Fechar
Publicidade

Domingo, 5 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

TSE deve regulamentar campanha do desarmamento


Fabrício Calado Moreira
Do Diário do Grande ABC

31/07/2005 | 08:04


Deve sair nesta semana a regulamentação, pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral), da campanha nacional pelo desarmamento. Os ministros do tribunal voltam do recesso nesta segunda-feira, e a previsão é que encaminhem logo a minuta de prestação de contas da campanha. A expectativa do diretor do Instituto Sou da Paz, Denis Mizne, é que as orientações do TSE venham no sentido de que o poder econômico não seja o fator determinante.

Com a orientação da Justiça Eleitoral, as entidades em defesa e contrárias ao desarmamento poderão saber o que é permitido pela lei em termos de divulgação do plebiscito de 23 de outubro. Assim como em uma disputa eleitoral, o TSE deve determinar, entre outros pontos, a divisão do tempo de televisão e rádio e as regras sobre uso de faixas e cartazes na campanha.

"Esperamos que o Tribunal permita horário eleitoral gratuito, mas não a compra de tempo de TV", declara Mizne. Para ele, o foco do TSE na regulamentação do referendo deve ser o de controlar o horário eleitoral gratuito. "As pessoas têm que poder distribuir seus panfletos, cartazes."

O diretor da ONG avalia que a chamada bancada da bala - formada por parlamentares contrários ao desarmamento - ainda tem muita força dentro do Congresso. "Apesar de não ter apelo popular, é uma bancada que difunde o mito de que a arma traz defesa. Isso assusta a população", diz Mizne. Ele não mostra muita esperança de que as discussões com a bancada da bala sejam de alto nível. "Esperamos debate sobre argumentos concretos, mas acho que eles vão vir com terrorismo."

Para quem se interessar, o Instituto Sou da Paz oferece pela página na internet - www.soudapaz.org.br - o kit de conscientização, com números sobre armas de fogo  e estatísticas sobre a violência no Brasil. O material é fornecido de graça e, segundo o diretor da ONG, já vieram e-mails com pedidos de Tocantins, Pará e Minas Gerais. "E nós praticamente não divulgamos. Isso indica que o Brasil quer participar da campanha", avalia Denis Mysne.

Frentes - Nesta segunda-feira, com manifestação pública em Campinas, será lançada a Frente Brasil Sem Armas, composta de parlamentares favoráveis ao desarmamento. Durante a semana, a frente lançará também uma página na internet, centro de atendimento e inaugurará sede em Brasília.

Na quinta-feira da semana passada, mais de 40 representantes de entidades reuniram-se no Comitê Desarma São Paulo, no ILP (Instituto Legislativo Paulista), na Assembléia, para discutir a estratégia da campanha. O foco do comitê é a ampliação das ações pelo desarmamento por todo o Estado. A próxima reunião das entidades está marcada para 17 de agosto, quando os grupos de trabalho definidos na última quinta-feira apresentarão planos de ação. Na  segunda, será lançada a versão pernambucana do Comitê Desarma.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;