Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 14 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Contrate assertivamente


Cintia Bortotto

24/08/2015 | 07:00


Bem, como disse na semana passada, daria continuidade ao assunto contratação, uma vez que uma contratação equivocada pode causar muitos prejuízos para a empresa, especialmente em tempos difíceis como estes que estamos vivendo.

Vamos falar um pouco sobre as ferramentas de avaliação para a contratação. Em geral, elas são as mesmas para todos os níveis profissionais, exceto para executivos. Para as outras vagas, são utilizados os anúncios de vagas e triagem de currículos. Há um primeiro contato por telefone, uma fase de dinâmicas de grupo e/ou cases, entrevistas individuais (dependendo do cargo, da empresa e do requisitante, às vezes, mais de uma). Por fim, finaliza-se com uma proposta, exame médico e documentação. É importante salientar que as redes sociais cada vez mais se consolidam como uma maneira eficiente para a busca de perfis, em especial o Linkedin. Portanto, é muito importante manter perfis atualizados. Minha dica é: utilize esta forma de networking.

Algumas habilidades específicas são necessárias para cada perfil profissional. Na área de informática, por exemplo, é importante estar sempre por dentro das inovações e saber como aplicá-las na organização para ganhar eficiência. Boa capacidade de relacionamento e orientação para servir são competências que todas as áreas de apoio devem ter. Treinamentos e facilidade de autoaprendizagem são ferramentas importantes.

Recursos humanos é uma área que prevê boa facilidade de relacionamento, habilidade de escuta e influência, além de total confidencialidade. O RH deve ser a área a qual todos podem recorrer quando precisam de ajuda e, além disso, o departamento que prevê processos e ferramentas de Gestão de Pessoas. Atitudes como simpatia e empatia ajudam os profissionais. Para desenvolver este tipo de atitude, é importante observar a quem tem e eleger um coaching que fará o papel de dar estímulos e feedbacks sempre.

A área financeira prevê assertividade e acuracidade. Conferir os números e ter uma boa capacidade de síntese para mostrar muita coisa em uma única planilha são características bem vistas nesta área. Além disso, é uma área em que o profissional que tem de saber sobre economia, política e futuro a curto, médio e longo prazos para fazer os melhores investimentos com os recursos da empresa. Aqui uma boa formação e muita leitura são bons caminhos de desenvolvimento.

O marketing deve encantar e ser estratégico. Leitura e benchmarking são boas fontes de desenvolvimento. Obviamente, comunicação e facilidade de relacionamento também são competências importantes, afinal o marketing acaba ‘vendendo’ o produto antes mesmo do que a área de vendas. É uma área que tem de acreditar e fazer acontecer, ditar o ritmo junto com vendas.

Há inúmeras outras áreas que também poderíamos pontuar, estas são apenas algumas dicas para selecionadores e candidatos. Siga confiante e boa sorte!

* Cíntia Bortotto é consultora em RH, psicóloga pela PUC-SP, especialista em recursos humanos pela FGV, em dinâmicas de grupo pela Associação Brasileira de Dinâmicas de Grupo, com MBA em Gestão de Negócios, também pela FGV. Como executiva de sucesso, atuou em grandes empresas como Otis, Unilever e Bombril – www.cintiabortotto.com.br 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Contrate assertivamente

Cintia Bortotto

24/08/2015 | 07:00


Bem, como disse na semana passada, daria continuidade ao assunto contratação, uma vez que uma contratação equivocada pode causar muitos prejuízos para a empresa, especialmente em tempos difíceis como estes que estamos vivendo.

Vamos falar um pouco sobre as ferramentas de avaliação para a contratação. Em geral, elas são as mesmas para todos os níveis profissionais, exceto para executivos. Para as outras vagas, são utilizados os anúncios de vagas e triagem de currículos. Há um primeiro contato por telefone, uma fase de dinâmicas de grupo e/ou cases, entrevistas individuais (dependendo do cargo, da empresa e do requisitante, às vezes, mais de uma). Por fim, finaliza-se com uma proposta, exame médico e documentação. É importante salientar que as redes sociais cada vez mais se consolidam como uma maneira eficiente para a busca de perfis, em especial o Linkedin. Portanto, é muito importante manter perfis atualizados. Minha dica é: utilize esta forma de networking.

Algumas habilidades específicas são necessárias para cada perfil profissional. Na área de informática, por exemplo, é importante estar sempre por dentro das inovações e saber como aplicá-las na organização para ganhar eficiência. Boa capacidade de relacionamento e orientação para servir são competências que todas as áreas de apoio devem ter. Treinamentos e facilidade de autoaprendizagem são ferramentas importantes.

Recursos humanos é uma área que prevê boa facilidade de relacionamento, habilidade de escuta e influência, além de total confidencialidade. O RH deve ser a área a qual todos podem recorrer quando precisam de ajuda e, além disso, o departamento que prevê processos e ferramentas de Gestão de Pessoas. Atitudes como simpatia e empatia ajudam os profissionais. Para desenvolver este tipo de atitude, é importante observar a quem tem e eleger um coaching que fará o papel de dar estímulos e feedbacks sempre.

A área financeira prevê assertividade e acuracidade. Conferir os números e ter uma boa capacidade de síntese para mostrar muita coisa em uma única planilha são características bem vistas nesta área. Além disso, é uma área em que o profissional que tem de saber sobre economia, política e futuro a curto, médio e longo prazos para fazer os melhores investimentos com os recursos da empresa. Aqui uma boa formação e muita leitura são bons caminhos de desenvolvimento.

O marketing deve encantar e ser estratégico. Leitura e benchmarking são boas fontes de desenvolvimento. Obviamente, comunicação e facilidade de relacionamento também são competências importantes, afinal o marketing acaba ‘vendendo’ o produto antes mesmo do que a área de vendas. É uma área que tem de acreditar e fazer acontecer, ditar o ritmo junto com vendas.

Há inúmeras outras áreas que também poderíamos pontuar, estas são apenas algumas dicas para selecionadores e candidatos. Siga confiante e boa sorte!

* Cíntia Bortotto é consultora em RH, psicóloga pela PUC-SP, especialista em recursos humanos pela FGV, em dinâmicas de grupo pela Associação Brasileira de Dinâmicas de Grupo, com MBA em Gestão de Negócios, também pela FGV. Como executiva de sucesso, atuou em grandes empresas como Otis, Unilever e Bombril – www.cintiabortotto.com.br 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;