Fechar
Publicidade

Domingo, 26 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Confirmado primeiro caso de dengue no ABC este ano


Marco Borba
Do Diário do Grande ABC

27/01/2006 | 08:12


Foi confirmado nesta quinta, em São Caetano, o primeiro caso de dengue na região neste ano. A vítima é o auxiliar de compras Ricardo Fernandes Demenis, 29 anos, morador da Vila São José. Ainda não se sabe se o caso é autóctone (adquirido na cidade de moradia do paciente) ou importado, uma vez que o rapaz permaneceu entre os dias 27 de dezembro e 7 de janeiro em Bertioga, no litoral paulista, segundo relatório médico do Hospital Nossa Senhora de Fátima. Demenis esteve internado nesse hospital por dois dias, entre segunda e quarta-feira desta semana.

O caso foi comunicado nesta quinta pela manhã à Diretoria de Saúde e Vigilância Sanitária do município. Até o próximo dia 31, a Prefeitura deve informar às autoridades de saúde do Estado sobre a confirmação da doença, transmitida pelo mosquito Aedes aegypti. Em todo o Estado, já foram confirmados neste ano 138 casos de dengue (ainda não computado o de São Caetano). As cidades de Ribeirão Preto e São José do Rio Preto, no interior, lideram a lista com, respectivamente, 39 e 30 casos. No Grande ABC, há suspeita de contaminação de outras 23 pessoas.

De acordo com o auxiliar de compras, os sintomas – febre e dores no corpo – teriam surgido no último dia 17, portanto, dez dias após seu retorno a São Caetano. Ele contesta as informações do hospital. “Fui a Bertioga dia 29 e retornei dia 3. Só podem ter errado esse relatório.” O paciente tem dúvidas sobre a cidade onde pegou a doença. “Quando estive internado, me disseram que os sintomas aparecem de quatro a sete dias. Se voltei para casa no dia 3, era para terem surgido lá pelo dia 10.” Se o raciocínio de Demenis estiver correto, ele pode ter adquirido a doença em São Caetano.

O gerente médico do Hospital Nossa Senhora de Fátima, José Marquesi, diz não ter dúvidas de que se trata de um caso importado de dengue. “Ele (Demenis) foi picado lá. A região da Baixada tem maior incidência do mosquito do que aqui. Além disso, os sintomas normalmente começam a aparecer de sete a 14 dias.” Já o infectologista da Faculdade de Medicina do ABC, Munir Akar Ayub, analisou o caso com reserva. “A Medicina não é uma coisa definida. A partir do segundo dia após a picada, os sintomas podem aparecer. Mas pode demorar mais tempo, dez, 12 dias. Depende de alguns fatores, como a quantidade de vírus inoculada pelo mosquito. Se ele esteve no litoral, tudo leva a crer que tenha se infectado lá, porque na região litorânea há mais mosquitos. No entanto, não dá para cravar, dizer que foi lá.” São Caetano é a cidade do Grande ABC com o maior número de focos do mosquito, 50.

Embora Demenis já esteja em casa se recuperando do susto, quinta à tarde, a Prefeitura enviou uma equipe à Vila São José e pulverizou a casa e os nove quarteirões próximos à residência do auxiliar de compras.

Os principais sintomas da dengue clássica são febre alta, fortes dores no corpo e retroorbitária (no globo ocular) e quadro leve de diarréia. Na hemorrágica, todos esses sintomas são acrescidos de edemas no corpo e rompimento de vasos sangüíneos.

Em 2005, foram identificados no Grande ABC 1.133 focos do mosquito Aedes aegypti. Também houve a confirmação de 19 casos, dos quais apenas um autóctone, em São Bernardo. No ano passado, foram confirmados 5.145 casos em todo o Estado, ante os 3.049 de 2004.


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Confirmado primeiro caso de dengue no ABC este ano

Marco Borba
Do Diário do Grande ABC

27/01/2006 | 08:12


Foi confirmado nesta quinta, em São Caetano, o primeiro caso de dengue na região neste ano. A vítima é o auxiliar de compras Ricardo Fernandes Demenis, 29 anos, morador da Vila São José. Ainda não se sabe se o caso é autóctone (adquirido na cidade de moradia do paciente) ou importado, uma vez que o rapaz permaneceu entre os dias 27 de dezembro e 7 de janeiro em Bertioga, no litoral paulista, segundo relatório médico do Hospital Nossa Senhora de Fátima. Demenis esteve internado nesse hospital por dois dias, entre segunda e quarta-feira desta semana.

O caso foi comunicado nesta quinta pela manhã à Diretoria de Saúde e Vigilância Sanitária do município. Até o próximo dia 31, a Prefeitura deve informar às autoridades de saúde do Estado sobre a confirmação da doença, transmitida pelo mosquito Aedes aegypti. Em todo o Estado, já foram confirmados neste ano 138 casos de dengue (ainda não computado o de São Caetano). As cidades de Ribeirão Preto e São José do Rio Preto, no interior, lideram a lista com, respectivamente, 39 e 30 casos. No Grande ABC, há suspeita de contaminação de outras 23 pessoas.

De acordo com o auxiliar de compras, os sintomas – febre e dores no corpo – teriam surgido no último dia 17, portanto, dez dias após seu retorno a São Caetano. Ele contesta as informações do hospital. “Fui a Bertioga dia 29 e retornei dia 3. Só podem ter errado esse relatório.” O paciente tem dúvidas sobre a cidade onde pegou a doença. “Quando estive internado, me disseram que os sintomas aparecem de quatro a sete dias. Se voltei para casa no dia 3, era para terem surgido lá pelo dia 10.” Se o raciocínio de Demenis estiver correto, ele pode ter adquirido a doença em São Caetano.

O gerente médico do Hospital Nossa Senhora de Fátima, José Marquesi, diz não ter dúvidas de que se trata de um caso importado de dengue. “Ele (Demenis) foi picado lá. A região da Baixada tem maior incidência do mosquito do que aqui. Além disso, os sintomas normalmente começam a aparecer de sete a 14 dias.” Já o infectologista da Faculdade de Medicina do ABC, Munir Akar Ayub, analisou o caso com reserva. “A Medicina não é uma coisa definida. A partir do segundo dia após a picada, os sintomas podem aparecer. Mas pode demorar mais tempo, dez, 12 dias. Depende de alguns fatores, como a quantidade de vírus inoculada pelo mosquito. Se ele esteve no litoral, tudo leva a crer que tenha se infectado lá, porque na região litorânea há mais mosquitos. No entanto, não dá para cravar, dizer que foi lá.” São Caetano é a cidade do Grande ABC com o maior número de focos do mosquito, 50.

Embora Demenis já esteja em casa se recuperando do susto, quinta à tarde, a Prefeitura enviou uma equipe à Vila São José e pulverizou a casa e os nove quarteirões próximos à residência do auxiliar de compras.

Os principais sintomas da dengue clássica são febre alta, fortes dores no corpo e retroorbitária (no globo ocular) e quadro leve de diarréia. Na hemorrágica, todos esses sintomas são acrescidos de edemas no corpo e rompimento de vasos sangüíneos.

Em 2005, foram identificados no Grande ABC 1.133 focos do mosquito Aedes aegypti. Também houve a confirmação de 19 casos, dos quais apenas um autóctone, em São Bernardo. No ano passado, foram confirmados 5.145 casos em todo o Estado, ante os 3.049 de 2004.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;