Fechar
Publicidade

Sábado, 28 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Acordo de Príncipe Harry e Meghan Markle com a Netflix chega a 794 milhões de reais

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


04/09/2020 | 11:10


Meghan Markle e príncipe Harry fecharam um acordo com a Netflix para a produção de filmes e programas de TV. Segundo o jornal Daily Mail, a parceria rendeu ao casal um contrato de 150 milhões de dólares, cerca de 736 milhões e 680 mil reais.

Em declaração, o co-CEO e diretor de conteúdo da plataforma de streaming, Ted Sarandos, comentou a participação do casal.

Harry e Meghan inspiraram milhões de pessoas em todo o mundo com sua autenticidade, otimismo e liderança. Estamos extremamente orgulhosos por eles terem escolhido a Netflix como seu lar criativo e ansiosos para contarmos juntos histórias que podem ajudar a construir resiliência e aumentar a compreensão do público em todos os lugares.

Mas, de acordo com a mídia britânica, o acordo não passa de uma tentativa da Netflix de chamar ainda mais atenção e, de quebra, gerar mais assinaturas já que o casal é muito reconhecido por fazer parte da realeza. Isso, inclusive, está dando o que falar porque, conforme noticiado pelo jornal Express, a rainha Elizabeth está sendo pressionada a retirar os títulos reais do casal.

Assim que se afastaram da família real no início deste ano, Harry e Meghan foram informados de que não poderiam mais usar seus títulos de Sua Alteza Real, mas que ainda seriam conhecidos como Duque e Duquesa de Sussex. Porém, após a notícia sobre o acordo com a Netflix, a situação do casal pode mudar.

Nas redes sociais, inúmeros apoiadores da família real se pronunciaram sobre o acordo feito pelo casal, que atualmente mora em Los Angeles, Estados Unidos, com o filho Archie. Para alguns internautas, Harry e Meghan estariam obtendo ganhos financeiros às custas do prestígio da maior monarquia do mundo.

Eles reclamaram da realeza e da pressão associada, mas a Netflix não teria dado a menor atenção se eles não fossem o duque e a duquesa de Sussex, declarou um apoiador.

Eles escolheram uma vida fora da Grã-Bretanha e fora da família real. Eles são livres para fazer o que quiserem. Se as pessoas querem pagar para vê-los, boa sorte para eles. Eu apenas preferia que eles não fossem mais chamados de Duque e Duquesa de Sussex. Não é apropriado agora, afirmou outro.

Além disso, vale dizer que boa parte da frustração de alguns fãs envolve Meghan Markle.

A Netflix não parece perceber o quão impopular Meghan Markle é na Grã-Bretanha. Ela conquistou um título [de nobreza] e voltou para a Califórnia na tentativa de capitalizar esse título, disse um terceiro.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Acordo de Príncipe Harry e Meghan Markle com a Netflix chega a 794 milhões de reais


04/09/2020 | 11:10


Meghan Markle e príncipe Harry fecharam um acordo com a Netflix para a produção de filmes e programas de TV. Segundo o jornal Daily Mail, a parceria rendeu ao casal um contrato de 150 milhões de dólares, cerca de 736 milhões e 680 mil reais.

Em declaração, o co-CEO e diretor de conteúdo da plataforma de streaming, Ted Sarandos, comentou a participação do casal.

Harry e Meghan inspiraram milhões de pessoas em todo o mundo com sua autenticidade, otimismo e liderança. Estamos extremamente orgulhosos por eles terem escolhido a Netflix como seu lar criativo e ansiosos para contarmos juntos histórias que podem ajudar a construir resiliência e aumentar a compreensão do público em todos os lugares.

Mas, de acordo com a mídia britânica, o acordo não passa de uma tentativa da Netflix de chamar ainda mais atenção e, de quebra, gerar mais assinaturas já que o casal é muito reconhecido por fazer parte da realeza. Isso, inclusive, está dando o que falar porque, conforme noticiado pelo jornal Express, a rainha Elizabeth está sendo pressionada a retirar os títulos reais do casal.

Assim que se afastaram da família real no início deste ano, Harry e Meghan foram informados de que não poderiam mais usar seus títulos de Sua Alteza Real, mas que ainda seriam conhecidos como Duque e Duquesa de Sussex. Porém, após a notícia sobre o acordo com a Netflix, a situação do casal pode mudar.

Nas redes sociais, inúmeros apoiadores da família real se pronunciaram sobre o acordo feito pelo casal, que atualmente mora em Los Angeles, Estados Unidos, com o filho Archie. Para alguns internautas, Harry e Meghan estariam obtendo ganhos financeiros às custas do prestígio da maior monarquia do mundo.

Eles reclamaram da realeza e da pressão associada, mas a Netflix não teria dado a menor atenção se eles não fossem o duque e a duquesa de Sussex, declarou um apoiador.

Eles escolheram uma vida fora da Grã-Bretanha e fora da família real. Eles são livres para fazer o que quiserem. Se as pessoas querem pagar para vê-los, boa sorte para eles. Eu apenas preferia que eles não fossem mais chamados de Duque e Duquesa de Sussex. Não é apropriado agora, afirmou outro.

Além disso, vale dizer que boa parte da frustração de alguns fãs envolve Meghan Markle.

A Netflix não parece perceber o quão impopular Meghan Markle é na Grã-Bretanha. Ela conquistou um título [de nobreza] e voltou para a Califórnia na tentativa de capitalizar esse título, disse um terceiro.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;