Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 20 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

A Petrópolis de Santos

Vida e morte da Fazenda Bandeirantes


Ademir Medici
Do Diário do Grande ABC

26/03/2021 | 00:01


Há 70 anos, Ribeirão Pires estava ganhando a Fazenda Bandeirantes, iniciativa de uma empresa formada por santistas que descobriram as qualidades climáticas da cidade

A memorialista Claudia Ferreira, do blog Santo André Ontem e Hoje, descobriu uma matéria sobre a Fazenda Bandeirantes, escrita por José V. da Silva e publicada pela revista Fauna (edição de setembro de 1950).

O autor define Ribeirão Pires como a “Petrópolis Santista”. “Intenso número de pessoas procura a belíssima estância de repouso, pela excelência do seu clima e suas águas, cenário montanhoso e suave e várias propriedades agrícolas”, escreveu o repórter, para entrar no cerne do texto: o empreendimento da Fazenda Bandeirantes.

O projeto nasceu da Sociedade Bandeirantes de Ribeirão Pires Ltda, “firma exclusivamente composta de santistas, a quatro quilômetros do Centro, com 84 alqueires”.</CW>

As imagens, ilustrativas, demonstram que a Fazenda Bandeirantes ainda não estava pronta em 1950. Mas previa: quatro moradias, reservatório de água, estábulo, 50 divisões para vacas, piquetes cobertos para bezerros, depósito de ferragens, baias para animais de monta e de trabalho, tanques para lavagem de latões de leite, depósito de arreios, pocilgas modernas, quatro galinheiros de pedra e cal.

A colônia comportaria três grupos de moradias. Junto à olaria, um sobrado de tijolos para os encarregados.

Da Fazenda Bandeirantes faziam parte, ainda, “duas grandes pedreiras”. O projeto estabelecia espaço para granja e agricultura.

Aos interessados no empreendimento, era possível pensar na construção de hotéis e vivendas em torno de lagos e jardins ornamentais.

Em destaque, uma capela, “com telhado vermelho contrastando com a alvura das paredes”.

TRINTA ANOS DEPOIS...

A Fazenda Bandeirantes tornou-se realidade. Marcou época, mas não chegou aos dias atuais como previam seus idealizadores. O empreendimento ruiu tristemente na primeira metade da década de 1980, conforme reportagens publicadas pelo Diário, várias delas com a assinatura da jornalista Claudia Muller, hoje de volta à sua Jundiaí.

E HOJE?

Fica a pauta: ir ao local onde existiu a Fazenda Bandeirantes e focalizar o panorama atual. Um trabalho para a Associação Pró-Memória de Ribeirão Pires, tão logo passe o drama da pandemia. Memória se propõe a acompanhar.

Diário há meio século

Sexta-feira, 26 de março de 1971 – ano 13, edição 1495

Manchete – O ABC recebe o vice-presidente

Almirante Augusto Rademaker estará hoje (26-3-1971) no distrito de Utinga, em Santo André. Presidirá a solenidade inaugural das novas instalações da Utingás Armazenadora S/A.

Eu Comento (Eduardo Camargo) – Houve em Ribeirão Pires, por iniciativa do prefeito Antonio Simões, um aumento considerável na cobrança da taxa de fornecimento de água. Muita gente está pagando o dobro, ou quase o dobro, do que vinha pagando anteriormente.

Suplemento infantil – Diarinho, no seu nascedouro, organizava pintura ao ar livre.

Em 26 de março de...

1901 – Ato do governo do Estado concede à Prefeitura de São Bernardo a verba de 6:474$000 para os consertos de que necessita o prédio da cadeia da Villa de São Bernardo.

Marselha, 22. Os carpinteiros, serralheiros e operários das padarias ameaçam entrar em greve por solidariedade com os estivadores, categoria já paralisada.

1921 – Roma, 25. Atentado a dinamite no Teatro Diana, em Milão, provoca mais de 30 mortes. Cinco filas de cadeiras próximas ao palco foram totalmente destruídas. Hospitais cheios de feridos.

“A cidade está de luto. O ultraje é uma mancha na hospitalidade, boa fama e tradição da cidade”, escreveu o Corrieri della Sera.

Presos centenas de anarquistas, que se supõem implicados no atentado.

1956 –</CF> Conselho Nacional de Educação analisava projeto de criação de uma faculdade de direito em São Caetano.

O Centro Acadêmico XI de Agosto, da Faculdade de Direito do Largo São Francisco, opunha-se ao projeto, dentro da campanha contra as escolas fraudulentas. E relacionava:

1 – A faculdade de São Caetano funcionaria no prédio de um grupo escolar.

2 – Teria uma congregação de fachada.

3 – Não existia no município nenhum curso clássico, “elo indispensável entre o curso secundário e uma escola superior”.

Assinava o manifesto Paulo de Azevedo Marques, presidente do CA XI de Agosto.

Santos do dia

- Ludgero

Municípios paulistas

- Hoje é o aniversário de Barueri, Capela do Alto, Carapicuiba, Ipuã, Poá, Riolândia, Santo Antonio do Jardim e Terra Roxa.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;