Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 3 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Idec alerta o consumidor na escolha dos ovos de Páscoa


Célia Maria Pernica
Do Diário do Grande ABC

19/03/2008 | 07:04


Pesquisa realizada pelo Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor) analisou informações e quantidade de ingredientes de oito marcas de ovos de Páscoa e garante que quanto mais cacau o produto tiver, melhor é para a saúde.

 A legislação nacional não exige que a empresa informe a quantidade de cacau de seus produtos. Questionadas pelo Idec, algumas empresas revelaram a quantidade e algumas disseram que a informação é sigilosa por fazer parte da formulação do chocolate. Em outros países, porém, essa quantidade é revelada e até utilizada em publicidade, em vista dos benefícios e da qualidade dos produtos.

 A informação é considerada importante pois o cacau é portador de flavonóides, que são componentes que reduzem o colesterol e diminuem os riscos de doenças cardiovasculares. O cacau também possui antioxidantes que combatem radicais livres, responsáveis pelo envelhecimento precoce e entupimento de artérias.

 O coordenador da pesquisa Carlos Thadeu de Oliveira afirma que a quantidade mínima de cacau no chocolate deve ser de 25%, segundo a legislação brasileira. Oliveira informa que a pesquisa é baseada nas informações declaradas nos rótulos dos produtos e solicitadas a assessoria das empresas.

ESCOLHA

 O Idec aconselha o consumidor a ficar atento ao fato de quanto mais preto e mais amargo, maior é a probabilidade do produto ter boa quantidade de cacau. Outra dica é analisar a ordem dos ingredientes, pois estes são obrigados a estar em ordem decrescente, ou seja, o primeiro item citado é o que há em maior quantidade no produto.

 O consumidor também deve verificar a qualificação do cacau que existe no produto. Manteiga de cacau tem mais gordura e menos flavonóides do que a massa do cacau. Oliveira revela que o melhor chocolate é aquele que possui massa de cacau, pasta de cacau ou licor de cacau, entre os primeiros ingredientes.

 A nutricionista Alessandra Paula Neves Peron alerta que o maior perigo do chocolate é a quantidade de gordura saturada, presente em grandes quantidades no chocolate branco e ao leite.

 “As empresas estão começando a adotar o critério de informar a quantidade dos ingredientes nos produtos. O consumidor atual procura por isso nos rótulos e seleciona qual comprar”, afirma.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Idec alerta o consumidor na escolha dos ovos de Páscoa

Célia Maria Pernica
Do Diário do Grande ABC

19/03/2008 | 07:04


Pesquisa realizada pelo Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor) analisou informações e quantidade de ingredientes de oito marcas de ovos de Páscoa e garante que quanto mais cacau o produto tiver, melhor é para a saúde.

 A legislação nacional não exige que a empresa informe a quantidade de cacau de seus produtos. Questionadas pelo Idec, algumas empresas revelaram a quantidade e algumas disseram que a informação é sigilosa por fazer parte da formulação do chocolate. Em outros países, porém, essa quantidade é revelada e até utilizada em publicidade, em vista dos benefícios e da qualidade dos produtos.

 A informação é considerada importante pois o cacau é portador de flavonóides, que são componentes que reduzem o colesterol e diminuem os riscos de doenças cardiovasculares. O cacau também possui antioxidantes que combatem radicais livres, responsáveis pelo envelhecimento precoce e entupimento de artérias.

 O coordenador da pesquisa Carlos Thadeu de Oliveira afirma que a quantidade mínima de cacau no chocolate deve ser de 25%, segundo a legislação brasileira. Oliveira informa que a pesquisa é baseada nas informações declaradas nos rótulos dos produtos e solicitadas a assessoria das empresas.

ESCOLHA

 O Idec aconselha o consumidor a ficar atento ao fato de quanto mais preto e mais amargo, maior é a probabilidade do produto ter boa quantidade de cacau. Outra dica é analisar a ordem dos ingredientes, pois estes são obrigados a estar em ordem decrescente, ou seja, o primeiro item citado é o que há em maior quantidade no produto.

 O consumidor também deve verificar a qualificação do cacau que existe no produto. Manteiga de cacau tem mais gordura e menos flavonóides do que a massa do cacau. Oliveira revela que o melhor chocolate é aquele que possui massa de cacau, pasta de cacau ou licor de cacau, entre os primeiros ingredientes.

 A nutricionista Alessandra Paula Neves Peron alerta que o maior perigo do chocolate é a quantidade de gordura saturada, presente em grandes quantidades no chocolate branco e ao leite.

 “As empresas estão começando a adotar o critério de informar a quantidade dos ingredientes nos produtos. O consumidor atual procura por isso nos rótulos e seleciona qual comprar”, afirma.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;