Fechar
Publicidade

Domingo, 28 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Região imuniza 31% dos idosos que
vivem em casas de repouso

Nario Barbosa/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

São Caetano começou a vacinação nesta população ontem e protegeu mulher de 104 anos que havia sido infectada pelo novo coronavírus


Yasmin Assagra
Do Diário do Grande ABC

23/01/2021 | 00:01


No quarto dia de imunização contra a Covid-19 no Grande ABC, 1.386 dos 4.481 idosos (30,9%) que vivem nas Ilpis (Instituições de Longa Permanência para Idosos) da região já receberam a primeira dose da Coronavac, vacina desenvolvida pela empresa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan. Os idosos acolhidos pertencem ao grupo prioritário para receber a proteção inicial, assim como os profissionais de saúde, indígenas, quilombolas e deficientes físicos que estão acamados.

São Bernardo, com 1.000 vacinas, e Mauá, com 152, já imunizaram todos os idosos que vivem nas Ilpis. São Caetano aplicou 108 doses das 1.057 necessárias, enquanto Santo André imunizou 84 dos 2.010 idosos nestas condições e Diadema fez 42 aplicações das 150 necessárias. Ribeirão Pires, que tem 164 idosos nas Ilpis, ainda não começou e Rio Grande da Serra, com 100, não informou se o trabalho foi iniciado.

São Caetano começou ontem a vacinação dos idosos nas 18 Ilpis da cidade. Ao todo, serão imunizados 1.057 idosos e cuidadores destes locais e a primeira entidade atendida foi o Lar Nossa Senhora das Mercedes, no bairro Santa Maria. A escolhida para iniciar os trabalhos foi Luiza Peinado Campoi, 104 anos. A aposentada já reside na instituição há cinco anos e comentou sobre a importância da vacina. “Eu, que já passei por tanta coisa, (acho que) a vacina só vem para melhorar”, avalia. Depois de Luiza, a aposentada Felicia San Juan Vega, 100 anos, também recebeu a primeira dose da Coronavac.

Em maio do ano passado, Luiza testou positivo para a Covid-19 e ficou internada por 15 dias. A secretária de Saúde de São Caetano, Regina Maura Zetone, foi quem imunizou as idosas e lembrou do caso de Luiza. Ela reforçou a importância da vacina mesmo que a pessoa já tenha passado pela infecção por coronavírus.
“Na Dona Luiza, fizemos testagem depois (que saiu do isolamento). Nas idosas, testamos praticamente todos os meses e, logo depois, ela (Luiza) negativou, mas a produção de anticorpos nelas não é duradouro. Além disso, também existe a orientação para vacinar as pessoas mesmo que já tenham testado positivo, até porque, os casos de reinfecção são frequentes”, conta a secretária.

Regina ressalta que, durante o ano passado, a Prefeitura de São Caetano enfrentou mais de dez surtos da Covid-19 dentro das instituições de longa permanência de idosos, tanto nas filantrópicas quanto nas privadas, quando foram aplicados mais de 7.300 testes nos locais para monitorar o cenário da doença. São Caetano permanece com a vacinação nas instituições até a semana que vem.

O prefeito Tite Campanella (Cidadania), que prestigiou o início da vacinação na instituição, afirmou que a cidade está estruturada e preparada para atender à população. “Desde quarta-feira temos feito um trabalho constante nos hospitais da cidade, imunizando os profissionais que atuam diretamente no combate à pandemia. Ontem (quinta-feira), finalizamos a imunização dos profissionais do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e, agora, seguiremos vacinando os idosos institucionalizados”, destacou. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Região imuniza 31% dos idosos que
vivem em casas de repouso

São Caetano começou a vacinação nesta população ontem e protegeu mulher de 104 anos que havia sido infectada pelo novo coronavírus

Yasmin Assagra
Do Diário do Grande ABC

23/01/2021 | 00:01


No quarto dia de imunização contra a Covid-19 no Grande ABC, 1.386 dos 4.481 idosos (30,9%) que vivem nas Ilpis (Instituições de Longa Permanência para Idosos) da região já receberam a primeira dose da Coronavac, vacina desenvolvida pela empresa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan. Os idosos acolhidos pertencem ao grupo prioritário para receber a proteção inicial, assim como os profissionais de saúde, indígenas, quilombolas e deficientes físicos que estão acamados.

São Bernardo, com 1.000 vacinas, e Mauá, com 152, já imunizaram todos os idosos que vivem nas Ilpis. São Caetano aplicou 108 doses das 1.057 necessárias, enquanto Santo André imunizou 84 dos 2.010 idosos nestas condições e Diadema fez 42 aplicações das 150 necessárias. Ribeirão Pires, que tem 164 idosos nas Ilpis, ainda não começou e Rio Grande da Serra, com 100, não informou se o trabalho foi iniciado.

São Caetano começou ontem a vacinação dos idosos nas 18 Ilpis da cidade. Ao todo, serão imunizados 1.057 idosos e cuidadores destes locais e a primeira entidade atendida foi o Lar Nossa Senhora das Mercedes, no bairro Santa Maria. A escolhida para iniciar os trabalhos foi Luiza Peinado Campoi, 104 anos. A aposentada já reside na instituição há cinco anos e comentou sobre a importância da vacina. “Eu, que já passei por tanta coisa, (acho que) a vacina só vem para melhorar”, avalia. Depois de Luiza, a aposentada Felicia San Juan Vega, 100 anos, também recebeu a primeira dose da Coronavac.

Em maio do ano passado, Luiza testou positivo para a Covid-19 e ficou internada por 15 dias. A secretária de Saúde de São Caetano, Regina Maura Zetone, foi quem imunizou as idosas e lembrou do caso de Luiza. Ela reforçou a importância da vacina mesmo que a pessoa já tenha passado pela infecção por coronavírus.
“Na Dona Luiza, fizemos testagem depois (que saiu do isolamento). Nas idosas, testamos praticamente todos os meses e, logo depois, ela (Luiza) negativou, mas a produção de anticorpos nelas não é duradouro. Além disso, também existe a orientação para vacinar as pessoas mesmo que já tenham testado positivo, até porque, os casos de reinfecção são frequentes”, conta a secretária.

Regina ressalta que, durante o ano passado, a Prefeitura de São Caetano enfrentou mais de dez surtos da Covid-19 dentro das instituições de longa permanência de idosos, tanto nas filantrópicas quanto nas privadas, quando foram aplicados mais de 7.300 testes nos locais para monitorar o cenário da doença. São Caetano permanece com a vacinação nas instituições até a semana que vem.

O prefeito Tite Campanella (Cidadania), que prestigiou o início da vacinação na instituição, afirmou que a cidade está estruturada e preparada para atender à população. “Desde quarta-feira temos feito um trabalho constante nos hospitais da cidade, imunizando os profissionais que atuam diretamente no combate à pandemia. Ontem (quinta-feira), finalizamos a imunização dos profissionais do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e, agora, seguiremos vacinando os idosos institucionalizados”, destacou. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;