Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 20 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Sentimento e muito reggae

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Vinícius Castelli
Do Diário do Grande ABC

16/07/2010 | 07:00


Junto ao balanço das canções, sentimento de liberdade e letras que prezam respeito e amor.

Batizado Jah Live, mesmo nome de uma canção de Bob Marley, o grupo nascido em Brasília há mais de dez anos lança o segundo álbum e chega a São Bernardo para divulgar seu novo trabalho, com show amanhã.

Nossa Vida (Poly Music, R$ 24 em média) traz 14 composições recheadas de bons arranjos e suingue.

"Música é sentimento, o cara pode sentar do teu lado com uma caixinha de fósforos e sair a maior música", afirma Junior Mendes, vocalista do grupo. Com base nisso, Junior, o guitarrista Rodney, o baixista Bruno e o tecladista Herik buscam seu lugar ao sol.

Na bagagem musical do grupo, listam-se nomes como Belchior, Elis Regina, e é claro, reggae. The Gladiators e Steel Pulse, ícones do estilo, são grandes referências aos músicos do Jah Live.

Gravado com instrumentos orgânicos, Nossa Vida apresenta música madura e honesta. É todo lapidado por piano, saxofone, trombone, trompete e gaita, e finca os pés nas raízes jamaicanas do estilo.

As composições, quase sempre feitas sem muitas regras - ora em uma sala com porta fechada, ora em grupo -, passam mensagens positivas e fazem protesto pacífico quando necessário.

Entre as canções, um dos destaques do disco fica por conta da faixa homônima, que reflete a história da banda.

Em meio às dificuldades que quase todos que trabalham com música no Brasil enfrentam, o Jah Live não é exceção. "No País que vivemos é difícil lidar com a arte, é difícil gravar, divulgar. O País parou, o que nos ajuda muito é a internet", conta o vocalista.

Através de seu site no Myspace, a banda conseguiu participar de um dos maiores festivais de reggae da Europa. O Ostroda Reggae Festival, na Polônia, serviu como eficiente ferramenta para divulgar o reggae brasileiro no velho continente.

Para Junior, música tem de ter informação, tem de ser interessante, ter ritmo bom. "Música é muito sentimental, verdadeira". Daí o resultado de um bom disco.

Jah Live - Show (dentro do Festival Encontro das Tribos). Amanhã, às 21h. Na Estância Alto da Serra - Rua Nevio Carlone, 3 (altura do km 33 da Estrada Velha de Santos), São Bernardo. Tel.: 4101-5000. Ingr.: R$ 25.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Sentimento e muito reggae

Vinícius Castelli
Do Diário do Grande ABC

16/07/2010 | 07:00


Junto ao balanço das canções, sentimento de liberdade e letras que prezam respeito e amor.

Batizado Jah Live, mesmo nome de uma canção de Bob Marley, o grupo nascido em Brasília há mais de dez anos lança o segundo álbum e chega a São Bernardo para divulgar seu novo trabalho, com show amanhã.

Nossa Vida (Poly Music, R$ 24 em média) traz 14 composições recheadas de bons arranjos e suingue.

"Música é sentimento, o cara pode sentar do teu lado com uma caixinha de fósforos e sair a maior música", afirma Junior Mendes, vocalista do grupo. Com base nisso, Junior, o guitarrista Rodney, o baixista Bruno e o tecladista Herik buscam seu lugar ao sol.

Na bagagem musical do grupo, listam-se nomes como Belchior, Elis Regina, e é claro, reggae. The Gladiators e Steel Pulse, ícones do estilo, são grandes referências aos músicos do Jah Live.

Gravado com instrumentos orgânicos, Nossa Vida apresenta música madura e honesta. É todo lapidado por piano, saxofone, trombone, trompete e gaita, e finca os pés nas raízes jamaicanas do estilo.

As composições, quase sempre feitas sem muitas regras - ora em uma sala com porta fechada, ora em grupo -, passam mensagens positivas e fazem protesto pacífico quando necessário.

Entre as canções, um dos destaques do disco fica por conta da faixa homônima, que reflete a história da banda.

Em meio às dificuldades que quase todos que trabalham com música no Brasil enfrentam, o Jah Live não é exceção. "No País que vivemos é difícil lidar com a arte, é difícil gravar, divulgar. O País parou, o que nos ajuda muito é a internet", conta o vocalista.

Através de seu site no Myspace, a banda conseguiu participar de um dos maiores festivais de reggae da Europa. O Ostroda Reggae Festival, na Polônia, serviu como eficiente ferramenta para divulgar o reggae brasileiro no velho continente.

Para Junior, música tem de ter informação, tem de ser interessante, ter ritmo bom. "Música é muito sentimental, verdadeira". Daí o resultado de um bom disco.

Jah Live - Show (dentro do Festival Encontro das Tribos). Amanhã, às 21h. Na Estância Alto da Serra - Rua Nevio Carlone, 3 (altura do km 33 da Estrada Velha de Santos), São Bernardo. Tel.: 4101-5000. Ingr.: R$ 25.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;