Fechar
Publicidade

Sábado, 7 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Toneladas de tomate estragam na fronteira com a Argentina


Do Diário do Grande ABC

26/09/2000 | 10:01


Cerca de 70 toneladas de tomate brasileiro estao apodrecendo na fronteira da Argentina, por causa do protecionismo disfarçado de rigor técnico do governo argentino.

A carga nao pode ser descarregada no país enquanto a Vigilância Sanitária argentina nao emitir um parecer de qualidade para o produto. Enquanto isso, a carga nao aguenta e acaba estragando em cima dos caminhoes.

Além do tomate, outros produtos de exportaçao que sao barrados na fronteira argentina sao o frango e o açúcar, que sao sobretaxados em 20%.

Apesar de todo o rigor técnico, quem sofre com o protecionismo é o consumidor argentino. No país, o tomate nacional custa o triplo do brasileiro e o açúcar o dobro. Por causa disso, os argentinos costumam cruzar a fronteira para comprar mais barato.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Toneladas de tomate estragam na fronteira com a Argentina

Do Diário do Grande ABC

26/09/2000 | 10:01


Cerca de 70 toneladas de tomate brasileiro estao apodrecendo na fronteira da Argentina, por causa do protecionismo disfarçado de rigor técnico do governo argentino.

A carga nao pode ser descarregada no país enquanto a Vigilância Sanitária argentina nao emitir um parecer de qualidade para o produto. Enquanto isso, a carga nao aguenta e acaba estragando em cima dos caminhoes.

Além do tomate, outros produtos de exportaçao que sao barrados na fronteira argentina sao o frango e o açúcar, que sao sobretaxados em 20%.

Apesar de todo o rigor técnico, quem sofre com o protecionismo é o consumidor argentino. No país, o tomate nacional custa o triplo do brasileiro e o açúcar o dobro. Por causa disso, os argentinos costumam cruzar a fronteira para comprar mais barato.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;