Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 18 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

diarinho@dgabc.com.br | 4435-8396

Estrela-do-mar é planta ou animal?

Orlando Filho/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Caroline Ropero
Do Diário do Grande ABC

27/01/2013 | 07:00


A estrela-do-mar é animal marinho, encontrada em todos os mares do mundo. O corpo pode ser liso ou áspero e coberto por pequenos espinhos. A maior parte das espécies tem cinco braços, mas há outras com nove ou até mais de 20. Apesar de o corpo ser duro, consegue dobrá-lo para se locomover e encontrar comida.

A maioria é carnívora e se alimenta de moluscos (mexilhões e ostras), crustáceos (cracas e tatuís), equinodermos (ouriços-do-mar e outras estrelas), esponjas e corais. Como não tem dentes, abre a boca e coloca o estômago para fora em volta da presa na hora de comer. Então, solta o suco gástrico, que dissolve o alimento, e o suga. Depois da refeição, o órgão é recolhido para dentro.

Muitas vezes, precisa de força e paciência para comer. Os moluscos, por exemplo, podem estar protegidos por concha fechada. A estrela-do-mar fica em cima do animal esperando que ela abra um pouco. Quando isso acontece, a predadora força a abertura da concha até conseguir atingir o corpo do animal.

Na ponta de cada braço há um órgão chamado ocelo (tipo de olho primitivo), que vê luz, sombra e permite a percepção do ambiente ao seu redor. Outra curiosidade é que, se perder um dos braços, ele pode ser reconstituído. Suas células são capazes de se multiplicar e substituir o pedaço arrancado.

A estrela-do-mar serve de alimento para outros animais, como peixes e caranguejos. Não representa perigo para o homem, pois seus espinhos não são pontudos nem têm veneno. Mesmo assim, não é indicado pegá-la na mão, pois podemos machucá-la por ser frágil.

 

Tem muitos parentes

A estrela-do-mar tem muitos parentes, como ouriço-do-mar, pepino-do-mar e bolacha-do-mar. Todos fazem parte do grupo dos equinodermos.

O ouriço-do-mar tem espinhos pontudos e de diferentes tamanhos presos ao esqueleto. O banhista desatento que pisar no animal pode se machucar e sentir dor intensa. Come pequenos organismos e algas, que raspa das rochas com os cinco dentes localizados na parte de baixo do corpo. Não tem olhos, mas assim como a estrela-do-mar, possui células que detectam luz. Vive no mar, sobre as pedras, no lodo (mistura de terra e materiais orgânicos em decomposição) ou na areia. Seus principais predadores são caranguejos e peixes.

O pepino-do-mar tem corpo mole e cilíndrico, parecido com o de lesma. É encontrado nos mesmos ambientes que o ouriço. Tem de oito a 30 tentáculos ao redor da boca, que ajudam a pegar restos de vegetais e animais na areia e plâncton (seres aquáticos minúsculos).

A bolacha-da-praia tem espinhos curtinhos e sem ponta fina. Alimenta-se de partículas orgânicas. A boca fica no meio do corpo achatado, na parte inferior. É encontrada em regiões rasas do mar, às vezes, enterrada na areia ou no lodo.

 

Consultoria do biólogo Cláudio Gonçalves Tiago, professor do Centro de Biologia Marinha da USP.

 

Saiba mais

- O molusco Elysia chlorotica foi considerado mistura de animal e vegetal por uma equipe de cientistas norte-americanos, liderados pela professora Mary Rumpho-Kennedy, da Universidade de Maine. A pequena lesma, que vive no mar, é o primeiro bicho conhecido capaz de fazer fotossíntese (reação química pela qual a maioria das plantas obtém energia).

- Além de ostras e moluscos, a estrela-do-mar também come esponja-do-mar. Para a sorte do Bob Esponja, o melhor amigo Patrick não tem o hábito de sua espécie. Aliás, o personagem de calça quadrada é bem diferente das esponjas que vivem no fundo do mar. Na natureza, elas não costumam se mover, não têm formato definido e alimentam-se de partículas orgânicas (pedaços minúsculos de alimentos) por meio de seus inúmeros poros.

- Na Sabina Escola Parque do Conhecimento (Rua Juquiá, tel.: 4422-2001), em Santo André, é possível ver animais marinhos, como a estrela-do-mar e a raia-viola-de-cara-curta. No passado, dava para tocar nos bichos, mas foi proibido porque visitantes os maltratavam.

 

Gabriella Silva de Almeida, 11 anos, de São Bernardo, gostaria de ir à praia para ver uma estrela-do-mar de pertinho. "É muito bonita." A menina, no entanto, não gostaria de segurá-la. "Não sei se é perigosa." Gabriella também não tem certeza sobre o que o animal ingere para sobreviver. "Deve ser planta aquática, porque vive no fundo do mar."

 

 



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;