Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 3 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Cidades da região estão entre as menos vulneráveis à Covid

Claudinei Plaza/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Levantamento leva em conta dados públicos; referentes a municípios
da Região Metropolitana, os do Grande ABC entre os 11 primeiros


Yasmin Assagra
Do Diário do Grande ABC

17/07/2020 | 00:01


As sete cidades do Grande ABC estão entre os 11 municípios menos vulneráveis à Covid entre os 39 que compõem a Região Metropolitana de São Paulo – incluindo a Capital –, de acordo com a segunda rodada do levantamento do IVM (Índice de Vulnerabilidade Municipal), criado pelo Instituto Votorantim – a primeira foi em maio. O estudo, que pontua de zero a 100 – quanto mais alto o valor, maior é a vulnerabilidade –, considera fatores como a proporção da população idosa, o PIB (Produto Interno Bruto) per capita, o número de leitos hospitalares e de UTI (Unidade de Terapia Intensiva), além do número de respiradores a cada grupo de 100 mil habitantes.

Segundo o estudo, São Bernardo é a cidade menos vulnerável, com 30,06, seguida de São Caetano, na segunda posição, com 38,61. Mauá aparece em sexto, com 42,31, e, em sétimo, está Santo André, com 43,44. Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra aparecem na oitava e nona posições, com 44,2 e 44,54, respectivamente. Diadema fecha a lista na 11ª posição, com 46,41.

As cidades da região levam vantagem pela boa condição no número de leitos. Apesar de ser o município líder em número de mortes e casos na região (leia mais na página 3), São Bernardo conta com 151 vagas de UTI e 366 de enfermaria, exclusivas para o tratamento da Covid. Santo André acumula 63 leitos de terapia intensiva e 295 de enfermaria. Já em São Caetano são 40 de UTI e 126 de enfermaria. Diadema aparece com 30 de urgência e 61 de baixa complexidade, enquanto em Mauá são 20 de UTI e 58 de enfermaria. Ribeirão Pires conta com 34 leitos de urgência e sete de enfermaria. Rio Grande da Serra não respondeu à demanda do Diário.

A pesquisa utiliza dados públicos, de órgãos como IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e SUS (Sistema Único de Saúde). “O objetivo é apoiar gestores públicos e privados no combate à pandemia, pois acreditamos que o acesso à informação é fundamental para superarmos a crise”, avalia o diretor-presidente do Instituto Votorantim, Cloves Carvalho.

CENÁRIO
Mesmo quando comparados com cidades de outras regiões do Brasil os municípios do Grande ABC estão bem posicionados. São Bernardo é o segundo menos vulnerável à Covid no País, entre os 5.570 municípios, atrás apenas de Colina, no Interior de São Paulo. São Caetano está na 45ª posição, seguida por Mauá (155ª), Santo André (209ª), Ribeirão Pires (248ª), Rio Grande da Serra (265ª) e Diadema (430ª). No ranking estadual, entre os 645 municípios de São Paulo, São Bernardo permanece na segunda posição, São Caetano em 18º, Mauá em 49º, Santo André em 62º, Ribeirão Pires em 70º, Rio Grande da Serra em 75º e Diadema em 128º.

Os dados podem ser consultados no site http://www.institutovotorantim.org.br/municipioscontraocorona/ivm. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Cidades da região estão entre as menos vulneráveis à Covid

Levantamento leva em conta dados públicos; referentes a municípios
da Região Metropolitana, os do Grande ABC entre os 11 primeiros

Yasmin Assagra
Do Diário do Grande ABC

17/07/2020 | 00:01


As sete cidades do Grande ABC estão entre os 11 municípios menos vulneráveis à Covid entre os 39 que compõem a Região Metropolitana de São Paulo – incluindo a Capital –, de acordo com a segunda rodada do levantamento do IVM (Índice de Vulnerabilidade Municipal), criado pelo Instituto Votorantim – a primeira foi em maio. O estudo, que pontua de zero a 100 – quanto mais alto o valor, maior é a vulnerabilidade –, considera fatores como a proporção da população idosa, o PIB (Produto Interno Bruto) per capita, o número de leitos hospitalares e de UTI (Unidade de Terapia Intensiva), além do número de respiradores a cada grupo de 100 mil habitantes.

Segundo o estudo, São Bernardo é a cidade menos vulnerável, com 30,06, seguida de São Caetano, na segunda posição, com 38,61. Mauá aparece em sexto, com 42,31, e, em sétimo, está Santo André, com 43,44. Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra aparecem na oitava e nona posições, com 44,2 e 44,54, respectivamente. Diadema fecha a lista na 11ª posição, com 46,41.

As cidades da região levam vantagem pela boa condição no número de leitos. Apesar de ser o município líder em número de mortes e casos na região (leia mais na página 3), São Bernardo conta com 151 vagas de UTI e 366 de enfermaria, exclusivas para o tratamento da Covid. Santo André acumula 63 leitos de terapia intensiva e 295 de enfermaria. Já em São Caetano são 40 de UTI e 126 de enfermaria. Diadema aparece com 30 de urgência e 61 de baixa complexidade, enquanto em Mauá são 20 de UTI e 58 de enfermaria. Ribeirão Pires conta com 34 leitos de urgência e sete de enfermaria. Rio Grande da Serra não respondeu à demanda do Diário.

A pesquisa utiliza dados públicos, de órgãos como IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e SUS (Sistema Único de Saúde). “O objetivo é apoiar gestores públicos e privados no combate à pandemia, pois acreditamos que o acesso à informação é fundamental para superarmos a crise”, avalia o diretor-presidente do Instituto Votorantim, Cloves Carvalho.

CENÁRIO
Mesmo quando comparados com cidades de outras regiões do Brasil os municípios do Grande ABC estão bem posicionados. São Bernardo é o segundo menos vulnerável à Covid no País, entre os 5.570 municípios, atrás apenas de Colina, no Interior de São Paulo. São Caetano está na 45ª posição, seguida por Mauá (155ª), Santo André (209ª), Ribeirão Pires (248ª), Rio Grande da Serra (265ª) e Diadema (430ª). No ranking estadual, entre os 645 municípios de São Paulo, São Bernardo permanece na segunda posição, São Caetano em 18º, Mauá em 49º, Santo André em 62º, Ribeirão Pires em 70º, Rio Grande da Serra em 75º e Diadema em 128º.

Os dados podem ser consultados no site http://www.institutovotorantim.org.br/municipioscontraocorona/ivm. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;