Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 2 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Em 15 dias, Grande ABC vacina 12,6 mil pessoas

Nario Barbosa  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Desde janeiro de 2017, pelo menos 95,5 mil indivíduos foram imunizados entre as sete cidades


Natália Fernandjes
Do Diário do Grande ABC

20/01/2018 | 07:00


 Pelo menos 12.627 pessoas foram vacinadas contra a febre amarela nos primeiros 15 dias do ano no Grande ABC. Se contabilizadas as doses aplicadas desde janeiro de 2017, total de 95.577 indivíduos estão imunizados contra o vírus, o que corresponde a apenas 3,47% dos munícipes das sete cidades. O número é ainda menor se for considerado que moradores da Capital e de municípios próximos também procuram unidades de Saúde da região para se proteger.

O avanço da doença na Região Metropolitana e Capital tem motivado a população a lotar UBSs (Unidades Básicas de Saúde) em busca da vacina. Tendo em vista o cenário, com registros de confusão e acampamento na porta dos postos, a campanha de imunização foi antecipada – pela segunda vez – e terá início no dia 25. Até 17 de fevereiro, a meta é proteger 2,3 milhões de moradores do Grande ABC, o correspondente a 84,76% da população total das sete cidades.

A campanha será realizada com dose fracionada da vacina, conforme diretriz do Ministério da Saúde. O frasco convencionalmente utilizado na rede pública poderá ser subdividido em até cinco partes, sendo aplicado 0,1 ml da vacina. Estudos evidenciam que a vacina fracionada tem eficácia comprovada de pelo menos oito anos.

Quem já tomou uma dose da vacina, mesmo se fizer parte destes municípios incluídos na campanha, não precisará se imunizar novamente. A dose aplicada até o momento (padrão) tem validade para a vida toda, segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde).

 

MORTES

Duas pessoas morreram na Capital paulista por reação à vacina da febre amarela. Como o imunizante é produzido com o vírus vivo atenuado, há risco mínimo de uma pessoa vacinada desenvolver a doença mesmo sem ser picada pelo mosquito. Esse tipo de morte, no entanto, é raro: um caso a cada 500 mil pessoas vacinadas.

Considerando o volume de pessoas vacinadas na Capital desde outubro – cerca de 1,8 milhão – o índice de óbitos por reação vacinal registrado na cidade – um para cada 900 mil vacinados – está inferior ao previsto na literatura médica.

Boletim epidemiológico mais recente da Secretaria Estadual da Saúde paulista mostra que dos 40 registros da doença confirmados entre janeiro de 2017 até agora, 31 aconteceram em áreas sem recomendação permanente de vacina.

Na região, morte de morador de Santo André está sendo investigada. O idoso teria contraído a doença no Mato Grosso do Sul. Análise laboratorial ainda não foi concluída.

 

Sto.André terá três mutirões de imunização

A Prefeitura de Santo André realizará, no dia 27, o primeiro mutirão de vacinação contra a febre amarela. A ação deverá contemplar pessoas que precisam ser imunizadas e não podem procurar as unidades durante os dias úteis. Nesta data, todas as UBSs (Unidades Básicas de Saúde) da cidade fornecerão vacinas, das 8h às 17h.

O mutirão terá como tema Não Vacile, Vacine. Quem tem Amarelo no Peito, não tem Amarela no Sangue, em alusão à cor do brasão da cidade de Santo André.

Tanto no mutirão, quanto na campanha que começa no dia 25, serão aplicadas doses fracionadas da vacina, com o objetivo de se ampliar o número de pessoas imunizadas. Na oportunidade, para se vacinar, o munícipe precisa levar CPF, Cartão SUS (Sistema Único de Saúde) e carteirinha de vacinação.

De acordo com a Prefeitura, o município não teve nenhum caso autóctone da doença registrado neste ano e nem 2016. Também não houve nenhum registro de macaco morto pela doença.

Estão previstos ainda outros dois ‘Dias D’, 3 e 17 de fevereiro, em todo o Estado. Também nestas datas, dois sábados, as unidades de Saúde funcionarão em horário diferenciado.

 

SÃO BERNARDO

Em São Bernardo, os ‘Dias D’ serão realizados em 3, 17 e 24 de fevereiro.

Uma novidade na campanha é em relação à vacinação de idosos, que, a partir da campanha, não necessitarão mais apresentar laudo médico, apenas avaliação com a equipe de enfermagem. As crianças de 9 meses a 2 anos, serão imunizadas com a dose padrão, enquanto que e as gestantes, só serão imunizadas, mediante comprovação de moradia em área de risco.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Em 15 dias, Grande ABC vacina 12,6 mil pessoas

Desde janeiro de 2017, pelo menos 95,5 mil indivíduos foram imunizados entre as sete cidades

Natália Fernandjes
Do Diário do Grande ABC

20/01/2018 | 07:00


 Pelo menos 12.627 pessoas foram vacinadas contra a febre amarela nos primeiros 15 dias do ano no Grande ABC. Se contabilizadas as doses aplicadas desde janeiro de 2017, total de 95.577 indivíduos estão imunizados contra o vírus, o que corresponde a apenas 3,47% dos munícipes das sete cidades. O número é ainda menor se for considerado que moradores da Capital e de municípios próximos também procuram unidades de Saúde da região para se proteger.

O avanço da doença na Região Metropolitana e Capital tem motivado a população a lotar UBSs (Unidades Básicas de Saúde) em busca da vacina. Tendo em vista o cenário, com registros de confusão e acampamento na porta dos postos, a campanha de imunização foi antecipada – pela segunda vez – e terá início no dia 25. Até 17 de fevereiro, a meta é proteger 2,3 milhões de moradores do Grande ABC, o correspondente a 84,76% da população total das sete cidades.

A campanha será realizada com dose fracionada da vacina, conforme diretriz do Ministério da Saúde. O frasco convencionalmente utilizado na rede pública poderá ser subdividido em até cinco partes, sendo aplicado 0,1 ml da vacina. Estudos evidenciam que a vacina fracionada tem eficácia comprovada de pelo menos oito anos.

Quem já tomou uma dose da vacina, mesmo se fizer parte destes municípios incluídos na campanha, não precisará se imunizar novamente. A dose aplicada até o momento (padrão) tem validade para a vida toda, segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde).

 

MORTES

Duas pessoas morreram na Capital paulista por reação à vacina da febre amarela. Como o imunizante é produzido com o vírus vivo atenuado, há risco mínimo de uma pessoa vacinada desenvolver a doença mesmo sem ser picada pelo mosquito. Esse tipo de morte, no entanto, é raro: um caso a cada 500 mil pessoas vacinadas.

Considerando o volume de pessoas vacinadas na Capital desde outubro – cerca de 1,8 milhão – o índice de óbitos por reação vacinal registrado na cidade – um para cada 900 mil vacinados – está inferior ao previsto na literatura médica.

Boletim epidemiológico mais recente da Secretaria Estadual da Saúde paulista mostra que dos 40 registros da doença confirmados entre janeiro de 2017 até agora, 31 aconteceram em áreas sem recomendação permanente de vacina.

Na região, morte de morador de Santo André está sendo investigada. O idoso teria contraído a doença no Mato Grosso do Sul. Análise laboratorial ainda não foi concluída.

 

Sto.André terá três mutirões de imunização

A Prefeitura de Santo André realizará, no dia 27, o primeiro mutirão de vacinação contra a febre amarela. A ação deverá contemplar pessoas que precisam ser imunizadas e não podem procurar as unidades durante os dias úteis. Nesta data, todas as UBSs (Unidades Básicas de Saúde) da cidade fornecerão vacinas, das 8h às 17h.

O mutirão terá como tema Não Vacile, Vacine. Quem tem Amarelo no Peito, não tem Amarela no Sangue, em alusão à cor do brasão da cidade de Santo André.

Tanto no mutirão, quanto na campanha que começa no dia 25, serão aplicadas doses fracionadas da vacina, com o objetivo de se ampliar o número de pessoas imunizadas. Na oportunidade, para se vacinar, o munícipe precisa levar CPF, Cartão SUS (Sistema Único de Saúde) e carteirinha de vacinação.

De acordo com a Prefeitura, o município não teve nenhum caso autóctone da doença registrado neste ano e nem 2016. Também não houve nenhum registro de macaco morto pela doença.

Estão previstos ainda outros dois ‘Dias D’, 3 e 17 de fevereiro, em todo o Estado. Também nestas datas, dois sábados, as unidades de Saúde funcionarão em horário diferenciado.

 

SÃO BERNARDO

Em São Bernardo, os ‘Dias D’ serão realizados em 3, 17 e 24 de fevereiro.

Uma novidade na campanha é em relação à vacinação de idosos, que, a partir da campanha, não necessitarão mais apresentar laudo médico, apenas avaliação com a equipe de enfermagem. As crianças de 9 meses a 2 anos, serão imunizadas com a dose padrão, enquanto que e as gestantes, só serão imunizadas, mediante comprovação de moradia em área de risco.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;