Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 8 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Bolsas da Ásia registram ganhos, com Tóquio na máxima de fechamento em 30 anos



21/01/2021 | 07:19


As bolsas asiáticas registram ganhos em sua grande maioria nesta quinta-feira, 21, após a posse do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, reforçar a expectativa por estímulos fiscais no país. A Bolsa de Tóquio foi destaque, no dia em que o Banco do Japão (BoJ, na sigla em inglês) manteve a política monetária, mas reforçou a política favorável a estímulos monetários.

Em Tóquio, o índice Nikkei registrou alta de 0,82%, a 28.756,86 pontos, no nível de fechamento mais elevado desde agosto de 1990. Ações do setor de eletrônicos puxaram os ganhos. Na política monetária, o presidente do BoJ, Haruhiko Kuroda, disse que o banco central adotará mais medidas de relaxamento, se necessário, e comentou que o BoJ deve fazer uma revisão sobre potenciais efeitos colaterais da estratégia atual em sua reunião de março. Apesar dos ganhos do mercado acionário, o número elevado de mortes pela covid-19 no Japão segue no foco dos investidores.

Na China, a Bolsa de Xangai fechou em alta de 1,07%, em 3.621,26 pontos, e a de Shenzhen, de menor abrangência, subiu 1,53%, a 2.563,32 pontos. A tendência positiva recente no mercado local tem sido impulsionado por um rali de ações ligadas a energias renováveis.

Em Hong Kong, o índice Hang Seng terminou com baixa de 0,12%, em 29.927,76 pontos. O Wall Street Journal destaca o fato de que a praça local atingiu recentemente máximas em 20 meses, com recordes de volumes negociados. O diário aponta como causa para isso o fato de que investidores da China continental têm buscado Hong Kong como alternativa, a fim de buscar ações baratas e também não disponíveis no mercado local.

Na Coreia do Sul, o índice Kospi fechou em alta de 1,49%, em 3.160,84 pontos, em sua terceira sessão positiva seguida. Papéis de eletrônicos, ligados à internet e de montadoras puxaram os ganhos em Seul, com a perspectiva de estímulos nos EUA também ajudando. LG Electronics subiu 11%, ainda apoiada pela notícia de sua potencial saída do negócio pouco lucrativo para ela de smartphones. Em Taiwan, o índice Taiex teve ganho de 2,20%, a 16.153,77 pontos.

Na Oceania, o índice S&P/ASX 200 subiu 0,79% na Bolsa de Sydney, a 6.823,70 pontos. O pregão da Austrália foi beneficiado pela notícia de que o país já recuperou 90% dos empregos perdidos com a pandemia. Ações de tecnologia, consumo e finanças lideraram os ganhos. (Com informações da Dow Jones Newswires).



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Bolsas da Ásia registram ganhos, com Tóquio na máxima de fechamento em 30 anos


21/01/2021 | 07:19


As bolsas asiáticas registram ganhos em sua grande maioria nesta quinta-feira, 21, após a posse do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, reforçar a expectativa por estímulos fiscais no país. A Bolsa de Tóquio foi destaque, no dia em que o Banco do Japão (BoJ, na sigla em inglês) manteve a política monetária, mas reforçou a política favorável a estímulos monetários.

Em Tóquio, o índice Nikkei registrou alta de 0,82%, a 28.756,86 pontos, no nível de fechamento mais elevado desde agosto de 1990. Ações do setor de eletrônicos puxaram os ganhos. Na política monetária, o presidente do BoJ, Haruhiko Kuroda, disse que o banco central adotará mais medidas de relaxamento, se necessário, e comentou que o BoJ deve fazer uma revisão sobre potenciais efeitos colaterais da estratégia atual em sua reunião de março. Apesar dos ganhos do mercado acionário, o número elevado de mortes pela covid-19 no Japão segue no foco dos investidores.

Na China, a Bolsa de Xangai fechou em alta de 1,07%, em 3.621,26 pontos, e a de Shenzhen, de menor abrangência, subiu 1,53%, a 2.563,32 pontos. A tendência positiva recente no mercado local tem sido impulsionado por um rali de ações ligadas a energias renováveis.

Em Hong Kong, o índice Hang Seng terminou com baixa de 0,12%, em 29.927,76 pontos. O Wall Street Journal destaca o fato de que a praça local atingiu recentemente máximas em 20 meses, com recordes de volumes negociados. O diário aponta como causa para isso o fato de que investidores da China continental têm buscado Hong Kong como alternativa, a fim de buscar ações baratas e também não disponíveis no mercado local.

Na Coreia do Sul, o índice Kospi fechou em alta de 1,49%, em 3.160,84 pontos, em sua terceira sessão positiva seguida. Papéis de eletrônicos, ligados à internet e de montadoras puxaram os ganhos em Seul, com a perspectiva de estímulos nos EUA também ajudando. LG Electronics subiu 11%, ainda apoiada pela notícia de sua potencial saída do negócio pouco lucrativo para ela de smartphones. Em Taiwan, o índice Taiex teve ganho de 2,20%, a 16.153,77 pontos.

Na Oceania, o índice S&P/ASX 200 subiu 0,79% na Bolsa de Sydney, a 6.823,70 pontos. O pregão da Austrália foi beneficiado pela notícia de que o país já recuperou 90% dos empregos perdidos com a pandemia. Ações de tecnologia, consumo e finanças lideraram os ganhos. (Com informações da Dow Jones Newswires).

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;