Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 28 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Às urnas, uma palavra esquecida no tempo do Estado Novo

Na segunda fase da Nova República, em 1937, a decretação do Estado Novo - ou da ditadura de Getúlio Vargas


Ademir Medici
Do Diário do Grande ABC

03/10/2010 | 00:00


Na segunda fase da Nova República, em 1937, a decretação do Estado Novo - ou da ditadura de Getúlio Vargas. Aboliam-se as eleições, suspendiam-se os direitos políticos, fechavam-se casas legislativas. Mas havia política, como não! E recepções calorosas como o banquete realizado na noite de 26 de novembro de 1938 no Cine-Teatro Carlos Gomes, em Santo André, para recepcionar o interventor federal em São Paulo, Adhemar de Barros.

Que noite! O cinema foi todo decorado. No palco, o retrato gigante de Adhemar. Nas paredes, balangandans e flores. Toalhas alvas nas mesas e um público eminentemente masculino para saudar o representante paulista de Getúlio Vargas.

Nas repartições públicas, o retrato dos ditadores de plantão, Getúlio e Adhemar e todos os demais interventores, inclusive os municipais: em Santo André o prefeito-nomeado era um advogado de São Paulo, Décio de Toledo Leite, que depois seria substituído por José de Carvalho Sobrinho, que veio de Botucatu. O mesmo Carvalho Sobrinho que, quase meio século depois, em 1984, nos contou passagens daqueles tempos.

Detalhe: Getúlio, Adhemar e Carvalho Sobrinho, com os novos tempos democráticos, seriam eleitos pelo voto popular. Mas as marcas dos tempos de exceção ficaram. E muitos dos antigos armazenam ainda retratos de Getúlio Vargas em seus guardados, taxando-o de o maior presidente que este País já teve.

DIÁRIO HÁ 30 ANOS

Sexta-feira, 3 de outubro de 1980

Manchete - CNP decide fechar postos de estâncias nos fins de semana

Primeiro Plano (Eduardo Camargo) - Gasolina: novamente o caminho errado.

São Caetano - GM e Petrobrás financiam obras no Córrego do Moinho.

Esportes - Nos Jogos de Presidente Prudente, São Caetano eleito para sediar os Abertos de 1982; no Congresso Técnico, a ação de Antonio José dos Santos, o Toninho dos Esportes, presidente da CME de São Caetano, que chorou de emoção com a conquista.

EM 3 DE OUTUBRO DE...

1930 - Começa a revolução liderada por Getúlio Vargas.

1950 - Getúlio Vargas eleito presidente da República.

1960 - Jânio Quadros eleito presidente da República.

2005 - Falece a cantora Emilinha Borba.

MUNICÍPIOS PAULISTAS

4 Rubinéia, elevado a município em 1964, quando se separa de Santa Fé do Sul.

4 Magda, elevado a município em 1953, quando se separa de Nhandeara.

HOJE

Dia do Cirurgião-Dentista Latino Americano. Dia do Petróleo.

SANTOS DO DIA

Ambrósio Francisco Ferro e companheiros, André de Soveral, Francisco de Borja, Geraldo de Brogne e Maria Josefa.

Na estampa, Santa Tereza do Menino Jesus, cuja festa litúrgica é celebrada em 1º de outubro.

Crédito da estampa: acervo Vangelista Bazani (Gili) e João de Deus Martinez.

LIVIO PIVA

(Adria, Vêneto, Itália, 16-9-1936 - São Bernardo 29-9-2010)

Na história da organização dos italianos no Grande ABC, a presença de Livio Piva, um dos históricos da Sociedade Cultural Brasilitália, de São Bernardo. Exerceu vários cargos no Conselho Deliberativo e diretoria. Cumpria o segundo mandato como 1º vice-presidente.

Estava presente em todas as atividades comunitárias ligadas à colônia italiana, entre elas a festa anual de São Bartolomeu, no Parque Municipal, em Riacho Grande.

Livio Piva chegou ao Brasil com seus familiares no início da década de 1950, indo direto para a região de Bauru, para trabalhar na lavoura do café. Pouco tempo depois, veio para São Bernardo. Aqui atuou na indústria moveleira, em terraplenagem e metalurgia, área em que fundou com os irmãos, a empresa Piva Afiação e Retífica Ltda.

Alegre, bem humorado e comunicativo, era um excelente pai, honesto, trabalhador e muito religioso. Gostava de música, de caminhar e adorava cantar. Integrava o Coral Bichieri D'Oro, que interpreta músicas italianas.

Adalberto Guazzelli, também da Brasilitália, conta que Livio Piva participava dos encontros anuais dos produtores de vinho. "A festa se repetirá, infelizmente sem a valiosa participação de nosso amigo Livio", conta Guazzelli.

Sr. Livio Piva era casado com Anna Marin Piva. Tinha dois filhos, Fernando Luigi e Fernanda Ivana, que lhes deram quatro netos: Marina, Pietro, Rafaela e Giulia. Partiu aos 74 anos e está sepultado no Cemitério de Vila Euclides. A missa de sétimo dia será realizada na próxima terça-feira (5), às 19h, na Igreja Matriz Nossa Senhora da Boa Viagem, em São Bernardo.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Às urnas, uma palavra esquecida no tempo do Estado Novo

Na segunda fase da Nova República, em 1937, a decretação do Estado Novo - ou da ditadura de Getúlio Vargas

Ademir Medici
Do Diário do Grande ABC

03/10/2010 | 00:00


Na segunda fase da Nova República, em 1937, a decretação do Estado Novo - ou da ditadura de Getúlio Vargas. Aboliam-se as eleições, suspendiam-se os direitos políticos, fechavam-se casas legislativas. Mas havia política, como não! E recepções calorosas como o banquete realizado na noite de 26 de novembro de 1938 no Cine-Teatro Carlos Gomes, em Santo André, para recepcionar o interventor federal em São Paulo, Adhemar de Barros.

Que noite! O cinema foi todo decorado. No palco, o retrato gigante de Adhemar. Nas paredes, balangandans e flores. Toalhas alvas nas mesas e um público eminentemente masculino para saudar o representante paulista de Getúlio Vargas.

Nas repartições públicas, o retrato dos ditadores de plantão, Getúlio e Adhemar e todos os demais interventores, inclusive os municipais: em Santo André o prefeito-nomeado era um advogado de São Paulo, Décio de Toledo Leite, que depois seria substituído por José de Carvalho Sobrinho, que veio de Botucatu. O mesmo Carvalho Sobrinho que, quase meio século depois, em 1984, nos contou passagens daqueles tempos.

Detalhe: Getúlio, Adhemar e Carvalho Sobrinho, com os novos tempos democráticos, seriam eleitos pelo voto popular. Mas as marcas dos tempos de exceção ficaram. E muitos dos antigos armazenam ainda retratos de Getúlio Vargas em seus guardados, taxando-o de o maior presidente que este País já teve.

DIÁRIO HÁ 30 ANOS

Sexta-feira, 3 de outubro de 1980

Manchete - CNP decide fechar postos de estâncias nos fins de semana

Primeiro Plano (Eduardo Camargo) - Gasolina: novamente o caminho errado.

São Caetano - GM e Petrobrás financiam obras no Córrego do Moinho.

Esportes - Nos Jogos de Presidente Prudente, São Caetano eleito para sediar os Abertos de 1982; no Congresso Técnico, a ação de Antonio José dos Santos, o Toninho dos Esportes, presidente da CME de São Caetano, que chorou de emoção com a conquista.

EM 3 DE OUTUBRO DE...

1930 - Começa a revolução liderada por Getúlio Vargas.

1950 - Getúlio Vargas eleito presidente da República.

1960 - Jânio Quadros eleito presidente da República.

2005 - Falece a cantora Emilinha Borba.

MUNICÍPIOS PAULISTAS

4 Rubinéia, elevado a município em 1964, quando se separa de Santa Fé do Sul.

4 Magda, elevado a município em 1953, quando se separa de Nhandeara.

HOJE

Dia do Cirurgião-Dentista Latino Americano. Dia do Petróleo.

SANTOS DO DIA

Ambrósio Francisco Ferro e companheiros, André de Soveral, Francisco de Borja, Geraldo de Brogne e Maria Josefa.

Na estampa, Santa Tereza do Menino Jesus, cuja festa litúrgica é celebrada em 1º de outubro.

Crédito da estampa: acervo Vangelista Bazani (Gili) e João de Deus Martinez.

LIVIO PIVA

(Adria, Vêneto, Itália, 16-9-1936 - São Bernardo 29-9-2010)

Na história da organização dos italianos no Grande ABC, a presença de Livio Piva, um dos históricos da Sociedade Cultural Brasilitália, de São Bernardo. Exerceu vários cargos no Conselho Deliberativo e diretoria. Cumpria o segundo mandato como 1º vice-presidente.

Estava presente em todas as atividades comunitárias ligadas à colônia italiana, entre elas a festa anual de São Bartolomeu, no Parque Municipal, em Riacho Grande.

Livio Piva chegou ao Brasil com seus familiares no início da década de 1950, indo direto para a região de Bauru, para trabalhar na lavoura do café. Pouco tempo depois, veio para São Bernardo. Aqui atuou na indústria moveleira, em terraplenagem e metalurgia, área em que fundou com os irmãos, a empresa Piva Afiação e Retífica Ltda.

Alegre, bem humorado e comunicativo, era um excelente pai, honesto, trabalhador e muito religioso. Gostava de música, de caminhar e adorava cantar. Integrava o Coral Bichieri D'Oro, que interpreta músicas italianas.

Adalberto Guazzelli, também da Brasilitália, conta que Livio Piva participava dos encontros anuais dos produtores de vinho. "A festa se repetirá, infelizmente sem a valiosa participação de nosso amigo Livio", conta Guazzelli.

Sr. Livio Piva era casado com Anna Marin Piva. Tinha dois filhos, Fernando Luigi e Fernanda Ivana, que lhes deram quatro netos: Marina, Pietro, Rafaela e Giulia. Partiu aos 74 anos e está sepultado no Cemitério de Vila Euclides. A missa de sétimo dia será realizada na próxima terça-feira (5), às 19h, na Igreja Matriz Nossa Senhora da Boa Viagem, em São Bernardo.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;