bloqueio do YouTube foi dada ontem pelo advogado Rubens Decoussau Tilkian, que representa a modelo e seu namorado, o empresário Renato Malzoni. No entanto, o desembargador Ênio Santarelli Zuliani afirmou, por meio de sua assessoria, que o bloqueio se refere apenas ao vídeo do casal.

Nas imagens, Cicarelli e Tato – como é conhecido - trocam beijos e abraços na areia em uma praia na Espanha. Depois, o clima esquenta e os dois entram no mar, onde aparentam manter relações sexuais.

O vídeo, filmado sem a autorização do casal, foi divulgado amplamente pela Internet. Usuários do YouTube também o divulgaram, assim como os sites da Globo.com e do IG. Em razão disso, o casal entrou com duas ações na Justiça: uma solicitando uma indenização por danos morais e outra pedindo a retirada do das imagens do ar.

A solicitação foi acatada e o TJ-SP concedeu uma liminar obrigando os sites a excluir o conteúdo, sob pena de multa diária. O YouTube, comprado recentemente pela empresa norte-americana Google, foi o único a não atender à solicitação.

O advogado do casal, Rubens Decoussau Tilkian, disse que o possível bloqueio do YouTube não tem nada a ver com censura. “É uma decisão inédita no sentido de que um site que está locado nos Estados Unidos vai ter o seu serviço bloqueado, mas não se trata de censura porque é uma violação de uma ordem judicial. Se essa ordem fosse cumprida, isso não estaria acontecendo”.

Tilkian ainda se disse um “defensor da Internet”, mas acrescentou que esse “veículo democrático e importante deve atender a alguns limites”. “A divulgação não pode ser ilimitada, de forma a aferir direitos de terceiros”, disse.

A assessoria do Google no Brasil informou que, no momento, a empresa não vai se pronunciar sobre o caso e que está tentando verificar quem deve responder pelo YouTube, já que, apesar de ter sido adquirido pela Google Inc., o site estaria funcionando de forma independente.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;