Fechar
Publicidade

Sábado, 4 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Arrecadação federal atinge R$ 537 bi e cresce 11,03%



22/12/2007 | 07:02


A arrecadação federal de impostos e contribuições previdenciárias atingiu, no acumulado do ano até novembro, R$ 537,161 bilhões – um aumento real de 11,03% em relação ao mesmo período de 2006. Ou seja, R$ 54,16 bilhões entraram neste ano a mais nos cofres do governo.

Mesmo se não houvesse o recolhimento da CPMF, o crescimento das receitas ainda seria de R$ 20,85 bilhões, pouco mais da metade do valor que o governo perderá em 2008 com o fim do tributo.

O coordenador geral de Previsão e Análise da Receita Federal, Raimundo Eloi de Carvalho, afirma que os recursos da CPMF que deixarão de ser arrecadados (cerca de R$ 40 bilhões) permitirão novos fatos geradores de impostos,já que o dinheiro circulará na economia.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Arrecadação federal atinge R$ 537 bi e cresce 11,03%


22/12/2007 | 07:02


A arrecadação federal de impostos e contribuições previdenciárias atingiu, no acumulado do ano até novembro, R$ 537,161 bilhões – um aumento real de 11,03% em relação ao mesmo período de 2006. Ou seja, R$ 54,16 bilhões entraram neste ano a mais nos cofres do governo.

Mesmo se não houvesse o recolhimento da CPMF, o crescimento das receitas ainda seria de R$ 20,85 bilhões, pouco mais da metade do valor que o governo perderá em 2008 com o fim do tributo.

O coordenador geral de Previsão e Análise da Receita Federal, Raimundo Eloi de Carvalho, afirma que os recursos da CPMF que deixarão de ser arrecadados (cerca de R$ 40 bilhões) permitirão novos fatos geradores de impostos,já que o dinheiro circulará na economia.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;