Fechar
Publicidade

Domingo, 15 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Ideias Para Gritar


Luís Felipe Soares
Do Diário do Grande ABC

14/11/2010 | 07:07


 

 

Cinema, teatro e televisão. Seja onde for, Andréia Horta é presente e pronta para mostrar serviço. Aos 27 anos, a atriz está em merecidas férias após longo tempo de trabalho ininterrupto, mas encontrou horário para conversar com o ‘Diário’ e falar sobre a carreira, além de relembrar os tempos em que morou em Santo André e estudou na Escola Livre de Teatro do município.

“Não tenho a mínima noção de como está minha carreira”, afirma a atriz. “Vou trabalhando e rodando por todos os meios. Parto para onde existirem projetos nos quais acredito.”

O último trabalho de Andréia apresentado foi o seriado ‘A Cura’, no qual contracenou ao lado de Selton Mello como a médica Rosângela.

Em maio do ano passado, teve sua primeira experiência no cinema com as gravações do filme ‘Muita Calma Nessa Hora’, que estreou sexta-feira. “Fazer cinema é um luxo”, afirma, bem-humorada. “Ainda não me vi na tela grande. Deve ser estranho. Adorei fazer e quero fazer muito mais.” No longa, o público poderá acompanhar as confusões de Tita, garota que precisa encontrar novo rumo após ser traída pelo noivo.

Outro projeto em destaque na carreira é a minissérie ‘Alice’, transmitida pela HBO. A atração ganha dois telefilmes que estreiam na TV fechada nos dias 20, com ‘O Primeiro Dia Do Resto Da Minha Vida’, e 27, com exibição de ‘A Última Noite’, ambos às 21h. “Tenho toda a noção do que a personagem representa para mim e agradeço por ela ter aparecido.”

NO GRANDE ABC

Natural de Juiz de Fora, em Minas Gerais, Andréia veio para Santo André aos 17 anos para estudar artes cênicas em São Paulo. Morou na região por seis anos e conheceu as atividades da Escola Livre de Teatro, que frequentou entre 2002 e 2004 em um curso de direção – apesar de participar das aulas como atriz.

O pouco tempo na entidade andreense traz ótimas lembranças a atual moradora do Rio de Janeiro. “O período na escola me influenciou muito. Foi onde encontrei as pessoas mais engajadas nessa profissão em toda a minha vida. São extremamente sérias e preocupadas com o que fazem ali. A ELT é a melhor escola gratuita do Brasil para atores”, afirma.

A ideia da construção de artistas que pensem por eles mesmos foi o que mais lhe chamou a atenção. “Ela tira de você aquele indivíduo inteligente e ativo dentro de uma criação. Desenvolve no ator um processo crítico importante e precisamos ter coisas a dizer. O método trabalha o ator criador com uma potência que nenhuma outra instituição no País faz.”

A cabeça pensante da descolada atriz atualmente descansa sem questionamentos sobre o que passou e o que está por vir. “Realmente ainda me pergunto sobre o que acho da minha carreira. Quero saber, mas não agora. Ainda tenho muito o que gritar para o mundo”, revela Andréia em meio a muitos gestos. Ficamos na espera para saber o que seu próximo berro irá trazer para o público, seja no teatro, na TV ou no cinema.

Filme Chama Atenção Por Participações

Na busca para se ter um filme engraçado, basta juntar um grande número de bons humoristas. Essa é a ideia por traz de ‘Muita Calma Nessa Hora’, que estreou na sexta-feira e conta com quatro cópias espalhadas pelos cinemas do Grande ABC. O longa derrapa justamente na confiança quanto ao fato de que seus protagonistas não precisam de muito para serem engraçados.

O roteiro foi escrito por João Avelino e Rosana Ferrão e Bruno Mazzeo, este último um dos grandes talentos da nova geração do humor nacional. Eles buscam na simplicidade de pequenas e inusitadas situações da vida encontrar algo que chame a atenção do público. O enredo é centrado em Tita, que pega o noivo na cama com outra mulher e não sabe o que será de sua vida dali em diante.

O destaque do filme fica por conta do bom entrosamento entre o trio principal – sem esquecer de Débora Lamm no papel da hippie Estrella. O que atrapalha é a presença sem muito sentido de figuras como Lucio Mauro Filho, Sérgio Mallandro e do grupo Hermes e Renato. Há satisfação quanto as participações especiais, mas elas tiram o foco do filme como um todo.

A diversão está na presença de quem faz a piada. Com relação ao texto, nem tanto.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Ideias Para Gritar

Luís Felipe Soares
Do Diário do Grande ABC

14/11/2010 | 07:07


 

 

Cinema, teatro e televisão. Seja onde for, Andréia Horta é presente e pronta para mostrar serviço. Aos 27 anos, a atriz está em merecidas férias após longo tempo de trabalho ininterrupto, mas encontrou horário para conversar com o ‘Diário’ e falar sobre a carreira, além de relembrar os tempos em que morou em Santo André e estudou na Escola Livre de Teatro do município.

“Não tenho a mínima noção de como está minha carreira”, afirma a atriz. “Vou trabalhando e rodando por todos os meios. Parto para onde existirem projetos nos quais acredito.”

O último trabalho de Andréia apresentado foi o seriado ‘A Cura’, no qual contracenou ao lado de Selton Mello como a médica Rosângela.

Em maio do ano passado, teve sua primeira experiência no cinema com as gravações do filme ‘Muita Calma Nessa Hora’, que estreou sexta-feira. “Fazer cinema é um luxo”, afirma, bem-humorada. “Ainda não me vi na tela grande. Deve ser estranho. Adorei fazer e quero fazer muito mais.” No longa, o público poderá acompanhar as confusões de Tita, garota que precisa encontrar novo rumo após ser traída pelo noivo.

Outro projeto em destaque na carreira é a minissérie ‘Alice’, transmitida pela HBO. A atração ganha dois telefilmes que estreiam na TV fechada nos dias 20, com ‘O Primeiro Dia Do Resto Da Minha Vida’, e 27, com exibição de ‘A Última Noite’, ambos às 21h. “Tenho toda a noção do que a personagem representa para mim e agradeço por ela ter aparecido.”

NO GRANDE ABC

Natural de Juiz de Fora, em Minas Gerais, Andréia veio para Santo André aos 17 anos para estudar artes cênicas em São Paulo. Morou na região por seis anos e conheceu as atividades da Escola Livre de Teatro, que frequentou entre 2002 e 2004 em um curso de direção – apesar de participar das aulas como atriz.

O pouco tempo na entidade andreense traz ótimas lembranças a atual moradora do Rio de Janeiro. “O período na escola me influenciou muito. Foi onde encontrei as pessoas mais engajadas nessa profissão em toda a minha vida. São extremamente sérias e preocupadas com o que fazem ali. A ELT é a melhor escola gratuita do Brasil para atores”, afirma.

A ideia da construção de artistas que pensem por eles mesmos foi o que mais lhe chamou a atenção. “Ela tira de você aquele indivíduo inteligente e ativo dentro de uma criação. Desenvolve no ator um processo crítico importante e precisamos ter coisas a dizer. O método trabalha o ator criador com uma potência que nenhuma outra instituição no País faz.”

A cabeça pensante da descolada atriz atualmente descansa sem questionamentos sobre o que passou e o que está por vir. “Realmente ainda me pergunto sobre o que acho da minha carreira. Quero saber, mas não agora. Ainda tenho muito o que gritar para o mundo”, revela Andréia em meio a muitos gestos. Ficamos na espera para saber o que seu próximo berro irá trazer para o público, seja no teatro, na TV ou no cinema.

Filme Chama Atenção Por Participações

Na busca para se ter um filme engraçado, basta juntar um grande número de bons humoristas. Essa é a ideia por traz de ‘Muita Calma Nessa Hora’, que estreou na sexta-feira e conta com quatro cópias espalhadas pelos cinemas do Grande ABC. O longa derrapa justamente na confiança quanto ao fato de que seus protagonistas não precisam de muito para serem engraçados.

O roteiro foi escrito por João Avelino e Rosana Ferrão e Bruno Mazzeo, este último um dos grandes talentos da nova geração do humor nacional. Eles buscam na simplicidade de pequenas e inusitadas situações da vida encontrar algo que chame a atenção do público. O enredo é centrado em Tita, que pega o noivo na cama com outra mulher e não sabe o que será de sua vida dali em diante.

O destaque do filme fica por conta do bom entrosamento entre o trio principal – sem esquecer de Débora Lamm no papel da hippie Estrella. O que atrapalha é a presença sem muito sentido de figuras como Lucio Mauro Filho, Sérgio Mallandro e do grupo Hermes e Renato. Há satisfação quanto as participações especiais, mas elas tiram o foco do filme como um todo.

A diversão está na presença de quem faz a piada. Com relação ao texto, nem tanto.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;