Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 28 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Polícia pede reforço para o Carnaval


Gabriel Batista
Do Diário do Grande ABC

12/01/2006 | 08:24


Cerca de 570 policiais militares virão da capital para reforçar a corporação no Grande ABC. São homens da área administrativa da PM, que não precisam atuar em São Paulo porque o Carnaval da cidade é feito no sambódromo. A capital também conta com unidades de elite. Com o reforço de São Paulo, mais os policiais que trabalham nos quartéis do Grande ABC, a PM da região vai aumentar em cerca de 24% o policiamento de rua nos quatro dias de Carnaval – de 25 a 28 de fevereiro. No total, 3.050 homens vão se dividir nas sete cidades durante o período de festa, para fazer patrulhamento comum e operações especiais. Eles vão se revezar em quatro turnos de 12 horas.

Só ficarão de fora os policiais com licença médica, garante o CPA/M-6 (Comando de Policiamento de Área Metropolitano 6), quartel que dirige a PM no Grande ABC.

Os policiais cedidos pela capital serão divididos por quatro dos seis batalhões existentes na região. O 6º Batalhão (São Bernardo e São Caetano) receberá 200 soldados e sargentos; o 41º Batalhão (Santo André), 160 policiais; o 24º Batalhão (Diadema), 70; e o 30º Batalhão (Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra), 140. A estratégia de pedir reforço à capital já foi adotada em anos anteriores.

O comandante do CPA/M-6, coronel Renato Aldarvis, diz que o Grande ABC tem histórico de Carnaval tranqüilo, “ordeiro”. Ele espera que o deste ano não seja diferente. “Vamos utilizar policiamento a pé nos locais de desfile e reforçar a presença nas vias expressas e corredores de acesso da região. A ação da Força Tática (divisão especial com armas de grosso calibre) também será intensificada”, disse o comandante.

A PM afirma que fará rondas no entorno de bailes de carnaval em clubes e outros ambientes, com o objetivo de principalmente intimidar ladrões de carro. Policiais militares também podem fazer a segurança interna dos bailes, desde que autoridades municipais ou organizadores peçam a presença da PM com cerca de 20 dias de antecedência. É cobrada uma taxa prevista por lei e, antes do Carnaval, a corporação faz vistorias no prédio.

GCMs – As guardas municipais de Diadema e Mauá estabeleceram pré-planejamento para o Carnaval. Em Diadema, a Guarda colocará 80 homens mais seguranças patrimoniais na rua – divididos em turnos – e vai utilizar as 30 câmeras de monitoramento externo, voltadas para as ruas. A administração municipal pretende equipar os guardas de rua com computadores portáteis que possibilitem observar as imagens em patrulhamento. Em Mauá, 270 guardas em quatro turnos vão fazer rondas pelas cidades e no desfile.

As guardas de Santo André, São Bernardo e São Caetano não definiram quantos guardas colocarão na rua. A Polícia Civil do Grande ABC também não tem planejamento pré-estabelecido.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;