Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 26 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Ordem no Palmeiras é conquistar sequência positiva de jogos


Dérek Bittencourt
Com Agências

03/03/2010 | 07:00


Apesar do pessimismo realista do técnico Antonio Carlos quanto a classificação do Palmeiras às semifinais do Paulistão - apesar de faltarem oito rodadas -, os jogadores seguem focados na entrada da equipe no G-4. E querem aproveitar os dois próximos jogos em casa (hoje, contra o Santo André, e sábado, diante do Sertãozinho), para encostar nos ponteiros.

"Seria difícil ficar fora do G-4 pela grandeza do Palmeiras. Pensamos dessa maneira, assim como a torcida e a imprensa. Temos de estar entre os quatro de qualquer jeito. Tivemos altos e baixos, mas temos vários jogos pela frente e ainda há tempo para nos recuperarmos", comentou o atacante Robert, artilheiro do Verdão com cinco gols, ao lado do meia Diego Souza.

Muito cobrado pela torcida, sobretudo nos jogos no Palestra Itália, o jogador disse estar tranquilo quanto a isso. "Sempre saio na rua e encontro os torcedores que dão apoio, principalmente neste momento que estou passando. No estádio, a adrenalina é grande em todos, e o torcedor que paga ingresso fica na ansiedade de ganhar. Ficamos com a cabeça quente, e a torcida tem direito de criticar nesta hora. Mas na rua é outra coisa", disse.

Aliás, a exigente torcida palmeirense foi alvo de comentários no último treino do Santo André, ontem à tarde, no Bruno Daniel. Segundo os jogadores e o técnico Sérgio Soares, é preciso saber jogar os torcedores contra o time. "A torcida já está na bronca, por isso temos que atuar com inteligência e quanto mais o tempo passar e eles não marcarem um gol, passarão a ficar contra", comentou o volante Alê. "Nossa postura é que vai determinar a temperatura da arquibancada", emendou o treinador.

NADA DE REVANCHE - Como o último encontro entre palmeirenses e andreenses terminou em triunfo da equipe do Grande ABC por 2 a 0, seria normal o Verdão querer dar o troco. Mas isso não acontece, pelo menos para o lateral Wendel. "Temos de ir em busca da vitória sem pensar em outra coisa. Não tem sentimento de vingança. Só temos a vontade de ganhar e esquecer o que aconteceu com o Rio Claro", comentou.

Wendel completa 150 jogos atrás do 1º gol pelo Verdão

Quando entrar em campo hoje, contra o Santo André, Wendel vestirá pela 150ª vez a camisa do Palmeiras, marca que não é para qualquer um. Revelado nas categorias de base e contestado desde que integra o time profissional - tanto que acabou emprestado ao Santos em 2008 -, o jogador segue atrás de outra marca pessoal: o primeiro gol pelo clube.

"Quando vier o primeiro, logo virão vários. O Pierre fez o dele e já deu uma distanciada. Agora a disputa é com o Marcos, mas pretendo marcar primeiro porque senão a gozação vai ser grande (risos). Mas penso sempre na vitória e em ajudar o time, pois assim o clima fica diferente", comentou.

Sobre o 150º jogo, Wendel disse já visar o 200º. "Tinha o sonho de jogar em um grande clube. É uma honra vestir a camisa do Palmeiras e fazer 150 jogos, o que não é fácil. Isso serve de motivação para fazer 200 jogos. E não só atuar. Quero ganhar títulos", finalizou.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Ordem no Palmeiras é conquistar sequência positiva de jogos

Dérek Bittencourt
Com Agências

03/03/2010 | 07:00


Apesar do pessimismo realista do técnico Antonio Carlos quanto a classificação do Palmeiras às semifinais do Paulistão - apesar de faltarem oito rodadas -, os jogadores seguem focados na entrada da equipe no G-4. E querem aproveitar os dois próximos jogos em casa (hoje, contra o Santo André, e sábado, diante do Sertãozinho), para encostar nos ponteiros.

"Seria difícil ficar fora do G-4 pela grandeza do Palmeiras. Pensamos dessa maneira, assim como a torcida e a imprensa. Temos de estar entre os quatro de qualquer jeito. Tivemos altos e baixos, mas temos vários jogos pela frente e ainda há tempo para nos recuperarmos", comentou o atacante Robert, artilheiro do Verdão com cinco gols, ao lado do meia Diego Souza.

Muito cobrado pela torcida, sobretudo nos jogos no Palestra Itália, o jogador disse estar tranquilo quanto a isso. "Sempre saio na rua e encontro os torcedores que dão apoio, principalmente neste momento que estou passando. No estádio, a adrenalina é grande em todos, e o torcedor que paga ingresso fica na ansiedade de ganhar. Ficamos com a cabeça quente, e a torcida tem direito de criticar nesta hora. Mas na rua é outra coisa", disse.

Aliás, a exigente torcida palmeirense foi alvo de comentários no último treino do Santo André, ontem à tarde, no Bruno Daniel. Segundo os jogadores e o técnico Sérgio Soares, é preciso saber jogar os torcedores contra o time. "A torcida já está na bronca, por isso temos que atuar com inteligência e quanto mais o tempo passar e eles não marcarem um gol, passarão a ficar contra", comentou o volante Alê. "Nossa postura é que vai determinar a temperatura da arquibancada", emendou o treinador.

NADA DE REVANCHE - Como o último encontro entre palmeirenses e andreenses terminou em triunfo da equipe do Grande ABC por 2 a 0, seria normal o Verdão querer dar o troco. Mas isso não acontece, pelo menos para o lateral Wendel. "Temos de ir em busca da vitória sem pensar em outra coisa. Não tem sentimento de vingança. Só temos a vontade de ganhar e esquecer o que aconteceu com o Rio Claro", comentou.

Wendel completa 150 jogos atrás do 1º gol pelo Verdão

Quando entrar em campo hoje, contra o Santo André, Wendel vestirá pela 150ª vez a camisa do Palmeiras, marca que não é para qualquer um. Revelado nas categorias de base e contestado desde que integra o time profissional - tanto que acabou emprestado ao Santos em 2008 -, o jogador segue atrás de outra marca pessoal: o primeiro gol pelo clube.

"Quando vier o primeiro, logo virão vários. O Pierre fez o dele e já deu uma distanciada. Agora a disputa é com o Marcos, mas pretendo marcar primeiro porque senão a gozação vai ser grande (risos). Mas penso sempre na vitória e em ajudar o time, pois assim o clima fica diferente", comentou.

Sobre o 150º jogo, Wendel disse já visar o 200º. "Tinha o sonho de jogar em um grande clube. É uma honra vestir a camisa do Palmeiras e fazer 150 jogos, o que não é fácil. Isso serve de motivação para fazer 200 jogos. E não só atuar. Quero ganhar títulos", finalizou.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;