Fechar
Publicidade

Domingo, 7 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

FHC abre 'espaço perigoso' para ACM, diz Fiergs


Do Diário do Grande ABC

17/08/1999 | 14:41


O presidente Fernando Henrique Cardoso está abrindo um "espaço perigoso" para a influência do senador Antônio Carlos Magalhaes e pagando com a elevaçao dos índices de reprovaçao popular ao seu governo. A avaliaçao foi feita nesta terça-feira pelo presidente da Federaçao das Indústrias do Rio Grande do Sul (Fiergs), Francisco Renan Proença, para quem a coordenaçao política do governo federal é "falha".

"A populaçao entende a situaçao como falta de autoridade do presidente", disse Proença. Na opiniao dele, Fernando Henrique fez "muitas concessoes" para negociar com o Congresso a possibilidade de reeleiçao. "Ele negociou demais; foi um equívoco", afirmou.

O presidente da Fiergs disse que o empresariado preocupa-se com a acentuada queda da popularidade de Fernando Henrique, apurada pelas últimas pesquisas de opiniao. O "clima" político do País interfere diretamente nos negócios, alterando níveis de investimentos e consumo, explicou. "É urgentíssimo parar esta queda", afirmou.

Logo após a abertura da 23ª Reuniao do Programa Gaúcho de Qualidade, Proença afirmou que o presidente da República deve assumir o "comando" do governo e utilizar melhor seus mecanismos de "marketing" para divulgar fatos positivos. "Nao é o presidente do Congresso (Antônio Carlos Magalhaes) que deveria anunciar o congelamento da gasolina", exemplificou.

O presidente da Fiergs reconheceu a existência de recessao interna, mas disse que o quadro "nao é tao ruim como está sendo pintado" pelos meios de comunicaçao. "Um momento de questionamento da popularidade do presidente é propício para notícias ruins", comentou.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

FHC abre 'espaço perigoso' para ACM, diz Fiergs

Do Diário do Grande ABC

17/08/1999 | 14:41


O presidente Fernando Henrique Cardoso está abrindo um "espaço perigoso" para a influência do senador Antônio Carlos Magalhaes e pagando com a elevaçao dos índices de reprovaçao popular ao seu governo. A avaliaçao foi feita nesta terça-feira pelo presidente da Federaçao das Indústrias do Rio Grande do Sul (Fiergs), Francisco Renan Proença, para quem a coordenaçao política do governo federal é "falha".

"A populaçao entende a situaçao como falta de autoridade do presidente", disse Proença. Na opiniao dele, Fernando Henrique fez "muitas concessoes" para negociar com o Congresso a possibilidade de reeleiçao. "Ele negociou demais; foi um equívoco", afirmou.

O presidente da Fiergs disse que o empresariado preocupa-se com a acentuada queda da popularidade de Fernando Henrique, apurada pelas últimas pesquisas de opiniao. O "clima" político do País interfere diretamente nos negócios, alterando níveis de investimentos e consumo, explicou. "É urgentíssimo parar esta queda", afirmou.

Logo após a abertura da 23ª Reuniao do Programa Gaúcho de Qualidade, Proença afirmou que o presidente da República deve assumir o "comando" do governo e utilizar melhor seus mecanismos de "marketing" para divulgar fatos positivos. "Nao é o presidente do Congresso (Antônio Carlos Magalhaes) que deveria anunciar o congelamento da gasolina", exemplificou.

O presidente da Fiergs reconheceu a existência de recessao interna, mas disse que o quadro "nao é tao ruim como está sendo pintado" pelos meios de comunicaçao. "Um momento de questionamento da popularidade do presidente é propício para notícias ruins", comentou.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;