Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 21 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Banda parisiense toca na Augusta, e integrante é presa



01/05/2012 | 04:26


A Rua Augusta, famosa na noite paulistana pela agitação e pelas diversas manifestações culturais, parou na madrugada desta terça-feira para ver uma banda parisiense, que iniciou seu "show" na esquina da Rua Matias Aires. A apresentação rapidamente reuniu uma pequena e animada multidão, mas acabou pouco depois, com a intervenção da Polícia Militar.

 

A banda Dumb and Brass, que se autodenomina "a fanfarra mais dinâmica e festiva de Paris desde mais de 20 séculos" começou a tocar por volta das 23h45 da segunda-feira. "Somos quase todos estudantes de engenharia. Formamos a banda na faculdade e tocamos em várias cidades da Europa. No Brasil pela primeira vez, vamos nos apresentar em vários lugares, inclusive na Virada Cultural de São Paulo", disse o brasileiro Stéfano Demari, um dos integrantes do grupo musical.

 

Após levantar a galera com uma versão de "Sexual Healing", a Dumb and Brass resolveu descer, sempre tocando, em direção à Praça Roosevelt, na região central - pois já havia sido alertada de que o barulho iria atrair a presença da polícia. Mas a banda, formada por 12 músicos, percorreu apenas uma quadra. Na esquina da Augusta com a Peixoto Gomide, foi parada pelos policiais.

 

Uma das integrantes do grupo - cujo nome Demari não soube informar -, foi presa por desacato, sob vaias do público. A polícia mandou que os músicos seguissem, para o Masp, onde poderiam tocar. O grupo subiu em direção à Avenida Paulista, acordando os moradores da Rua Frei Caneca e trazendo a fila de fãs recentemente conquistados. Como o Masp ainda estava muito longe, os músicos resolveram ficar na esquina da Paulista com a Frei Caneca mesmo. A animação ainda continuava às 2h e prometia ir até o sol raiar - desde que a polícia permitisse, claro.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Banda parisiense toca na Augusta, e integrante é presa


01/05/2012 | 04:26


A Rua Augusta, famosa na noite paulistana pela agitação e pelas diversas manifestações culturais, parou na madrugada desta terça-feira para ver uma banda parisiense, que iniciou seu "show" na esquina da Rua Matias Aires. A apresentação rapidamente reuniu uma pequena e animada multidão, mas acabou pouco depois, com a intervenção da Polícia Militar.

 

A banda Dumb and Brass, que se autodenomina "a fanfarra mais dinâmica e festiva de Paris desde mais de 20 séculos" começou a tocar por volta das 23h45 da segunda-feira. "Somos quase todos estudantes de engenharia. Formamos a banda na faculdade e tocamos em várias cidades da Europa. No Brasil pela primeira vez, vamos nos apresentar em vários lugares, inclusive na Virada Cultural de São Paulo", disse o brasileiro Stéfano Demari, um dos integrantes do grupo musical.

 

Após levantar a galera com uma versão de "Sexual Healing", a Dumb and Brass resolveu descer, sempre tocando, em direção à Praça Roosevelt, na região central - pois já havia sido alertada de que o barulho iria atrair a presença da polícia. Mas a banda, formada por 12 músicos, percorreu apenas uma quadra. Na esquina da Augusta com a Peixoto Gomide, foi parada pelos policiais.

 

Uma das integrantes do grupo - cujo nome Demari não soube informar -, foi presa por desacato, sob vaias do público. A polícia mandou que os músicos seguissem, para o Masp, onde poderiam tocar. O grupo subiu em direção à Avenida Paulista, acordando os moradores da Rua Frei Caneca e trazendo a fila de fãs recentemente conquistados. Como o Masp ainda estava muito longe, os músicos resolveram ficar na esquina da Paulista com a Frei Caneca mesmo. A animação ainda continuava às 2h e prometia ir até o sol raiar - desde que a polícia permitisse, claro.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;