Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 19 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Kuwait acusa Bagdá de quer roubar seu petróleo


Do Diário do Grande ABC

15/09/2000 | 11:20


A tensao subiu de novo nesta sexta-feira no Golfo Pérsico, onde o Kuwait acusou o Iraque de querer provocar uma nova guerra, com o pretexto de que o Emirado quer se apoderar do petróleo cru iraquiano.

A imprensa kuwaitiana publicou em primeira página as ameaças proferidas pelo Iraque, as mesmas das vésperas da invasao do Kuwait em 2 de agosto de 1990.

O ministro iraquiano do Petróleo, Amer Mohamed Rachid, acusou nesta quinta-feira o Kuwait de ``nos últimos anos sabotar os campos petroleiros do Iraque'' e de ter iniciado ``operaçoes de perfuraçao horizontal na zona fronteiriça para bombear a partir das jazidas de petróleo iraquianas''.

``O Iraque reaviva as tensoes de 2 de agosto, após ter acusado o Kuwait de roubar seu petróleo cru'', intitulou o jornal kuwaitiano Al-Watan.

Para o ministro kuwaitiano da Informaçao, Saad Ben Telfah al-Ajmi, ``as declaraçoes injuriosas e as acusaçoes do Iraque têm como objetivo fazer a regiao entrar em novas guerras e crises, criando problemas com seus vizinhos''.

``Rechaçamos essas acusaçoes. Nao podemos roubar o que está efetivamente em nosso território'', contra-atacou o chefe da diplomacia kuwaitiana, Sabah Al-Ahmed Al-Sabah.

O ministro do Petróleo, Saud Nasser Al-Sabah, explicou que ``se trata de fato de um poço que faz parte de uma jazida compartilhada pelos dois países, com uma produçao de 43 mil barris diários (bpd)''.

``A ONU vigia nossas operaçoes'', assegurou o ministro.

Segundo o subsecretário do ministério iraquiano do Petróleo, Fayez Chahin, ``o roubo acontece nos campos de Rumeila e Zubeir''.

O Iraque invadiu o Kuwait em agosto de 1990, após tê-lo acusado de ``roubar'' seu petróleo no campo de Rumeila e de se apropriar de parte de seu território.

Uma coalizao internacional dirigida pelos Estados Unidos libertou o emirado sete meses mais tarde.

Ao ser entrevistado pela AFP, o Deputado kuwaitiano e chefe da comissao parlamentar de Relaçoes Exteriores, Mohamed Al-Saqr, afirmou que ``o regime iraquiano parece ter certo objetivo, mas a situaçao atual é muito diferente do que era em agosto de 1990''.

``Os iraquianos se acostumaram a criar crises e sao perfeitamente conscientes de que o Kuwait nao rouba seu petróleo'', afirmou.

Outro Deputado, Jamis Eqab, afirmou que nao o surpreendiam as ``ameaças iraquianas'', mas pôs em dúvida a capacidade do presidente Saddam Hussein de lançar um ataque.

``O regime iraquiano tem a intençao de repetir sua aventura de 1990, mas é claro que nao tem a capacidade'', afirmou o Deputado.

Nos Estados Unidos, o porta-voz do Pentágono, Kenneth Bacon, afirmou que seu país observava ``muito cuidadosamente o Iraque, em particular neste período do ano, já que nos meses de agosto, setembro e outubro sao historicamente os períodos durante os quais Saddam Hussein decidiram atacar seus vizinhos ou seu próprio povo''.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Kuwait acusa Bagdá de quer roubar seu petróleo

Do Diário do Grande ABC

15/09/2000 | 11:20


A tensao subiu de novo nesta sexta-feira no Golfo Pérsico, onde o Kuwait acusou o Iraque de querer provocar uma nova guerra, com o pretexto de que o Emirado quer se apoderar do petróleo cru iraquiano.

A imprensa kuwaitiana publicou em primeira página as ameaças proferidas pelo Iraque, as mesmas das vésperas da invasao do Kuwait em 2 de agosto de 1990.

O ministro iraquiano do Petróleo, Amer Mohamed Rachid, acusou nesta quinta-feira o Kuwait de ``nos últimos anos sabotar os campos petroleiros do Iraque'' e de ter iniciado ``operaçoes de perfuraçao horizontal na zona fronteiriça para bombear a partir das jazidas de petróleo iraquianas''.

``O Iraque reaviva as tensoes de 2 de agosto, após ter acusado o Kuwait de roubar seu petróleo cru'', intitulou o jornal kuwaitiano Al-Watan.

Para o ministro kuwaitiano da Informaçao, Saad Ben Telfah al-Ajmi, ``as declaraçoes injuriosas e as acusaçoes do Iraque têm como objetivo fazer a regiao entrar em novas guerras e crises, criando problemas com seus vizinhos''.

``Rechaçamos essas acusaçoes. Nao podemos roubar o que está efetivamente em nosso território'', contra-atacou o chefe da diplomacia kuwaitiana, Sabah Al-Ahmed Al-Sabah.

O ministro do Petróleo, Saud Nasser Al-Sabah, explicou que ``se trata de fato de um poço que faz parte de uma jazida compartilhada pelos dois países, com uma produçao de 43 mil barris diários (bpd)''.

``A ONU vigia nossas operaçoes'', assegurou o ministro.

Segundo o subsecretário do ministério iraquiano do Petróleo, Fayez Chahin, ``o roubo acontece nos campos de Rumeila e Zubeir''.

O Iraque invadiu o Kuwait em agosto de 1990, após tê-lo acusado de ``roubar'' seu petróleo no campo de Rumeila e de se apropriar de parte de seu território.

Uma coalizao internacional dirigida pelos Estados Unidos libertou o emirado sete meses mais tarde.

Ao ser entrevistado pela AFP, o Deputado kuwaitiano e chefe da comissao parlamentar de Relaçoes Exteriores, Mohamed Al-Saqr, afirmou que ``o regime iraquiano parece ter certo objetivo, mas a situaçao atual é muito diferente do que era em agosto de 1990''.

``Os iraquianos se acostumaram a criar crises e sao perfeitamente conscientes de que o Kuwait nao rouba seu petróleo'', afirmou.

Outro Deputado, Jamis Eqab, afirmou que nao o surpreendiam as ``ameaças iraquianas'', mas pôs em dúvida a capacidade do presidente Saddam Hussein de lançar um ataque.

``O regime iraquiano tem a intençao de repetir sua aventura de 1990, mas é claro que nao tem a capacidade'', afirmou o Deputado.

Nos Estados Unidos, o porta-voz do Pentágono, Kenneth Bacon, afirmou que seu país observava ``muito cuidadosamente o Iraque, em particular neste período do ano, já que nos meses de agosto, setembro e outubro sao historicamente os períodos durante os quais Saddam Hussein decidiram atacar seus vizinhos ou seu próprio povo''.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;