Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 11 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Mulher reclama de troca com cupom


Vanessa Selicani
Especial para o Diário

22/10/2007 | 07:07


A juíza federal Meire Iwai Sakata, de São Bernardo, tentou trocar um brinquedo ganho pela filha nas Lojas Americanas, mas não conseguiu porque não tinha a nota fiscal.

“Troquei presentes repetidos em outras lojas de brinquedo e não precisei da nota. A Americanas foi a única que dificultou”, reclamou Meire. Ela não tem o comprovante porque a mercadoria foi um presente.

Mas, segundo o Procon-SP, quem vende não tem obrigação de trocar o produto, apenas quando a compra do produto é feita pela internet ou por meio de catálogo.

“A maioria das empresas faz a troca, mas por política própria. Nesses casos, pode estabelecer suas próprias normas”, esclareceu a técnica em defesa do consumidor pelo Procon-SP, Valéria Cunha.

As lojas são obrigadas a trocar quando há um defeito no produto. Se possível, ele pode também ser mandado à assistência técnica para conserto.

As Lojas Americanas afirmaram que a política de troca da empresa é substituir o produto apenas mediante a apresentação do cupom fiscal. (Supervisão de Heloísa Cestari)


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Mulher reclama de troca com cupom

Vanessa Selicani
Especial para o Diário

22/10/2007 | 07:07


A juíza federal Meire Iwai Sakata, de São Bernardo, tentou trocar um brinquedo ganho pela filha nas Lojas Americanas, mas não conseguiu porque não tinha a nota fiscal.

“Troquei presentes repetidos em outras lojas de brinquedo e não precisei da nota. A Americanas foi a única que dificultou”, reclamou Meire. Ela não tem o comprovante porque a mercadoria foi um presente.

Mas, segundo o Procon-SP, quem vende não tem obrigação de trocar o produto, apenas quando a compra do produto é feita pela internet ou por meio de catálogo.

“A maioria das empresas faz a troca, mas por política própria. Nesses casos, pode estabelecer suas próprias normas”, esclareceu a técnica em defesa do consumidor pelo Procon-SP, Valéria Cunha.

As lojas são obrigadas a trocar quando há um defeito no produto. Se possível, ele pode também ser mandado à assistência técnica para conserto.

As Lojas Americanas afirmaram que a política de troca da empresa é substituir o produto apenas mediante a apresentação do cupom fiscal. (Supervisão de Heloísa Cestari)

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;