Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 5 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Perícia dirá se mancha em carro da PM é sangue de desaparecido

André Henriques/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Lucas dos Santos, 14 anos, está sumido desde terça; família suspeita de envolvimento policial


Flavia Kurotori
Do Diário do Grande ABC

16/11/2019 | 07:00


Mancha encontrada no interior de uma das viaturas policiais envolvidas no caso do desaparecimento de Lucas Eduardo Martins Santos, 14 anos, será periciada para identificar sua natureza. Segundo o comandante da PM (Polícia Militar) na região, coronel Renato Nery Machado, o material pode ser sangue, mas apenas o exame biológico irá confirmar.

Ariel de Castro Alves, conselheiro do Condepe (Conselho Estadual de Direitos Humanos), que está acompanhando o caso, afirmou que material genético de familiares foi recolhido para analisar se DNA está ligado ao vestígio encontrado no veículo. “Esperamos que a corregedoria assuma o caso, principalmente porque dizem que a PM o levou. Ela (a polícia) é a principal interessada em esclarecer a história”, observou.

“O inquérito está instaurado e estamos apurando todas as informações junto com a Polícia Civil”, destacou o coronel Nery. Uma das hipóteses está relacionada ao envolvimento de familiares com o tráfico – um dos irmãos já cumpriu pena e a mãe biológica está foragida. “O momento é de seguir todas as possibilidades, pois as investigações estão muito no começo e, por hora, não se pode descartar nada.”

Helton Fesan, conselheiro executivo da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) de Santo André, avaliou que laudo oficial do IML (Instituto Médico-Legal) de corpo encontrado ontem, que pode ser de Lucas <CF51>(leia mais abaixo), </CF>abrirá ainda mais o leque da investigação. 

CASO

Lucas está desaparecido desde a madrugada de terça-feira. O jovem foi visto pela última vez por volta de 0h10, quando deixou a casa da tia em direção à própria residência, ambas na favela do Amor, na região da Vila Luzita, em Santo André. Familiares culpam a PM, uma vez que o sumiço foi após abordagem policial na casa onde mora.

Na quarta-feira, roupas que o adolescente usava quando foi visto pela última vez foram encontradas atrás da EE Antônio Adib Chammas, no Jardim Santa Cristina. Os itens foram entregues à perícia no ato do BO (Boletim de Ocorrência), registrado no 6º DP (Vila Mazzei). 

A SSP (Secretaria da Segurança Pública) informou que todas as circunstâncias estão sendo apuradas pelo setor de desaparecimento da Polícia Civil de Santo André. Dois agentes foram afastados preventivamente após testemunhas os apontarem como supostos envolvidos.

Corpo encontrado pode ser do adolescente

Corpo encontrado na manhã de ontem na Represa Billings, em área próxima ao teleférico desativado do Parque do Pedroso, em Santo André, passará por análise mais detalhada, como exame de DNA, para saber se é do adolescente Lucas Eduardo Martins dos Santos, 14 anos, desaparecido desde a madrugada de terça-feira.

Familiares do jovem estiveram na tarde de ontem no IML (Instituto Médico-Legal) da cidade, para onde o cadáver foi levado após ser achado por policiais, no entanto, não entraram em consenso a respeito do reconhecimento do corpo. A estimativa é a de que laudo oficial sobre a identificação seja concluído em dez dias.</CS>

Pai e irmão participaram da tentativa de identificação do corpo. Ainda que as características sejam parecidas com as de Lucas, ficou incerteza em relação a altura e cicatriz que o jovem possui. “Aparentemente, o corpo estava há três dias na água, estão está inchado e em início de decomposição. Como não está preservado, ficaram algumas dúvidas na identificação”, explicou Priscila Kogan, vice-presidente da comissão de defesa da mulher em situação de violência da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) de Santo André, que acompanha o caso.

“Nós seguimos sem saber, agora só com o (exame de) DNA mesmo”, disse Isabel Daniela dos Santos, 35 anos, tia da vítima. “Vamos continuar com as manifestações até sabermos se é ele ou não é. Se for ele, vamos continuar protestando até os culpados serem presos. Nossa luta não vai parar.”

Familiares e amigos do jovem, que moram na favela do Amor, na região da Vila Luzita, em Santo André, estão fazendo manifestações diárias desde quarta-feira. Eles cobram respostas da PM (Polícia Militar) sobre o paradeiro de Lucas.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Perícia dirá se mancha em carro da PM é sangue de desaparecido

Lucas dos Santos, 14 anos, está sumido desde terça; família suspeita de envolvimento policial

Flavia Kurotori
Do Diário do Grande ABC

16/11/2019 | 07:00


Mancha encontrada no interior de uma das viaturas policiais envolvidas no caso do desaparecimento de Lucas Eduardo Martins Santos, 14 anos, será periciada para identificar sua natureza. Segundo o comandante da PM (Polícia Militar) na região, coronel Renato Nery Machado, o material pode ser sangue, mas apenas o exame biológico irá confirmar.

Ariel de Castro Alves, conselheiro do Condepe (Conselho Estadual de Direitos Humanos), que está acompanhando o caso, afirmou que material genético de familiares foi recolhido para analisar se DNA está ligado ao vestígio encontrado no veículo. “Esperamos que a corregedoria assuma o caso, principalmente porque dizem que a PM o levou. Ela (a polícia) é a principal interessada em esclarecer a história”, observou.

“O inquérito está instaurado e estamos apurando todas as informações junto com a Polícia Civil”, destacou o coronel Nery. Uma das hipóteses está relacionada ao envolvimento de familiares com o tráfico – um dos irmãos já cumpriu pena e a mãe biológica está foragida. “O momento é de seguir todas as possibilidades, pois as investigações estão muito no começo e, por hora, não se pode descartar nada.”

Helton Fesan, conselheiro executivo da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) de Santo André, avaliou que laudo oficial do IML (Instituto Médico-Legal) de corpo encontrado ontem, que pode ser de Lucas <CF51>(leia mais abaixo), </CF>abrirá ainda mais o leque da investigação. 

CASO

Lucas está desaparecido desde a madrugada de terça-feira. O jovem foi visto pela última vez por volta de 0h10, quando deixou a casa da tia em direção à própria residência, ambas na favela do Amor, na região da Vila Luzita, em Santo André. Familiares culpam a PM, uma vez que o sumiço foi após abordagem policial na casa onde mora.

Na quarta-feira, roupas que o adolescente usava quando foi visto pela última vez foram encontradas atrás da EE Antônio Adib Chammas, no Jardim Santa Cristina. Os itens foram entregues à perícia no ato do BO (Boletim de Ocorrência), registrado no 6º DP (Vila Mazzei). 

A SSP (Secretaria da Segurança Pública) informou que todas as circunstâncias estão sendo apuradas pelo setor de desaparecimento da Polícia Civil de Santo André. Dois agentes foram afastados preventivamente após testemunhas os apontarem como supostos envolvidos.

Corpo encontrado pode ser do adolescente

Corpo encontrado na manhã de ontem na Represa Billings, em área próxima ao teleférico desativado do Parque do Pedroso, em Santo André, passará por análise mais detalhada, como exame de DNA, para saber se é do adolescente Lucas Eduardo Martins dos Santos, 14 anos, desaparecido desde a madrugada de terça-feira.

Familiares do jovem estiveram na tarde de ontem no IML (Instituto Médico-Legal) da cidade, para onde o cadáver foi levado após ser achado por policiais, no entanto, não entraram em consenso a respeito do reconhecimento do corpo. A estimativa é a de que laudo oficial sobre a identificação seja concluído em dez dias.</CS>

Pai e irmão participaram da tentativa de identificação do corpo. Ainda que as características sejam parecidas com as de Lucas, ficou incerteza em relação a altura e cicatriz que o jovem possui. “Aparentemente, o corpo estava há três dias na água, estão está inchado e em início de decomposição. Como não está preservado, ficaram algumas dúvidas na identificação”, explicou Priscila Kogan, vice-presidente da comissão de defesa da mulher em situação de violência da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) de Santo André, que acompanha o caso.

“Nós seguimos sem saber, agora só com o (exame de) DNA mesmo”, disse Isabel Daniela dos Santos, 35 anos, tia da vítima. “Vamos continuar com as manifestações até sabermos se é ele ou não é. Se for ele, vamos continuar protestando até os culpados serem presos. Nossa luta não vai parar.”

Familiares e amigos do jovem, que moram na favela do Amor, na região da Vila Luzita, em Santo André, estão fazendo manifestações diárias desde quarta-feira. Eles cobram respostas da PM (Polícia Militar) sobre o paradeiro de Lucas.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;