Fechar
Publicidade

Sábado, 18 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Vereadores questionam contratação da Suzantur

Denis Maciel/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Três parlamentares pediram informações sobre acordo emergencial no transporte em Mauá


Cynthia Tavares
Do Diário do Grande ABC

31/10/2013 | 07:00


Os vereadores de Mauá questionaram a contratação emergencial da Suzantur, responsável por cinco itinerários de ônibus da cidade. Os parlamentares reclamaram que não foram comunicados pelo Executivo sobre a mudança no sistema do transporte municipal.

Manoel Lopes (DEM), Sandra Regina (PMDB) e Severino do MSTU (Pros) protocolaram documento solicitando detalhes do contrato e informações sobre a empresa, que presta serviço na cidade desde o dia 19.

A vereadora analisou que faltou diálogo com o Legislativo para explicar a urgência da situação. “Nós fomos pegos de surpresa. Só sabíamos da briga judicial e descontentamento da população com o transporte público”, disse.

Manoel explicou que a administração fechou contrato com a Suzantur sem revelar detalhes importantes, como os proprietários e o tamanho da frota. “Quero a cópia do contrato com a empresa para saber quem são os donos. Não posso tomar outra iniciativa de apuração antes de receber os contratos”, declarou.

A única coisa que se sabe sobre a empresa é que os ônibus utilizados por ela são da Oak Tree, instituição que atuou na Zona Oeste da Capital. As atividades foram encerradas em setembro.

A condição dos veículos é alvo de críticas da população. O Diário realizou oito viagens em quatro itinerários diferentes atendidos pela Suzantur e constatou diversos problemas como superlotação e má conservação dos coletivos.

Sandra reiterou que as reclamações motivaram o seu requerimento. “As portas dos veículos são do lado esquerdo (na Capital existem corredores exclusivos para ônibus, que necessitam dessa adaptação). Em Mauá, isso pode ocasionar acidentes porque os usuários descem na rua. Em horário de pico, as pessoas vão espremidas”, relatou a peemedebista.

Diante da polêmica no plenário, o líder do governo na Câmara, vereador Marcelo Oliveira (PT), avisou aos colegas que o chefe do Executivo Donisete Braga (PT) realizará evento hoje com os conselheiros do PPA (Plano Plurianual) Participativo e abordará a questão do transporte. “O prefeito vai realizar esse debate durante o encontro e explicar a situação”, garantiu. A reunião será às 19h, no salão nobre do Independente Futebol Clube.

ÔNIBUS QUEIMADOS

A entrada da Suzantur em Mauá foi complicada. O Paço rompeu o contrato com a Leblon e Viação Cidade de Mauá no dia 18. Na manhã seguinte, quando a empresa contratada emergencialmente começou a atuar, quatro coletivos da sua frota foram queimados e três sofreram depredação.

A briga judicial pelo transporte municipal mauaense se arrasta há anos. Em setembro, a Prefeitura conseguiu reaver na Justiça o controle do sistema, o que permitiu o rompimento do contrato.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Vereadores questionam contratação da Suzantur

Três parlamentares pediram informações sobre acordo emergencial no transporte em Mauá

Cynthia Tavares
Do Diário do Grande ABC

31/10/2013 | 07:00


Os vereadores de Mauá questionaram a contratação emergencial da Suzantur, responsável por cinco itinerários de ônibus da cidade. Os parlamentares reclamaram que não foram comunicados pelo Executivo sobre a mudança no sistema do transporte municipal.

Manoel Lopes (DEM), Sandra Regina (PMDB) e Severino do MSTU (Pros) protocolaram documento solicitando detalhes do contrato e informações sobre a empresa, que presta serviço na cidade desde o dia 19.

A vereadora analisou que faltou diálogo com o Legislativo para explicar a urgência da situação. “Nós fomos pegos de surpresa. Só sabíamos da briga judicial e descontentamento da população com o transporte público”, disse.

Manoel explicou que a administração fechou contrato com a Suzantur sem revelar detalhes importantes, como os proprietários e o tamanho da frota. “Quero a cópia do contrato com a empresa para saber quem são os donos. Não posso tomar outra iniciativa de apuração antes de receber os contratos”, declarou.

A única coisa que se sabe sobre a empresa é que os ônibus utilizados por ela são da Oak Tree, instituição que atuou na Zona Oeste da Capital. As atividades foram encerradas em setembro.

A condição dos veículos é alvo de críticas da população. O Diário realizou oito viagens em quatro itinerários diferentes atendidos pela Suzantur e constatou diversos problemas como superlotação e má conservação dos coletivos.

Sandra reiterou que as reclamações motivaram o seu requerimento. “As portas dos veículos são do lado esquerdo (na Capital existem corredores exclusivos para ônibus, que necessitam dessa adaptação). Em Mauá, isso pode ocasionar acidentes porque os usuários descem na rua. Em horário de pico, as pessoas vão espremidas”, relatou a peemedebista.

Diante da polêmica no plenário, o líder do governo na Câmara, vereador Marcelo Oliveira (PT), avisou aos colegas que o chefe do Executivo Donisete Braga (PT) realizará evento hoje com os conselheiros do PPA (Plano Plurianual) Participativo e abordará a questão do transporte. “O prefeito vai realizar esse debate durante o encontro e explicar a situação”, garantiu. A reunião será às 19h, no salão nobre do Independente Futebol Clube.

ÔNIBUS QUEIMADOS

A entrada da Suzantur em Mauá foi complicada. O Paço rompeu o contrato com a Leblon e Viação Cidade de Mauá no dia 18. Na manhã seguinte, quando a empresa contratada emergencialmente começou a atuar, quatro coletivos da sua frota foram queimados e três sofreram depredação.

A briga judicial pelo transporte municipal mauaense se arrasta há anos. Em setembro, a Prefeitura conseguiu reaver na Justiça o controle do sistema, o que permitiu o rompimento do contrato.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;