Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 17 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Presidente Italiano anuncia novo presidente para o Banco da Itália


Da AFP

29/12/2005 | 16:31


O presidente da República, Carlo Azeglio Ciampi, assinou há pouco o decreto que nomeia oficialmente Mario Draghi como novo governador do Banco da Itália, substituindo Antonio Fazio, demissionário, anunciaram as agências RadioCor e Ansa.

Mario Draghi, 58 anos, ex-diretor-geral do Tesouro, terá um mandato de seis anos, substituindo Antonio Fazio, demissionário, anunciou um comunicado oficial.

A nomeação do governador do Banco da Itália é uma prerrogativa do chefe de Estado.

Vice-presidente para a Europa do Banco americano Goldman Sachs, Mario Draghi foi dado como favorito à sucessão de Antonio Fazio, 69 anos, o último governador vitalício do banco obrigado a se demitir no dia 19 de dezembro após a abertura de uma investigação contra ele por abuso de poder e uso indevido de informações confidenciais no escândalo das vendas de ações relacionadas às instituições Banca Nazionale del Lavoro (BNL) e Banca Antonveneta.

Casado, pais de dois filhos, Mario Draghi dirigiu o Tesouro italiano de 1991 a 2001. Durante estes dez anos, ele serviu aos governos dirigidos por Giulio Andreotti (1991-1992), Giuliano Amato (1992-1993), Carlo Azeglio Ciampi (1993-1994), Silvio Berlusconi (sete meses em 1994), Lamberto Dini (1995-1996), Romano Prodi (1996-1998), Massimo d'Alema (1998-2000), Giuliano Amato (2000-2001) e Silvio Berlusconi.

A demissão de Antonio Fazio acelerou a aprovação de uma reforma do Banco da Itália que teve como principais disposições a abolição do cargo vitalício do governador e sua designação pelo Conselho de Ministros.

Antes, o governador era designado pelo Conselho Superior do Banco da Itália e nomeado pelo chefe de Estado para um mandato sem limite de tempo.

O líder da oposição, Romano Prodi, também foi ouvido e se disse favorável à escolha de Draghi, considerando-o próximo de suas idéias.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Presidente Italiano anuncia novo presidente para o Banco da Itália

Da AFP

29/12/2005 | 16:31


O presidente da República, Carlo Azeglio Ciampi, assinou há pouco o decreto que nomeia oficialmente Mario Draghi como novo governador do Banco da Itália, substituindo Antonio Fazio, demissionário, anunciaram as agências RadioCor e Ansa.

Mario Draghi, 58 anos, ex-diretor-geral do Tesouro, terá um mandato de seis anos, substituindo Antonio Fazio, demissionário, anunciou um comunicado oficial.

A nomeação do governador do Banco da Itália é uma prerrogativa do chefe de Estado.

Vice-presidente para a Europa do Banco americano Goldman Sachs, Mario Draghi foi dado como favorito à sucessão de Antonio Fazio, 69 anos, o último governador vitalício do banco obrigado a se demitir no dia 19 de dezembro após a abertura de uma investigação contra ele por abuso de poder e uso indevido de informações confidenciais no escândalo das vendas de ações relacionadas às instituições Banca Nazionale del Lavoro (BNL) e Banca Antonveneta.

Casado, pais de dois filhos, Mario Draghi dirigiu o Tesouro italiano de 1991 a 2001. Durante estes dez anos, ele serviu aos governos dirigidos por Giulio Andreotti (1991-1992), Giuliano Amato (1992-1993), Carlo Azeglio Ciampi (1993-1994), Silvio Berlusconi (sete meses em 1994), Lamberto Dini (1995-1996), Romano Prodi (1996-1998), Massimo d'Alema (1998-2000), Giuliano Amato (2000-2001) e Silvio Berlusconi.

A demissão de Antonio Fazio acelerou a aprovação de uma reforma do Banco da Itália que teve como principais disposições a abolição do cargo vitalício do governador e sua designação pelo Conselho de Ministros.

Antes, o governador era designado pelo Conselho Superior do Banco da Itália e nomeado pelo chefe de Estado para um mandato sem limite de tempo.

O líder da oposição, Romano Prodi, também foi ouvido e se disse favorável à escolha de Draghi, considerando-o próximo de suas idéias.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;