Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 25 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Powell: EUA fazem o que podem para acelerar mudanças em Cuba


Da AFP

13/08/2003 | 21:33


O secretário de Estado, Colin Powell, afirmou nesta quarta-feira que os Estados Unidos fazem tudo o que podem para promover mudanças democráticas em Cuba. Porém, ele advertiu que isto é de responsabilidade do povo cubano e não de Washington.

"É hora de o (presidente cubano) Fidel Castro ir embora. Mas não corresponde aos Estados Unidos instalar a democracia em Cuba. Isso corresponde ao povo cubano, que vem demonstrando cada vez mais a seus líderes que querem uma vida melhor", disse Powell em declarações ao canal de televisão Univisión.

"Agora é momento de oposição em Cuba", disse Powel. "Há quem assine petições pedindo a oportunidade de determinar de maneira honesta quem deveria estar liderando o país". "E qual tem sido a resposta do senhor Castro?. Aumentar a repressão, tornar mais difícil a expressão do povo", acrescentou.

Porta-vozes da comunidade de exilados cubanos na Flórida criticaram a repatriação à ilha de 12 pessoas que seqüestraram um barco para chegar aos Estados Unidos. Powell rechaçou estas críticas e sustentou que Bush sempre disse e fez o correto em se tratando deste assunto.

"O presidente tem falado claramente, desafiado Castro. Disse que se ele se mover na direção correta, estaremos preparados a mudar nossa política. Mas Castro não se atreve a fazê-lo, não se atreve a permitir uma abertura, porque pode ser forçado a se retirar. Por isso, mantemos a pressão", disse o secretário.

"Nós honramos as obrigações que temos e os compromissos que temos assumido diante do povo cubano. Eu acho que posso dizer honestamente que os Estados Unidos estão fazendo tudo o que está a seu alcance para manter a pressão sobre o regime, e manter a esperança no coração dos cubanos", concluiu.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Powell: EUA fazem o que podem para acelerar mudanças em Cuba

Da AFP

13/08/2003 | 21:33


O secretário de Estado, Colin Powell, afirmou nesta quarta-feira que os Estados Unidos fazem tudo o que podem para promover mudanças democráticas em Cuba. Porém, ele advertiu que isto é de responsabilidade do povo cubano e não de Washington.

"É hora de o (presidente cubano) Fidel Castro ir embora. Mas não corresponde aos Estados Unidos instalar a democracia em Cuba. Isso corresponde ao povo cubano, que vem demonstrando cada vez mais a seus líderes que querem uma vida melhor", disse Powell em declarações ao canal de televisão Univisión.

"Agora é momento de oposição em Cuba", disse Powel. "Há quem assine petições pedindo a oportunidade de determinar de maneira honesta quem deveria estar liderando o país". "E qual tem sido a resposta do senhor Castro?. Aumentar a repressão, tornar mais difícil a expressão do povo", acrescentou.

Porta-vozes da comunidade de exilados cubanos na Flórida criticaram a repatriação à ilha de 12 pessoas que seqüestraram um barco para chegar aos Estados Unidos. Powell rechaçou estas críticas e sustentou que Bush sempre disse e fez o correto em se tratando deste assunto.

"O presidente tem falado claramente, desafiado Castro. Disse que se ele se mover na direção correta, estaremos preparados a mudar nossa política. Mas Castro não se atreve a fazê-lo, não se atreve a permitir uma abertura, porque pode ser forçado a se retirar. Por isso, mantemos a pressão", disse o secretário.

"Nós honramos as obrigações que temos e os compromissos que temos assumido diante do povo cubano. Eu acho que posso dizer honestamente que os Estados Unidos estão fazendo tudo o que está a seu alcance para manter a pressão sobre o regime, e manter a esperança no coração dos cubanos", concluiu.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;