Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 12 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

CPI do Natal Iluminado cogita acionar BC e Receita por dados


Daniel Tossato
Do Diário do Grande ABC

27/09/2019 | 06:00


Presidente da CPI do Natal Iluminado na Câmara de São Caetano, o vereador Tite Campanella (Cidadania) afirmou que poderá solicitar documentação ao Banco Central e à Receita Federal para avanço das investigações sobre o convênio feito entre a Prefeitura e a Aciscs (Associação Comercial e Industrial de São Caetano) para realização do evento em 2016.

Em sua quinta reunião, os vereadores apresentaram espécie de linha do tempo do contrato e da apuração e fizeram leitura de documentação que já foi juntada à CPI. Além disso, a comissão debateu a possibilidade de requerer mais documentos.

“Estamos discutindo muito a questão do TCE (Tribunal de Contas do Estado) e também vamos requisitar mais informações junto à Prefeitura, à própria Aciscs, assim como ao Banco Central e até à Receita Federal, caso tenhamos dúvidas em questões (relacionadas aos dois órgãos federais)”, alegou Tite.

A CPI do Natal Iluminado tem intenção de investigar parceria entre a associação comercial, quando era comandada pelo advogado Walter Estevam Junior, e a Prefeitura de São Caetano, durante gestão do ex-prefeito Paulo Pinheiro (DEM) em 2016. O convênio previu aporte de R$ 1 milhão do Palácio da Cerâmica e R$ 200 mil por parte da Associação Comercial para elaboração de campanha natalina no comércio local. Comissão especial da Secretaria de Desenvolvimento Econômico já apontou existência de graves falhas na prestação de contas, inclusive afirmando que recurso foi usado para custear refeição com chope e cerveja – o TCE analisa o caso.

Até o momento, a comissão, que também conta com a participação de Olyntho Voltarelli (PSDB) e Jander Lira (PP), recebeu cerca de 5.000 páginas de documentação, que estão sendo analisadas pelos vereadores. “A partir de agora, a CPI chega em um ritmo adequado e com mais celeridade”, declarou Tite.  



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

CPI do Natal Iluminado cogita acionar BC e Receita por dados

Daniel Tossato
Do Diário do Grande ABC

27/09/2019 | 06:00


Presidente da CPI do Natal Iluminado na Câmara de São Caetano, o vereador Tite Campanella (Cidadania) afirmou que poderá solicitar documentação ao Banco Central e à Receita Federal para avanço das investigações sobre o convênio feito entre a Prefeitura e a Aciscs (Associação Comercial e Industrial de São Caetano) para realização do evento em 2016.

Em sua quinta reunião, os vereadores apresentaram espécie de linha do tempo do contrato e da apuração e fizeram leitura de documentação que já foi juntada à CPI. Além disso, a comissão debateu a possibilidade de requerer mais documentos.

“Estamos discutindo muito a questão do TCE (Tribunal de Contas do Estado) e também vamos requisitar mais informações junto à Prefeitura, à própria Aciscs, assim como ao Banco Central e até à Receita Federal, caso tenhamos dúvidas em questões (relacionadas aos dois órgãos federais)”, alegou Tite.

A CPI do Natal Iluminado tem intenção de investigar parceria entre a associação comercial, quando era comandada pelo advogado Walter Estevam Junior, e a Prefeitura de São Caetano, durante gestão do ex-prefeito Paulo Pinheiro (DEM) em 2016. O convênio previu aporte de R$ 1 milhão do Palácio da Cerâmica e R$ 200 mil por parte da Associação Comercial para elaboração de campanha natalina no comércio local. Comissão especial da Secretaria de Desenvolvimento Econômico já apontou existência de graves falhas na prestação de contas, inclusive afirmando que recurso foi usado para custear refeição com chope e cerveja – o TCE analisa o caso.

Até o momento, a comissão, que também conta com a participação de Olyntho Voltarelli (PSDB) e Jander Lira (PP), recebeu cerca de 5.000 páginas de documentação, que estão sendo analisadas pelos vereadores. “A partir de agora, a CPI chega em um ritmo adequado e com mais celeridade”, declarou Tite.  

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;