Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 14 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Flamengo abre 3 a 0, mas cede empate a Olímpia no fim



16/03/2012 | 00:28


A noite parecia de festa. Faixas e bandeiras não escondiam a vontade da torcida rubro-negra pela volta de Adriano. Ronaldinho Gaúcho e Vagner Love tinham grande atuação e o Flamengo vencia o Olímpia, do Paraguai, por 3 a 0, nesta quinta à noite, no Engenhão, até aquele momento a melhor partida do time no ano. Mas a tragédia se consumou, com uma reação heroica dos paraguaios nos 15 minutos finais e o empate por 3 a 3 teve um sabor muito amargo para os cariocas.

Nem mesmo a liderança do Grupo 2 da Libertadores, com cinco pontos, servia para consolar a massa nas arquibancadas e os jogadores abatidos dentro de campo. "Não tem como explicar um resultado desse. Tomamos gols que não podíamos tomar e sofremos um empate com sabor de derrota. Agora vamos ter quer buscar esses pontos fora de casa", disse um aborrecido e estupefato Vagner Love, ao fim do confronto histórico.

O Olímpia sai satisfeito e com confiança renovada do Rio, com quatro pontos e a segunda colocação da chave, empatado em pontos com o Lanús, da Argentina. O Emelec-EQU soma três.

Brasileiros e paraguaios voltam a se enfrentar dia 28, desta vez no Paraguai, em partida que se tornou chave para as duas equipes.

Em uma primeira etapa movimentada, os visitantes mostraram que não iriam se limitar a defender. Ao marcar pressão, os paraguaios criavam dificuldades para a saída de bola rubro-negra. Aos 13, eles só não saíram em vantagem porque o goleiro Paulo Victor salvou em cima da linha cabeçada de Orteman.

Mais tarde, Vagner Love fez jogada individual e deixou Bottinelli na cara do gol. O argentino tocou com categoria por sobre Silva para abrir o marcador. A vantagem poderia ter sido maior quando Ronaldinho achou o artilheiro livre, mas a jogada foi invalidada por impedimento, em lance difícil para a arbitragem.

"Estamos bem, fizemos um gol. A torcida pressiona para atacarmos, mas é preciso paciência", pediu Ronaldinho, que elevou o nível de atuação no segundo tempo.

Aos 11, Vagner Love tabelou com Luiz Antônio e foi derrubado por Silva na área. Ronaldinho cobrou bem e ampliou. Animado, o meia deu um passe de muita visão para Luiz Antônio marcar o terceiro, aos 19.

Com seu técnico, Gerardo Pelusso, expulso no intervalo, o Olímpia mostrou muito brio e iniciou a reação. Primeiro diminuiu em cobrança de falta violenta de Zeballos. Quando Caballero acertou belo chute cruzado, aos 39, a partida ganhou uma tensão inesperada. A tragédia se consumou aos 44. Bola perdida na intermediária e Marín apareceu livre na área para chutar cruzado e igualar uma partida quer já entra para o rol das maiores decepções rubro-negras e maiores feitos do Olímpia.

FICHA TÉCNICA:

FLAMENGO 3 X 3 OLÍMPIA

FLAMENGO - Paulo Victor; Rafael Galhardo; Marcos González, David Braz e Junior Cesar; Muralha, Luiz Antonio, Bottinelli e Thomás (Negueba); Ronaldinho Gaúcho e Vagner Love. Técnico - Joel Santana.

OLIMPIA - Martín Silva; Nájera, Romero, Meza e Ariosa; Aranda (Zeballos), Fabio Caballero, Orteman (Hobecker) e Marín; Maxi Biancucchi e Luis Caballero (Candía). Técnico - Gerardo Pelusso.

GOLS - Bottinelli, aos 38 minutos do primeiro tempo; Ronaldinho, aos 13, Luiz Antônio, aos 19, Zeballos, aos 31, Caballero, aos 39, e Marín, aos 44 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - José Buitrago (Colômbia).

CARTÕES AMARELOS - Galhardo, Negueba, Bottinelii, Fabio Caballero, Aranda, Orteman, Marín, Silva, Romero.

RENDA e PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - Estádio João Havelange (Engenhão), no Rio.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Flamengo abre 3 a 0, mas cede empate a Olímpia no fim


16/03/2012 | 00:28


A noite parecia de festa. Faixas e bandeiras não escondiam a vontade da torcida rubro-negra pela volta de Adriano. Ronaldinho Gaúcho e Vagner Love tinham grande atuação e o Flamengo vencia o Olímpia, do Paraguai, por 3 a 0, nesta quinta à noite, no Engenhão, até aquele momento a melhor partida do time no ano. Mas a tragédia se consumou, com uma reação heroica dos paraguaios nos 15 minutos finais e o empate por 3 a 3 teve um sabor muito amargo para os cariocas.

Nem mesmo a liderança do Grupo 2 da Libertadores, com cinco pontos, servia para consolar a massa nas arquibancadas e os jogadores abatidos dentro de campo. "Não tem como explicar um resultado desse. Tomamos gols que não podíamos tomar e sofremos um empate com sabor de derrota. Agora vamos ter quer buscar esses pontos fora de casa", disse um aborrecido e estupefato Vagner Love, ao fim do confronto histórico.

O Olímpia sai satisfeito e com confiança renovada do Rio, com quatro pontos e a segunda colocação da chave, empatado em pontos com o Lanús, da Argentina. O Emelec-EQU soma três.

Brasileiros e paraguaios voltam a se enfrentar dia 28, desta vez no Paraguai, em partida que se tornou chave para as duas equipes.

Em uma primeira etapa movimentada, os visitantes mostraram que não iriam se limitar a defender. Ao marcar pressão, os paraguaios criavam dificuldades para a saída de bola rubro-negra. Aos 13, eles só não saíram em vantagem porque o goleiro Paulo Victor salvou em cima da linha cabeçada de Orteman.

Mais tarde, Vagner Love fez jogada individual e deixou Bottinelli na cara do gol. O argentino tocou com categoria por sobre Silva para abrir o marcador. A vantagem poderia ter sido maior quando Ronaldinho achou o artilheiro livre, mas a jogada foi invalidada por impedimento, em lance difícil para a arbitragem.

"Estamos bem, fizemos um gol. A torcida pressiona para atacarmos, mas é preciso paciência", pediu Ronaldinho, que elevou o nível de atuação no segundo tempo.

Aos 11, Vagner Love tabelou com Luiz Antônio e foi derrubado por Silva na área. Ronaldinho cobrou bem e ampliou. Animado, o meia deu um passe de muita visão para Luiz Antônio marcar o terceiro, aos 19.

Com seu técnico, Gerardo Pelusso, expulso no intervalo, o Olímpia mostrou muito brio e iniciou a reação. Primeiro diminuiu em cobrança de falta violenta de Zeballos. Quando Caballero acertou belo chute cruzado, aos 39, a partida ganhou uma tensão inesperada. A tragédia se consumou aos 44. Bola perdida na intermediária e Marín apareceu livre na área para chutar cruzado e igualar uma partida quer já entra para o rol das maiores decepções rubro-negras e maiores feitos do Olímpia.

FICHA TÉCNICA:

FLAMENGO 3 X 3 OLÍMPIA

FLAMENGO - Paulo Victor; Rafael Galhardo; Marcos González, David Braz e Junior Cesar; Muralha, Luiz Antonio, Bottinelli e Thomás (Negueba); Ronaldinho Gaúcho e Vagner Love. Técnico - Joel Santana.

OLIMPIA - Martín Silva; Nájera, Romero, Meza e Ariosa; Aranda (Zeballos), Fabio Caballero, Orteman (Hobecker) e Marín; Maxi Biancucchi e Luis Caballero (Candía). Técnico - Gerardo Pelusso.

GOLS - Bottinelli, aos 38 minutos do primeiro tempo; Ronaldinho, aos 13, Luiz Antônio, aos 19, Zeballos, aos 31, Caballero, aos 39, e Marín, aos 44 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - José Buitrago (Colômbia).

CARTÕES AMARELOS - Galhardo, Negueba, Bottinelii, Fabio Caballero, Aranda, Orteman, Marín, Silva, Romero.

RENDA e PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - Estádio João Havelange (Engenhão), no Rio.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;